2021 – Acreditar mais em si, ousar, ter mais apetite ao risco, diversificar

O ano de 2020 convocou a cada um de nós mudar, nos deu uma carta branca para ousar e arriscar sem culpa, agora é preciso assumir em definitivo, internalizar. O primeiro passo é usar a ciência a nosso favor, permitir-se conhecer alguns estudos sobre nosso inconsciente e suas consequências.

Na página https://jorgeaudy.com/biblioteca-2/teorias/ eu faço breves apresentações, resenhas e considerações sobre mais de uma centena de teorias, modelos, de grandes nomes que desafiaram um maior entendimento sobre o que, porque, como e quem somos e fazemos. Exemplo:

Analysis Paralysis é um conceito que descreve um processo individual ou grupal quando a análise excessiva nos coloca em postergação indefinida ou nos mantém fazendo mais do mesmo, sem empenho em fazer nosso melhor.

Dissonância Cognitiva e crenças limitantes, quando o inconsciente justifica uma angustia consciente, negando algo que nos incomoda, transfere ou projeta a nossa responsabilidade, racionaliza como normal nossa condição.

Síndrome do impostor é quando nos achamos inferiores a outros sem motivo real, nos sabotando em nosso conhecimento, execução, experimentação e aprendizado, por inconscientemente não nos acharmos a altura.

O poder do hábito e Hooked oferecem uma reflexão sobre como mudar hábitos e rotinas mais arraigadas, incentivando a compreensão de seus mecanismos desde o gatilho, a impulsão e o peso da recompensa percebida.

Estas e outras informações oriundas de grandes cientistas, pesquisadores e pensadores nos ajudam a entender os mecanismos hidro-pneumáticos da mente, evitando entrar no piloto automático, sem darmos a nós espaço e chances para desenvolver nosso potencial.

A recuperação pode demorar, então precisamos muito termos clareza sobre nosso ‘apetite ao risco’, precisamos delimitar até onde se quer correr riscos, que via de regra limitam ou equilibram o risco ruim e também o bom, podemos perder mais ou menos, assim como ganhar mais ou menos.

Desconhecendo a ciência, desconhecemos a nós mesmos

Entre maratonistas existe a alegoria do ‘muro de vidro’ ou ‘bater no muro invisível’ ao chegar aos 32 Km. O muro não existe, mas refere-se ao momento em que o inconsciente interpreta o stress, a exaustão, as dores físicas e informa ao consciente de que é melhor parar.

Um maratonista experiente e bem preparado, ciente do muro dos 32 Km, tem consciência de que este aviso acontecerá e que é preciso supera-lo conscientemente. Um novato, ao receber este aviso, estará mais propenso a ceder a este apelo, mesmo tendo treinado e se preparado fisicamente.

Empreendedorismo na escala pessoal, familiar, empresarial

Na minha opinião, grandes nomes, ícones da inovação e do empreendedorismo, em toda e qualquer escala, tinham como diferencial o apetite ao risco, questionavam sua zona de conforto, não aceitavam sua própria dissonância cognitiva, não se permitiam ver-se como impostores.

Assuma ciclos evolutivos e ágeis para si mesmo em 2021, um ano de recuperação onde tudo está em cheque, tudo merece ser enxugado, melhorado, mudado. Não será fácil, o país está quebrado, milhares de negócios fecharam, milhões perderam o emprego e regrediram financeiramente.

1ª etapa – Permita-se pensar, refletir, materializar, entender melhor seus sonhos, sua estratégia, tática e operacionalização cotidiana, explicitar seu SWOT e 5W2H. O que pode estar lhe atrasando, estagnando ou a cada dia oportunizando ir adiante, aproximando-se de onde quer chegar;

2ª etapa – Tenha parceiros de viagem, valide, peça ajuda para criar mentalmente sua janela de Johari, assim como as empresas, valide seus pressupostos, pergunte a quem lhe cerca se faz sentido, se você não está mentindo a si mesmo, se não é possível ousar mais, ir além;

3ª etapa – Organize estas ideias, provavelmente há diversos cenários, possibilidades, é preciso priorizá-las, fracioná-las, ver como validá-las ou dar os primeiros passos de forma a rapidamente poder avaliar e ajustar seus planos malignos para conquistar o mundo;

4ª etapa – Permita-se estar de olhos abertos para gerar ciclos curtos de feedback, retroalimentação, permita-se mudar, adaptar-se … porque a vida exige constante adaptação, exige desenvolver novas competências, o invés de frustar-se, é preciso penar, tentar, errar rápido, repensar …

Tenho dezenas de posts com diferentes abordagens para modelagem de vida, carreira, emprego, startups, redes e comunidades … em todas elas o erro é modelar, desenhar e depois voltar a rotina … como se o plano fosse o objetivo, mas sem ‘execução’ em ciclos, tentativa, erros e recomeços, não rola.

Por motivos muito pessoais, me fez lembrar do curta PULAR da Pixar, o ano de 2020 nos tosou, cabe a nós desenvolver novas habilidades, porque a recuperação será lenta e desafiadora … mas temos que arregaçar as mangas e tentar, tentar, tentar, pular, pular, pular \o/

Mas já que lembrei do PULAR, vou compartilhar outro vídeo legal … a maioria já deve conhecer, mas este valoriza mais a importância de trabalhar em grupo, ter parceiros de viagem, não estar só:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s