Um bom Programa de Replicação pode surpreender você

Muitas empresas possuem um orçamento mínimo para eventos simplesmente porque não percebem ganhos reais no curto prazo. Usualmente temos três opções, podemos ficar reclamando, podemos nos acomodar ou então tentar juntar a galera e montar em conjunto uma proposta de participação com alto valor agregado à organização e a todos os envolvidos.

Eu defendo e implemento em empresas um programa que chamo de PROGRAMA DE REPLICAÇÃO. A pior coisa que pode acontecer é uma empresa mandar profissionais a eventos e o máximo que recebe em troca é um “estava muito bom!”. É obrigação moral do profissional e da empresa gerarem o máximo de valor a cada investimento em eventos, atingido somente se compartilhado entre todos.

1°) Planejamento é dinheiro

Muitas empresas não marcam presença nem em grandes ou mesmo pequenos eventos porque não se planejam, deixam tudo para a última hora, perdem as inscrições Early Birds, pagam taxas full de passagens e de hotel.

No início de cada semestre reúna a galera, mapeie os eventos possíveis, discutam quais os que agregam maior valor e porque, qual o custo e logística. Também é preciso ter um plano de participação, quem vai em qual evento e porque.

Lembre de incluir custo de viagem conforme localização, avião, ônibus, material, refeições, translados. Não seja simplista, faça um bom brainstorming, antecipar-se é igual a reduzir custos e é a diferença entre ir ou não ir.

Lembre de instigar na galera um bom Agile Subway Map, um bom mapa de competências, porque cada evento pode agregar de forma equilibrada no hoje e amanhã da empresa, equipes e profissionais … se todos tiverem um bom plano de carreira, de time e de competências essenciais da organização … todos ganham!

2°) Participe de verdade

Primeiro pense se você ou colegas possuem o que compartilhar em uma talk, lightning talk ou workshop, porque compartilhar é uma forma de aprender ainda mais e gera muita visibilidade para a empresa e para o palestrante.

Segundo, evite ir, asistir e voltar apenas, exija de você fazer o máximo de registros, fotos, anotações, pegue material e brindes, registre em vídeos. É inadmissível, inaceitável um profissional ir a um evento e voltar de mãos abanando.

3°) Replique o melhor

Comprometa-se com seus colegas e empresa, de forma que ao retornar possa realizar uma ou mais palestra relatando tudo o que de legal vistes por lá. Compartilhe tudo, desde networking, técnicas, bibliografia, agile games e tudo o mais … faça com quem não foi poder se sentir como se tivesse ido 🙂

Algumas empresas já praticam estes programas, porque se houver este acordo o custo x benefício de mandar profissionais é extremamente positivo. Os ganhos de programas desta natureza é benéfico para todos e garante crescimento e insights valorosos a todos e não só a quem foi, que muitas vezes gerava puro desperdício.

4°) Atrair, desenvolver e reter

As empresas criativas, inovadoras, ágeis, não só participam ativamente e geram muito valor em cada participação, como organizam e apoiam eventos. O custo destas iniciativas atraem a atenção de novos talentos, incentivam o desenvolvimento da sua galera e retém bons profissionais.

Curto muito aquela brincadeira em que um líder fala para outro: “Mas se nós enviarmos a galera para eventos e eles decidirem IR embora?”, enquanto o outro responde: “Mas se não mandarmos e não incentivarmos o crescimento, e eles decidirem NÃO ir embora?”.

O Deli Matsuo da Google e hoje da Appus disse uma coisa muito legal em uma palestra em 2012, mais ou menos assim – “Não queremos pessoas que queiram apenas se aposentar onde estão, queremos pessoas com sonhos e empenho em ir além, isso é um problema bom, porque enquanto estiverem ali farão muito além do esperado e se um dia crescerem tanto, é um problema bom, porque eles terão revolucionado onde estavam e mesmo se o perdermos para o mercado, deixará um legado de inovação, em fazer a diferença!”

eventos-2017

Dá uma olhada na minha página de eventos, tudo que fico sabendo vai pra lá, alguns eu organizo, como TTalks, outros ajudo a disseminar como os GU’s da SUCESU, vários deles eu submeto e participo e outros tantos eu curto. Pena, mas não dá para ir em todos – https://jorgekotickaudy.wordpress.com/agenda/

Fiz um post em 2012 sobre 12 princípios para começar a organizar pequenos eventos ágeis – https://jorgekotickaudy.wordpress.com/2012/11/01/doze-sugestoes-para-organizacao-de-eventos-ageis/

Opinião: A maioria das empresas e profissionais alimentam dia-a-dia a sua própria Alegoria da Caverna. Platão filosofou que não interagir com o “mundo exterior” nos faz ter um entendimento reduzido e míope do mundo, de quem somos e o que poderíamos ser. Investir na interação em GU’s e CoP’s, eventos e comunidades é a real execução, é Kaizen, é Gemba, porque senão é fácil dizer que somos bons em algo, mesmo não sendo nem “sombra” do que poderíamos ser …

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s