0

25/11 – DB ToolBox Wall

Tive a oportunidade de criar um mural de técnicas do Toolbox Wall na DBserver no Sábado de 25/11/2017 com mais de 80 boas práticas para ciclos iterativos-incrementais de ideação, modelagem, validação, planejamento, construção e aprendizados. Com técnicas oriundas de métodos e frameworks, tradicionais e ágeis, do Design Thinking, Lean Startup, Scrum, Kanban, Art Of Hosting, de variadas formas e dinâmicas. O objetivo é ser um apoio a gestão do conhecimento, provocar o interesse em novos aprendizados, compartilhamento de boas práticas.

Venho compartilhando no blog e no livro a anos, em 2017 chegou a vez do jogo Desafio Toolbox, chegar ao Toolbox Wall foi tão somente uma consequência natural, uma forma de trabalhar em grande escala aquilo que muitos resultados vem trazendo pelos outros meios. Em grande escala temos um mural de oportunidades, selos, avatares, dicas, informações organizacionais e muito mais.

Agradeço a participação do Claudio Dias Junior que apareceu mesmo por meia hora para interagir, Henrique Geremia Nievinski da Data Science Brigade, galera que conheci quando o Cabral lançou o Serenata e fui eu ler mais sobre essa galera de Data Science, Augusto Rückert do ZAP, tecnotalker de longa data, colega da Mayra no ZAP, Kênia Martins Couto da Atmosfera Social, o parceiraço Taner Pereira do Sicredi, na mesma vibe do colega e tecnotalker Rodrigo Murari Severo, ao parceiraço Thiago Mulek e a surpreendente arquiteta Samara Fonseca, que tem alma de TI, porque pegou junto do começo ao fim. Todos ganharam um baralho, minha forma de agradecer a parceria.

Eles escolheram três técnicas, que praticamos como exercício – Lean Startup, UX Value Proposition e Impact Mapping. Em pouco mais de uma hora, exercitamos técnicas de modelagem, ideação/empatia e de user storing, rendendo uma boa percepção do potencial de uso destas e das outras técnicas, onde o conceito principal é aprender fazendo, porque a prática é o melhor professor.

2

Keep Talking and Nobody Explodes

Nesta sexta, dia 24 as 19:00 tem Oficina de Retrospectiva com Keep Talking and Nobody Explodes. Ana Carolina Hermann e a Isa Giongo esperam vocês com uma dinâmica de retrospectiva muito disruptiva, utilizando Keep Talking and Nobody Explodes. Um jogo cooperativo em que a equipe precisa desarmar uma bomba. É um jogo pedagógico para todos, em qualquer contexto e o objetivo é aprendizado conjunto.

24/11 – 19h as 20h – Pr 99A (Tecnopuc), 5° andar, DBServer, vagas limitadas

Inscrições: https://goo.gl/bAiKZs

2

No TDC POA 2017 falei sobre o SSC e DJM

No dia 11/11/17 tive o prazer de participar novamente da trilha Agile do TDC Porto Alegre, ano passado da abertura e este ano com o encerramento. No ano passado fiz uma palestra provocativa sobre Agile Transformation, este ano sobre a necessidade de materializar nossa estratégia e tática, metodológica, tecnológica e humana.

TDC POA 2017 – SSC & DJM

Scrum Setup Canvas – Antes de entrar em um planejamento de releases e suas sprints é preciso materializar aquelas informações que o excelente Project Model Canvas do Prof Finocchio nos oferece como termo de abertura. É essencial estabelecermos parâmetros como pontos de atenção do mapa de tecnologia, formato, DoR e DoD, sprints e etc:

Doc Journey Map – Pesquise e analise as boas práticas sobre artefatos e documentação, mas faça isso para subsidiar uma análise crítica sobre a sua realidade, cultura, tecnologia e pessoas. Para cada documentação utilizada ou desejada é possível fazer um canvas A3 discutindo a origem, sustentação e destinação, seu custo x valor x benefício:

Sobre estes artefatos, tenho outros posts, vídeos e manual de uso:

02/04/17 – Spoiler da minha palestra para o Agile Trends
13/04/17 – Vídeo de  25 min no Agile Trends
07/06/17 – Versão pdf tamanho A3 para impressão
31/07/17 – Agile Trends Gov – Relato do evento
30/08/17 – Guia de uso para o SSC
06/09/17 – Aprenda com sua documentação

Tenho uma foto logo após minha palestra com parte da galera que assistiu com os coordenadores da trilha:

0

Um TecnoTalks antológico: People Analytics – By Andreza Deza

O link para inscrição ao próximo TTalks, idealizado pela Andreza Deza, sobre People Analytics é – https://lnkd.in/dTV2n-X

“O people analytics é a expansão da fronteira da ciência e tecnologia para a área de gestão de pessoas” – Deli Matsuo, CEO Appus.

“As organizações que estão abandonando seus programas de talentos tradicionais para abraçar a gestão estratégica de pessoas não só estão se tornando líderes, como também muito desejadas pelos grandes talentos no mercado” – Todd Randolph e David Costar – KPMG.

“Quando usamos dados para entender os comportamentos dentro do ambiente de trabalho que tornam as pessoas eficientes, felizes, criativas, especialistas, líderes, seguidores, enfim, estamos usando People Analytics” – Ben Waber – CEO Humanyze.

0

Laços Afetivos e o Mistério do Colégio Alipus

No primeiro dia da 63ª Feira do Livro de Porto Alegre tem sessão de autógrafos da Duda e Caroli sobre o Mistério do Colégio Alipus, mas uma hora antes vai haver um debate sobre Laços Afetivos, o valor e oportunidade de trabalhos entre pais e filhos ou mesmo entre adultos e jovens.

Como chefe escoteiro tenho a crença e valores de que é nosso dever apoiar o desenvolvimento de crianças e jovens, no ritmo deles, seguindo a linha da maiêutica socrática, partindo do seu eu interior, um prisma uno proposto por Piaget, onde cada ser possui o seu caminho a trilhar.

O desejo de somar habilidades e conhecimentos, tanto quanto sonhos, ideias, ideais e networking, nos faz cada um de nós perceber potencial e oportunidades diferentes para pessoas diferentes, não só em meios e técnicas, mas prazer e satisfação, ritmo e pertença … isso vale o mundo!

Vem pra feira participar deste debate a partir das 17:00 e da sessão de autógrafos com a Duda e o Caroli a partir das 18:00, será um grande momento para falar de vida, família e desenvolvimento humano em sua forma mais primária, entre pais e filhos.

laços afetivos

23131902_1681342261918717_2497592602513116335_n

22894099_1681342295252047_526061579711309068_n

Este foi o tema do TecnoTalks Pais & Filhos deste mês (10/2017) com a participação da Duda, Caroli e algumas dezenas de pais e filhos exercitando em oficinas estes conceitos – https://jorgeaudy.com/2017/10/01/ttalks-pais-filhos-um-dia-de-muita-interacao/

A seguir a grade completa do primeiro dia de autógrafos da 63ª feira – http://www.feiradolivro-poa.com.br/autografos/02-11/

14h30 Como eu imagino você – Pedro Guerra
14h30 Estrelas a brilhar – Maria GJ Oliveira, org.
14h30 Por que os adultos choram? – Dudlei F Oliveira
15h30 Recortes On/Off Line – Carlos Badia
15h30 A arte de ser infeliz – Nelio Tombini
15h30 Primum em terra de Samurai – Vivi Costa
16h00 Transformação: vivências do PET – Cristiane Gessinger
16h30 Aprendendo com o cavalo – José Luiz Jorge
16h30 Como será o passado? – Caroline S Bauer
16h30 Gosto de infância – Lela Mayer e Joana Cões
16h30 Nommés à margem – Tulio H Pereira
16h30 O gigante invisível – Eduardo Pires
16h30 Contos de crianças – Lúcia RL Rosa
17h30 Bernadet 80 – Ivonete Pinto
17h30 Jogando com os pés – Elio Carravetta
17h30 Na língua da manhã silêncio e sal – Juliana Meira
17h30 Senhor Gelado e outras histórias – Igor Natusch
17h30 1499 – Reinaldo José Lopes
17h30 Empreend. feminino – Letícia Hoppe e Ionara Rech
17h30 A mochila da Camila – Gládis MF Barcellos
17h30 A saia da Carolina – Lela Mayer e Joana Puglia
18h30 Quando ninguém educa – Ronai Rocha
18h30 O transgressor – Paulo Ribeiro
18h30 O mistério do Colégio Alipus – Duda Chaieb e Paulo Caroli
18h30 Pegadas da gratidão – Élio Meneguzzo
19h Caderno de Literatura 26 – Vários autores
19h30 Ética Protestante – Silvio M. Lopes
19h30 Expresso 25: 50 anos – Angélica Bersch Boff
19h30 Menarca a primeira menstruação – Rejane Constante
19h30 Metodologia para o sucesso – Rafael Vasconcelos
19h30 Cais do alheio – Deisi Beier

4

Mais desafiador que lightning talks – Pecha Kucha (20 x 20) e Ignite (20 x 15)

O debate de que participei no último Congresso do PMI-RS foi baseado em palavras sugeridas pelos participantes, gerando opinião e réplica em média de 5 minutos cada, me fez recordar da vontade de participar de um evento Pecha Kucha ou Ignite, ambos com palestras 20×20 ou 20×15.

São Lightning Talks usando slide shows com avanço automático de 20 slides, cada um deles por apenas 15 ou 20 segundos? Palestras relâmpago com total de 5 a 6,6 minutos em que o palestrante tem que acompanhar, falar o que precisa ser dito de forma assertiva.

Eu lembro quando o Agile Trends trouxe a proposta de palestras de 18min, contrastando com o formato tradicional de 50min, mas com a oportunidade de outro tanto para perguntas e respostas a cada bloco de duas Trend Talks de 18. Oratória é uma arte, exige prática!

Pecha Cucha (20 slides + 20 seg cada = 6,6 min)

É um formato de apresentação em slideshow contendo 20 slides com 20 segundos cada, o palestrante fala enquanto as imagens avançam automaticamente. Criado pelos arquitetos Astrid Klein e Mark Dytham, a primeira edição aconteceu em 2003 na cidade de Tóquio em uma galeria, não encontrei registro de Pechas Kuchas aqui por perto – http://www.pechakucha.org

Diferente de muitas propostas oriundas da tribo de TI, empreendedorismo, inovação e startups, um formato usado por eventos e palestrantes de todo tipo, o primeiro foi o Pecha Kucha que nasceu entre arquitetos e ganhou o mundo com essa proposta que mistura objetividade e  atenção, porque a psicologia nos mostra que palestras longas tem difícil retenção e aproveitamento.

Ignite Talks (20 slides + 15 seg cada = 5 min)

São eventos realizados nas principais cidades do mundo, cada palestrante usa um slideshow de cinco minutos através de 20 slides com 15 segundos cada. O primeiro Ignite foi realizado na cidade de Seattle em 2006, idealizado por Brady Forrest, sua organização Ignite Talks possui como missão disseminar e apoiar eventos Ignite em todo o mundo e promover o habilidade de oratória. No site da Ignite Talks consta a cidade catarinense de Florianópolis como promotora – http://www.ignitetalks.io/events. Não é para tudo, mas é um formato tão desafiador quanto eficaz.

0

Um debate diferente no 14º Congresso do PMI-RS

Dando uma navegada dominical, vejo que a foto do meu debate sobre convergência Agile e gerenciamento tradicional de projetos com o Leandro Vignochi no último Seminário PMI-RS está na capa do evento … aí não pude deixar passar e vou registrar aqui no blog este privilégio.

Esta foi a minha quarta participação, contando com duas palestras, um relato de caso sobre adoção SCRUM e uma pareando com meu eterno guru Paulo Caroli sobre Team Building Games, dois workshops, sobre SCRUM e PDCA, mais este debate diferentão e provocador.

O formato foi muito instigante, baseado em palavras avulsas, algumas propostas pela platéia – auto-organização, lógica, construção, essência, negentropia, propósito – com ótima mediação conduzida pelo Juliano Freitas da Silva.

Um bom debate, com direito a interação com a platéia, com perguntas e sugestões, não sobre um tema definido, mas palavras que nos remeteram a diferentes interpretações, com um saboroso feedback corpo-a-corpo após o encerramento.

Menções honrosas a participação e contatos feitos com profissionais de grandes empresas com quem interagi desde que vim para a DBServer, como da Grendene, Sicredi, GVdasa, HCPA, PUCRS, Banrisul, entre outros, com quem rolou uns papos-cabeça.

Não é um evento qualquer, é um dos maiores eventos sobre gerenciamento de projetos da América Latina, a mais de uma década, já na sua 14ª edição ele reune entre 500 e 1000 profissionais, muitos deles de TI, sempre com grandes nomes nacionais e internacionais.

A página oficial do evento deste ano é http://www.congresso.pmirs.org.br, a seguir faço uma retrospectiva das minhas participações anteriores.

2012 – O primeiro apresentei um story telling sobre o case de adoção SCRUM que realizamos na equipe de produtos digitais do Grupo RBS. Um relato a partir da volta do Agile Brazil de Fortaleza em Julho/2011, plano de ação, treinamento de 74 colegas, a atuação como Scrum Master. Acertos e erros, os detalhes e características de uma adoção de sucesso. Publicação de um artigo deste Blog, sobre Ser Feliz! no trabalho e na carreira, na NewsLetter do PMIRS:

       

2013 – Naquele ano, tive o privilégio de ministrar um curso de SCRUM e de parear com o grande Paulo Caroli em uma palestra sobre os fundamentos do Gamestorming como instrumento de trabalho no desenvolvimento de times de desenvolvimento de software. Quais os princípios comuns utilizados em momentos e cotidiano de um time ágil para gerar um ambiente instigante e energizado:

game2game1imagem 32
curso

2014 – Este ano falei sobre a relevância de levar para as áreas usuárias, de negócios e corporativas as boas práticas e crenças que usamos nas nossas equipes ágeis. Isso, porque técnicas colaborativas e auto-organizadas de visão, planejamento, execução, acompanhamento diário, checagem e aprendizado não é e não originou-se na TI, está na hora de disseminarmos para todos.

10689872_10202292215338624_6592253085703391183_n4