0

BootCamp, uma fábrica de StartUps

Abriram as inscrições para o Bootcamp de Germinação de Startups da Germinadora. O Bootcamp será realizado entre o 27 de julho ao 19 de outubro.

bootcamp

Serão selecionados 36 futuros empreendedores, profissionais que tem alguma experiência desenvolvendo produtos porem que não trabalham no seu produto. Um dos requisitos é que eles estejam relativamente abertos a formar novos times ou remodela-los caso estejam desequilibrados ou desfuncionais.

Serão 12 semanas de imersão, com desafios semanais destinados a formar 12 times e criar 12 novos negócios digitais do zero. Para aqueles que não tiverem disponibilidade para participar em tempo integral no Bootcamp, o comprometimento mínimo será as de dois dias a noite e sábado integral.

Exploraremos problemas, tendências e oportunidades de várias indústrias que virão fazer Pitchs, para validação dos modelos de negócios rapidamente, pivotar e os que conseguirem validar o modelo de negócio com seus MVP’s passarão para a etapa seguinte, onde poderão receber investimento de R$ 20k a R$ 60k além de ajuda para estabelecer o negocio e prepará-los para a terceira etapa onde o foco é crescer o negocio.

As pessoas que entram no Bootcamp vão ter tanto participação nos negócios que criarmos juntos, como também um pool de participações nos 12 negócios que serão criados durante o Bootcamp e mesmo que o seu negocio não se viabilize, um dos outros que avance na próxima fase pode gerar um retorno de parte do investimento no Bootcamp ou multiplicar este investimento, e assim todos terão interesse que todos deem certo e passem à fase seguinte.

Existem 16 vagas para pessoas de fora do Brasil e interior, com hospedagem na Germinadora, além dos 20 participantes não hospedados. O custo de participação do Bootcamp é de 6 x R$ 1000 para quem não irá ficar hospedado e de 6 x R$ 1500 (5000 Euros) para quem ficar hospedado:

http://www.germinadora.com/

1

StartUp Dojo em Porto Alegre

Em meio a tantas apresentações assistidas no Agile Brasil 2012, um assunto  chamou especial atenção – STARTUPs – havia uma profusão de palestras, lightning talks, conversas de bastidores, muita ansiedade e debate sobre formatos, modelos, experiências ocorridas em Brasília, Floripa, São Paulo, Rio de Janeiro, … e em Porto Alegre.

O StartUp Dojo de Brasília é um case de sucesso que esta se espalhando pelo Brasil, veja este convite – http://www.youtube.com/watch?v=VLsuZ9sVWPM

Quando citaram POA, me interessei em saber mais, pois os nomes citados eram de ninguém menos que Daniel Wildt e Paulo Caroli … afinal, estavamos lá para aprender coisas novas, de cabeça aberta, das palestras e workshops sobre o tema, recomendo olhar nas seguintes palestras do Agile Brasil 2012:

http://bit.ly/QsQ2iB – 1º Dia – Guia da Startup – Joaquim Torres – LocaWeb
http://bit.ly/Q6fxdI – 2º Dia – StartUp DOJO – Fabricio Buzeto (Brasilia)
http://bit.ly/TvHii5 – 2º Dia – MVP Daniel Wildt / StartUp Dairton Bassi
http://bit.ly/PS7I8g – 3º Dia -L3 Alexandre Magno / VSM Samuel Crescêncio

Guy Kasawaki – Entenda StartUps e Investidores – http://bit.ly/QbMfYF
Site recomendado – http://startupei.ro

A palestra do Fabricio Buzeto foi inspiradora e ele relatou a disseminação do modelo de StartUp Dojos de Brasília para diversos estados brasileiros, usando inclusive o mesmo logotipo … que é muito legal, fica aqui a dica do site deles:

Clique aqui e veja o 1º post da galera pioneira de Brasília em seu primeiro Dojo
Clique aqui para ler o post prévio ao Startup Dojo em porto alegre 09/11/2011
Clique aqui para ler o post relatando como foi aquele Startup Dojo em POA
Clique aqui e veja o vídeo do 1º Dojo da galera pioneira de Brasília

Empreendedorismo na veia ?

1. Não faça estoque, 99% dos estoques são desperdício, não faça estoque idéias, não faça estoque conhecimento, não espere saber tudo sobre Lean StartUp, Business Model Canvas, etc … O primeiro passo é começar, se voce tem uma idéia e não sabe por onde, procure uma incubadora, descubra onde ocorrem StartUp Dojos em sua cidade, … ou simplesmente comece, parece uma coisa idiota de se dizer, mas simplesmente comece, dê o primeiro passo;

2. Caia na real que 99% dos mortais são mais parecidos com o Batman, cada um de nós precisa de um Robin, se voce é um professor pardal, procure um administrador, se voce é um marketeiro, procure um desenvolvedor prodigioso, busque um sócio que o complemente;

3. Procure ficar perto de quem empreende, de ambientes cooperativos, universidades, parques tecnológicos, incubadoras, aceleradoras, sementes, há uma infinidade de oportunidades de troca de conhecimentos e experiências … NÃO enfie-se em uma sala, achando que fará tudo sozinho e que alguns meses depois sairá de lá barbudo, desnutrido e com um produto que mudará o mundo;

4. Tente, arrisque-se, mas não se apeque, erre o mais breve possível, se necessário for, busque aprender com suas tentativas … não é fácil saber quando mudar (pivotar) ou insistir um pouco mais, mas temos que estar atentos, buscar validar cada um de nossos pressupostos o quanto antes, vá de encontro a seus clientes, ao mercado, mantenha-se sempre alerta;

5. Participe de StartUp Dojos, eventos, competições e maratonas, é uma forma muito intensa de aprendizado e se não for de graça, normalmente é simbólico. Nestes locais, encontrará gente como voce e outros tipos muito inspiradores, não só empreendedores, mas sonhadores, malucos, idealistas, …;

6. Não perca a oportunidade de participar de eventos gratuítos de Grupos de Usuários como o GUMA, GUAN, GUGC, … networking é tudo e abrir a mente a novos conceitos e perspectivas não tem preço. Todos nós temos sempre muito a aprender e a ensinar, logo, compartilhe nas duas vias … assista, mas também candidate-se a palestrar e repassar aquilo que aprendeu, assim o mercado verá voce com outros olhos;

6. Estude, se não é para fazer estoque, também não é para procurar o benefício da ignorância, escolha livros e eventos que lhe abram os olhos para conceitos de Lean StartUp, técnicas ágeis de desenvolvimento de negócios, produtos, clientes e pessoas, Programação Neuro Linguistica, Gestão do Conhecimento, Agilidade, Propriedade Intelectual, …;

7. Não desista, se não deu certo da primeira vez, use o que aprendeu para tentar novamente e melhor, apesar dos relatos românticos de grandes empreendedores, é pouco provável que tudo tenha dado certo e tenham sempre tomado as decisões mais apropriadas … lembre-se, todos erraram muito, o que fica para a hiostória são os sucessos, mas eles aprenderam muito com os erros que somente eles sabem que fizeram;

Boa sorte e juizo !

Moral da história, não se acanhe em pedir conselhos e aprender com quem sabe, mas não tenha medo de seguir seus instintos, as técnicas de validação de pressupostos irão lhe ajudar a não cometer erros previsíveis, mas se todos acreditassem em tudo o que esta escrito ou que foi dito, não haveria inovação.

Clique aqui e veja o post com o balanço do StartUp Dojo

1

Professores Pardais

Empreendedorismo, Inovação, Lean StartUp, Running Lean, Business Model Canvas, Pivotar, Pragmatismo, … Podemos fazer cursos, workshops, ler livros, assistir palestras, etc, mas nada será tão ilustrativo e motivador quanto uma visita a uma incubadora de empresas. Visitar a incubadora RAIAR, inspirar-se nas suas empresas nascentes, falar com jovens empreendedores e Professores Pardais (*) da vida real, é algo que pode mudar sua vida.

(*) Eu nasci em 1963, me criei lendo os gibis da Disney, entre todos haviam dois que me fascinavam, a dos Escoteiros Mirins (1951) e a do Prof Pardal (1952), ambos criado pelo gênio criativo de Carl Barks (1901), um dos principais colaboradores dos Estúdios Disney. É obra deste grande desenhista e roteirista, a cidade de Patópolis e boa parte de seus habitantes, tendo sido apelidado de “O homem dos patos” e “Hans Christian Andersen dos quadrinhos”.

O multi-inventor norte-americano Dean Kamen era chamado de “verdadeiro Prof. Pardal”, assim como temos na história contemporânea, inumeráveis patentes registradas por homens inovadores, visionários, oportunistas e antenados … nos Estados Unidos e Europa, enquanto nós terceiros mundistas nutriamos a vontade de ir para o exterior e “contribuir nesta história”  😦

Mas, nos últimos anos, cada vez mais vemos a retenção de jovens talentosos, que ao invés de irem para outros países de primeiro mundo, a serviço de IBM, XEROX, GE, …, optam por ficar aqui no Brasil, trabalhando em empresas brasileiras, empreendendo, tornando seus sonhos em realidade. Um dos fatores decisivos para isto são os parques tecnológicos de padrão mundial criados em todos os estados brasileiros, em especial, junto as grandes universidades.

Quando eu me formei em análise de sistemas pela PUC-RS no ano de 1987, as oportunidades quase que se limitavam unicamente ao SEBRAE para fomento e assessoramento a empresas nascentes … no formato que existe até hoje. Na medida em que grandes universidades constituiram seus parques tecnológicos, com modelo baseado em bolsas, além de incubadoras e outros elementos do conceito da tripla hélice … as coisas começaram a mudar.

Vou citar um exemplo fantástico, da impressora 3D criada e agora entrando em fabricação aqui no TecnoPUC, pela Cliever Tecnologia do Rodrigo Krug … algo que merece ser usado como case para crianças e jovens, vale a pena ver as notícias, os vídeos, acompanhar pela mídia e entrar na fila   🙂

Eu acho que eles não tem muito tempo para se dedicar a relações públicas, pois uma StartUp tem outras coisinhas importantes para se preocupar, como grana, relógio, pivotar, desenvolver a solução, o mercado e os clientes … mas, garanto que ouvir o pessoal da RAIAR, ENGAGE, SEMENTE, … não tem preço!

Sugestões de leitura e sites:
Um post que fiz após o útlimo churras da galera – linguagem ubiqua startupeira
O site da incubadora RAIAR – http://www.pucrs.br/raiar/?p=capa
Fique ligado, vem ai o http://www.pucrs.br/eventos/torneioempreendedor/
Um bom blog sobre Lean StartUp – http://www.manualdastartup.com.br/blog/

1

“Da Visão ao Produto”

Participei do workshop “Da Visão ao Produto” ministrado pelo Daniel Wildt na sede da SUCESU-RS, na companhia de vários colegas de TecnoPUC, a Marines e a Fernanda da RAIAR!, o Felipe e Totti da Develop IT e o Pedro Belleza da HP.

Evento que contou com relatos baseados na grande experiência do Daniel como profissional, empresário, consultor e instrutor. A seguir quais foram os tópicos trabalhados e enriquecidos com as trocas de percepções durante debate entre os 18 participantes, em formato Fishbowl, após exercício prático de StartUp e Business Model Canvas.

Sou casado com a Marines da incubadora RAIAR, que me passou a dica de um site muito didático e completo sobre Lean StartUp, eu já li bastante coisa lá e esta nos meus favoritos – http://www.manualdastartup.com.br/blog/

Quanto a temas e bibliografia sugeridas, listei algumas interessantes e linkei:

  1. A semana de trabalho de 4 horas
  2. Teoria das restrições – A Meta – Eliyahu M. Goldratt
  3. My job went to India (Pragmatic Programmers) – Chad Fowler
  4. Ócio Criativo – Domenico de Masi
  5. Nadismo – Marcelo Bohrer
  6. The seven-day weekend – Ricardo Semler
  7. Voce esta louco? – Ricardo Semler
  8. Rework – 37 Signals
  9. The Lean StartUp – Eric Ries
  10. Paper Prototyping – Carolyn Snyder
  11. Business Model Generation – Alexander Osterwalder, Yves Pigneur
  12. Running Lean – Ash Maurya
  13. The Lean Canvas – Ash Maurya

Para quem participar dos Workshops o Daniel irá abrir um grupo de discussão para que o conhecimento continue sendo consolidado, onde poderemos perguntar, responder e sugerir entre nós, excelente iniciativa !     🙂

  • Definindo uma identidade:
    • O trabalho nos dias de hoje
    • Ambiente de trabalho
    • O profissional de hoje
  • Um novo movimento:
    • Simplicidade e inovação
    • Entendendo prioridades e propósito
  • Startups:
    • O que é uma startup
    • Seu modelo de negócio (regra 10/20/30)
    • Lean Startup
    • O ciclo Build-Measure-Learn
    • Entendendo experimentos
    • Validando sua ideia
  • Foco no Build-Measure-Learn:
    • Metodologias Ágeis
    • Lean
    • eXtreme Programming
    • Paper Prototyping
    • Métricas
    • Business Model Canvas
    • Lean Canvas
  • Mais algo?
    • Entendendo roadmap x MVP
    • Construindo sua reputação
    • Promovendo seu business
    • E quando mudar? Entendendo o pivot.
1

Linguagem Ubiqua StartUpeira

Na noite de ontem (26/07/2012) tive a oportunidade de participar de mais um churrasco da RAIAR!, incubadora de empresas sediada no Prédio 94 do TecnoPUC e no campus Viamão da PUCRS.

É muito instigante falar com uma galera empreendedora e mais ainda é perceber que desde o último churrasco para agora, estabeleceu-se de fato uma linguagem ubiqua (*) StartUpeira –  Lean StartUp, Business Model Canvas, Running Lean, menos desperdício, cadeia de valor, sustentabilidade, pivot, eliminação de pressupostos, permeia a todo omomento as conversas e opiniões.

(*) Linguagem Ubiqua : Quando diferentes grupos ou equipes interagem constituindo uma “interlinguagem” com conceitos, elementos e interpretações comuns a todos, linguagem esta que precisa ser poderosa o suficiente para  potencializar a comunicação, facilitando o entendimento de fato e os acordos entre as partes de forma ágil e segura, com mínimo ruído.

Desde então, foi um prazer conhecer mais de perto vários deles, já como presenças constantes nos eventos do GUMA, no recente Open Space havido no TecnoPUC e outras oportunidades de networking e aprendizado, o pessoal da Develop IT, RockHead games, Cleaver, Egalité, Home Manager, Máxima Performance, entre outras (sediadas no campus POA e Viamão).


Uma incubadora é um mecanismo de estimulo ao empreendedorismo na medida em que proporciona um ambiente e orientações que visam dar condições especiais  para o fortalececimento de suas empresas nascentes (StartUps e SpinOffs), tentando reverter os dados do SEBRAE que indicam que mais da metade das micros, pequenas e médias empresas, fecham suas portas até o terceiro ano de vida.

Uma incubadora não é babá, não é sócia e nem “realiza” pelas StartUps, ela apenas orienta e insere em um ambiente que proporciona às diferentes empresas que compõe seu ecossistema alguns benefícios singulares, especialmente a nível de networking, de troca de experiências, parcerias e geração de conhecimento. A execução é puro empreendedorismo, pelos reais protagonistas, que se souberem aproveitar este habitat, irão antecipar e acelerar sua trajetória.

As primeiras incubadoras brasileiras surgiram na década de 80 e segundo a Anprotec (Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos de Tecnologia Avançada), existem hoje no Brasil cerca de 150 incubadoras  Estima-se em cerca de 1.100 o número de empresas residentes nessas incubadoras, o que  representa a geração de cerca de 6.100 novos empregos.

É visível a posição de destaque que a região Sul e o nosso estado tem neste contexto, mais que isto, para qualquer empresa ou profissional do TecnoPUC, some-se a estas oportunidades o fato de estar em um dos melhores e maiores Parques Tecnológicos da América Latina, convivendo com empresas do porte das  multinacionais TW, DELL, HP, Tlantic, entre outras tantas Gaúchas de destaque … É pura nitroglicerina !!!

Clique aqui para ler sobre auto-organização entre profissionais do TecnoPUC.