Não tenha medo de validar ideias e modelos a cada pequeno passo dado

Com frequência alguém, normalmente jovens, me procuram para trocar ideias sobre uma ideia que tiveram e que agora querem desenvolver. Claro que a maioria é software, web e apps, mas já rolou de tudo, restaurante, aquário, estufa, também tem surgido muitos canais e cursos que a meninada quer gravar e oferecer em uma dentre tantas plataformas.

Daí surgiu a ideia de montar o pacote de dicas, informações, abordagens, métodos e técnicas que chamei de STARTUP QUEST. Afinal, é essencial conhecer os princípios básicos do Lean Startup, ter como hobby compreender os fundadores deste mindset da Startup Enxuta e Customer Development, como Steve Blank, Eric Ries e Ash Maurya …

O fundador do Waze, Uri Levine, afirmou que deveríamos nos “apaixonar pelo problema e não pela solução”. O problema possui um contexto, riscos e oportunidades, uma solução sozinha pode virar uma cruzada, uma idealização, porque não estávamos atentos à real necessidade e oportunidade. É o ego falando mais alto que a razão e a realidade!

Há uma frase supostamente dita por Henry Ford – ““Seu Ford Modelo T pode ter qualquer cor, desde que seja preto!”. Fato ou ficção, a história diz que a GM de Sloan diversificou, ofereceu itens opcionais, diferenciou-se da Ford oferecendo mais modelos com características que o cliente valorizava e acabou tendo também espaço na história.

Mas se o famoso “Errar Rápido!” é um mantra da Startup Enxuta, “Acertar Rápido” deveria ser ainda mais, porque é isso o maior objetivo, erramos apenas se isso gerar aprendizados e então podermos acertar mais rápido.

  • Fail Early – As validações geram confirmações ou negações, reflita, assimile, aprenda e responda. A resposta pode ser sim insistir por convicção, uma melhoria, um pivot, começar novamente se for o caso, …
  • Fail Fast – Toda ideia e cada passo em uma solução é mera hipóteses, quanto antes validar, melhor, muito antes de ter algo concreto, só a própria ideia, entendimento, pretótipo, protótipo, MVP, uma função, uma característica, …
  • Fail Often – Não se esconda atrás de um teste, nem negativo nem positivo, afinal, pode ser um resultado que está mascarando a verdade, parcial ou completamente. Refaça, continue validando cada passo, …
  • Fail Better – Se aprendermos a entrevistar, a modelar, a prototipar e validar ideias e hipóteses, quanto mais fizermos, melhores e mais consistentes serão, gerarão mais e melhores insights, conclusões, novas hipóteses, …

O maior risco é NÃO conhecer a psicologia, não estar atento ao que fazemos, mais que aquilo que dizemos, o maior inimigo está na nossa cabeça. Procrastinar pelo medo de ouvir um NÃO, crenças limitantes, síndrome do impostor, dissonância cognitiva, … A resposta é “Se tiver medo, vá mesmo assim, combata seu medo!” – Iorek Byrnison

“Se você acha que pode, ou que não pode fazer alguma coisa, provavelmente você sempre terá razão!” – Henry Ford

Ideias e hipóteses não são ovo para ficar chocando, daí vem os conceito agressivos de “nos expormos” em entrevistas exploratórias, drafts, estruturadas, pretotipos, na validação de MVPs toscos, de MMPs, … afinal, “uma startup está em uma corrida contra o tempo antes que o dinheiro acabe, faça valer e interaja cada segundo!” – Barbara, Venture.

Diante de tantas peculiaridades que nos caracterizam como humanos, é fundamental termos parceiros de viagem, gerando a força do coletivo, princípio fundamental de times ágeis ou auto-organizados. Times tem o poder de anular pensamentos e restrições infundadas, porque basta um entre todos se dar conta e chamar a atenção, relembrar, energizar.

  • Auto-Eficácia – Quanto mais conhecermos a nós mesmos e acreditarmos que somos capazes, mais provável;
  • Crenças Limitantes – Nossa história e vivências vão gerando restrições infundadas à uma zona de conforto;
  • Síndrome do Impostor – Pessoas sofrem de uma inferioridade ilusória, subestimando as próprias habilidades;
  • Dissonância Cognitiva – Quando estamos angustiados, nosso sub-consciente justifica de alguma forma.

Afinal de contas, qual o objetivo de ciclos curtos de feedback, com interação entre todos os envolvidos e interessados? Senão, manter a todos focados naquilo que realmente gera maior valor, eliminando ao máximo desperdícios e subterfúgios, procrastinação ou dissonância, pois frente a “erros” pequenos, resolvemos, os grandes tendemos a responsabilizar.

“Se você não tem vergonha da primeira versão do seu produto, você demorou demais para lançar.” – Reid Hoffman (Linkedin)

O modelo Startup Quest tem como substrato a combinação do Gartner, mas com um apelo mais didático para contextualizar a realidade de uma Startup, onde temos como substrato o Lean Startup, o Design Thinking e o Agile Thinking como mindset, meios, ferramental, … (re)utilizados a cada novo passo, em uma nova etapa.

Se você realmente se conscientizar de que tudo o que voc~e tem são hipóteses a serem validadas, cada uma, o mais brevemente possível, começando da forma mais simples possível, então a certeza de que falgar faz parte do processo e de que o que imaginamos vai mudar, porque tudo sempre muda … isso nos manterá ajustando o curso diariamente.

plano e execução

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s