Reflexão sobre PNL

Durante as palestras sobre PNL no encontro do GUAN/IIBA, algumas frases e conceitos eram as mesmas existentes em nossos treinamentos internos, baseadas em frases ditas por Albert Einstein, um gênio, por exemplo :

“Insanidade, é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes” e “Os problemas existentes não podem ser solucionados pelo mesmo modelo mental que os criou”.

A Programação Neuro-Linguistica se propõe a ser um importante instrumento no condicionamento em COMO se tornar aquela pessoa que alcança as próprias metas, manipulando e treinando os três componentes mais influentes envolvidos em produzir experiência humana: a neurologia, as linguagens e os padrões.

ENTENDIMENTO

Temos e usamos cinco sentidos – visão, audição, tato, olfato e paladar – que são registrados pelo nosso cérebro através do que a PNL chama de “representações internas”. Entretanto, na extensão de nosso cérebro, permanentemente travamos e registramos diálogos nossos com nós mesmos, sobre os quais temos pouco controle … ai que entra a PNL

Pelo que entendi, o que a PNL diz é que a totalidade das “representações internas”, tanto o registro de fatos externos, quanto nossos diálogos internos, gerador de pressuposições, abstrações, idéias, preconceitos, etc são gerados e geram padrões ou “programas” que se repetem (hábitos)

Apoiada na neuro-ciência, citando sinapses, conexões, uso e desuso de áreas ou pontos de nosso cérebro, oferece explicações para diferentes padrões em nosso cérebro, em especial a infinidade de ações que realizamos a cada dia, quase sempre no piloto automático, pois se repete sem variações, mas não só o óbvio e recorrente, mas como reagir no caso de uma fobia, ou exceção conhecida.

Estes padrões podem ser treinados e assimilados pela repetição, algo semelhante ao que os japoneses chamam de “Kata”, assunto que pude aprofundar em uma palestra do Eduardo Peres (DBServer) ocorrido em 2011 no TecnoPUC. A PNL explora linha semelhante, no COMO cada indivíduo cria e reproduz estes padrões, enriquecendo-os, manipulando-os a nosso favor, melhorando o futuro.

Conversamos com nós mesmos inconscientemente, o que a PNL propõe é trazer para a luz e tentar influenciar nossos pensamentos de forma positiva, “programando” padrões de pensamento e percepções que nos permitirão melhorar nossos resultados, quer sejam na vida pessoal ou profissional.

PNL e Hipnose têm uma relação muito estreita. Durante os trabalhos com PNL as técnicas de hipnose ajudam muito a alcançar os resultados desejados.

EXEMPLOS E EXERCÍCIOS

Apenas 7% de nossa comunicação provêm da palavra, 93% é não verbal. No exemplo que assisti na palestra do GUAN/IIBA, a palavra NÃO pôde ser proferida de uma dezena de maneiras em um minuto, mudando sua entonação, volume, velocidade, calor, sentimento, certeza, dúvida, alterando a expressão, usando as mãos e o corpo, … conectando mente, linguagem e comportamento.

A PNL busca provar que podemos nos auto-condicionar a responder melhor futuras eperiências, moldando o padrão correspondente, pensando em uma situação e buscando torná-lo mais leve, iluminado, seguro e bem-humorado. No exercício, imaginamos uma experiência frustrante em uma reunião e mentalizamos ele com as características acima, voltando no tempo e imaginando que assim acontecerá em futuras reuniões.

A PNL sustenta que há padrões corporais, expressões faciais e movimentos que estão conectados a nosso cérebro e que mesmo se tentarmos quebrar, teremos muita dificuldade em fazê-lo,

1. Olhe para cima, sorria, levante seus braços e… tente ficar deprimido.
2. Baixe a cabeça, olhe para baixo a direita, curve seus ombros e fique alegre.
3. Ao invés de dizer “Eu não posso…” tente dizer “E se eu pudesse?”

Palestras de motivação como do Shinyashiki, Bernardinho, etc, são um show de PNL, cada frase, cada desafio mental ou físico tem um objetivo, que nos faz uma reprogramação subliminar, mesmo que não saibamos o que é PNL. O objetivo é mudar nossos hábitos, conscientemente, reprogramando-nos a reagir de outra forma, desconstruindo hábitos e substituindo-os por novos.

CONCLUSÃO

A PNL mostra quão importante é entender que cada interlocução será mais efetiva se adaptarmos o meio utilizado ao receptor, algumas pessoas são mais auditivas, outras são visuais, algumas cinestésicas (sensações), em uma palestra devemos usar todos os meios, de forma equilibrada, para atingirmos o melhor resultado.

A PNL é para todo o dia, para todas as pessoas, mas podemos imaginas ganhos especiais em equipes que lidam com o público, em vendas e atendimento, na análise de negócios, em reuniões com clientes, palestras e apresentações, etc.

Finalmente, temos diferentes níveis de percepção e entendimento, chamados de “estados de recursos interiores”, que devemos desenvolver, ficando assim mais consciente de cada momento presente de nossas vidas :

Um comentário sobre “Reflexão sobre PNL

  1. Pingback: Um ano e meio de blog – Obrigado galera! | Jorge Horácio "Kotick" Audy

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s