Estão vendendo gato por lebre albina do himalaia, e cobrando caro!

Dada a intensidade textual original e a repercussão a este post, preferi excluí-lo, me passei na mão, é inevitável que o mercado cresça e atraia cada vez mais pessoas, empresas, cada qual com suas convicções e estratégia, faz parte!

O que aprendi com este episódio é que após 1600 posts, meu blog já não interage só com pessoas de minha rede local, isso exige cuidados. O que posso compartilhar categoricamente é que o mesmo post poderia ter sido escrito da mesma forma que todos os meus anteriores, com um tanto de psicologia positiva teria usado os mesmos motes para ilustrar o que considero bons cursos ao invés de tentar infelizmente pontuar maus cursos. É mais produtivo!

Fiz nas redes uma retratação: “Gente querida, fiz um post na esteira de um debate acalorado sobre cursos e acabei redigindo algo descabido.. Peço humildes desculpas, pois fui generalista e rabugento. Nada tenho contra cursos, metodos ou jogos, uso todos eles … no quesito Kanban, pessoalmente só fiz bons cursos e uso o que aprendi, em 2011 e há um ano com a Ana G Soares, que muito elogiei e compartilhei … Deve ser a idade, após 1600 posts, só me dei conta quando o Rodrigo me puxou na xinxa, caiu a ficha, exclui, era vago e imprudente. Agora é vida que segue!”

5 comentários sobre “Estão vendendo gato por lebre albina do himalaia, e cobrando caro!

  1. Prof. Jorge, acompanho o seu trabalho e de outros excelentes colegas como o Daniel Wildt. Tano nos eventos do #DevelopersConference, como na PUCRS, Uniritter e outrs instituições.
    Além de fazer um treinamento, ler muitos livros e praticar na empresa. Alguma outra orientação? E como escolher o treinamento, que não se enquadre na descrição que tu citou.
    Sempre procuro aqueles homologados pelos orgãos/criadores do método. Mas como somos todos seres humanos como diferenciar a lebre albina do Himalaia do puro sangue crioulo?

    Obrigado por sempre compartilhar ótimas reflexões que aprofundam as discussões e melhoram a percepção de mundo.

    • Oi, é perigoso citar cursos (bons ou ruins), há cursos variados para todos os gostos e bolsos, como Lean, Scrum, Kanban, XP, SAFe, etc com boas empresas por tras. Quanto ao método, não há garantias, é experimentação com aprendizados e melhorias sem idealizações … Usemos Kanban, Scrum, XP, Lean ou outro, um passo de cada vez e evoluindo sempre! o/ Ajuda sempre é bom, mas se procurarmos menos e experimentarmos mais, rapidamente nos tranformaremos naquele que procurávamos. Afora isso, tem não só empresas, mas tem o GUMA, o NMAF, etc.

  2. Sempre muito lucido em tuas colocações Jorge. Sempre oriento os alunos de que não existe método milagroso, e sim o que funciona para o contexto, pessoas e cultura da empresa. Tá cheio de empresa repleta de post-it na parede que a pinta pede autorização até para ir ao banheiro.

  3. Pingback: Tendências de software 2019 – parte 3 | BossaBox

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s