0

Repaginando – Criatividade e Inovação

Peça a cada membro da equipe que tragam algo que utilizem com certa frequência e que esteja sobre a sua mesa de trabalho. Apenas diga que farão um exercício em que precisarão de algo útil do cotidiano de cada um.

Ao iniciarem o jogo, explique que estes objetos são as oportunidades de mercado e eles próprios serão os clientes a serem entrevistados. O objetivo é usar de seus conhecimentos sobre os itens para escolher aquele que maior potencial tem para desenvolver um produto inovador que o substitua.

Devem analisar as deficiências e pontos fortes, suas oportunidades e restrições, para então fazer um brainstorming focado em definirem um novo nome, logotipo, slogan e abordagem para marketing do novo produto.  Dado um tempo de 15 minutos, ofereça 2 minutos de apresentação de seu planejamento, ao final propondo que todos votem nos melhores produtos e planos.

PRINCÍPIOS: Uma oportunidade de exercitar a ideação, criatividade, inovação, no desafio de ver produtos reais em seu potencial de aprimoramento ou revolução.

DICA: Não é incomum cada equipe escolher um problema real, eventualmente boas ideais surgem, que merecem ser consideradas em um contexto prático de mercado.

0

Benchmark

É mais que analisar a concorrência, é tirar o máximo de proveito dos dados, informações e conhecimentos disponíveis sobre qualquer fonte, física ou virtual, primária ou secundária. No Design Thinking é a Pesquisa Desk, o Gartner oferece uma ideia de quadrante mágico, um eixo de inovação e execução, mas com frequência usamos planilhas comparativas de features, pontos fortes e fracos, valores e recursos necessários.

Ludicamente, é como um arquiteto ou estilistas que busca inspiração nas artes, nas ruas, revistas, hoje em dia a web é ponto de partida para tudo, mas com o cuidado de não se limitar, porque o mundo real desperta outros sentidos e percepções … eles chamam de repertorizar. Benchmark é evitar tentar reinventar a roda.

Se você teve uma ideia, o primeiro passo é pesquisar e ver quem mais a teve, a quanto tempo, quantos produtos semelhantes já estão no mercado, quais seus pontos fortes e fracos, características e estratégia adotada por suas empresas, matriz de funcionalidades, comercialização, …

Significado: “Benchmarking é um processo de comparação de produtos, serviços e práticas empresariais, e é um importante instrumento de gestão das empresas. O benchmarking é realizado através de pesquisas para comparar as ações de cada empresa. Tem o objetivo de melhorar as funções e processos de uma determinada empresa, importante aliado para vencer a concorrência, uma vez que analisa as estratégias e possibilita criar e ter ideias novas em cima do que já é realizado.”

Sempre que já existem opções, como sistema atual, alternativas, concorrentes, é preciso conhecê-los e compará-los, quer seja para não cometer erros conhecidos, como para inspirar-se naquilo que o mercado já confirmou ou rejeitou. Abaixo algumas matrizes comparativas para efeito de ilustração, entretanto benchmark pode vir na forma de um relatório ou fichas descritivas:

1

Workshop ToolBox 360° e Jogos 360º para empresas

A partir do dia 26/06/18 estarei disseminando alguns dos meus Workshops 360º “In Company”, o de Toolbox e o de Jogos, em empresas, condomínios, startups, exclusivo a colaboradores ou integrantes, mas se houver preferência podem ser abertos como tenho feito desde o lançamento do jogo Desafio Toolbox.

Vários amigos, companheiros de viagem que hoje estão em outras cidades e outros estados me cobram a possibilidade de participarem dos workshops, esta é a maneira que encontrei. Aqui em POA tenho rodado nos Sábados e alguns a noite, mas posso bloquear um dia de semana de tempos em tempos.

O workshop ToolBox 360° pode ter um foco mais generalista ou um mais dirigido a projetos de SW em Scrum ou Kanban, envolve o livro, o jogo e a técnica de Toolbox Wall, mas tem também o workshop Jogos 360º (Team Building Games) inclui um mural, alguns livros, muito compartilhamento e práticas.

No caso de interesse, preencha o form que entrarei em contato – https://docs.google.com/forms

Wokshop Wall In Company

Um programa pessoal de disseminação e compartilhamento destes conteúdos, cada workshop terá 4Hrs, podendo ser manhã, tarde ou noite, em dia a combinar, para até 25 pessoas, com start de murais de boas práticas para gestão do conhecimento, livros e/ou tabuleiros/baralho para uso.

Se for em outro estado ou no interior do RS, teremos que ver quais seriam os custos de deslocamento e diária (hospedagem/alimentação), se for o caso. No caso de viagem, haverá também a necessidade de alinhamento de agendas, porque aqui em POA é só deslocamento interno em um turno – manhã, tarde ou noite.


Aposto no conceito de cada profissional, times e empresa no século XXI são percebidos pela sua caixa de ferramentas. O jogo Desafio Toolbox e a técnica Toolbox Wall são ferramentas vivas de Gestão do Conhecimento, 100% orgânicas para introdução, aprendizado e disseminação de boas práticas em empresas de qualquer porte.

São mais de 120 técnicas, dinâmicas e boas práticas dedicadas a todas as disciplinas exercitadas por profissionais e times cotidianamente, para estratégia, ideação, modelagem, validação, planejamento, especificação, execução e melhoria contínua, oriundos do Lean, Agile, Design Thinking, Art Of Hosting, PMBOK e outros mais.

Modalidade Aberta – Valor por pessoa e cada um ganha um livro ou tabuleiro/baralho a escolha;
Modalidade Fechada – VALOR FIXO com start do mural(is) e pack de 3 livros e 3 tabuleiro/baralhos.

No caso de interesse, preencha o form que entrarei em contato – https://docs.google.com/forms

O que é Toolbox Wall? – toolbox-wall/
Workshop 02/06 – workshop-toolbox-360o-de-02-06-2018/
Workshop 19/05 – workshop-toolbox-360o-de-19-05-2018/
Workshop 18/03 – mais-um-desafio-toolbox-e-toolbox-wall/
Workshop 02/02 – toolbox-360-com-a-galera-da-umbler-e-redehost/
Workshop 25/11 – 25-11-db-toolbox-wall/

O universo de Team Buiding Games é dividido em múltiplos tipos de jogos, mas podemos inicialmente percebê-los como Icebreakers (agitados, abertura, integração), Warm Ups (introdução, reflexivos, interpretativos) e jogos voltados a educação, ao aprendizados ou fixação de temas como Agile Games (Scrum, Kanban, Lean).

Não é um treinamento, muito menos é estático, é uma oficina interativa que envolve uma base de mais de 100 jogos, customizada a cada contexto e necessidade conforme percepção acordada de valor, com exercícios ilustrativos, por amostragem ou completos com foco no debate sobre fundamentos, preparação, execução e aproveitamento.

Modalidade Aberta – Valor por pessoa e cada um ganha um livro com encarte;
Modalidade Fechada – VALOR FIXO com um pack de 5 livros com os encartes.

No caso de interesse, preencha o form que entrarei em contato – https://docs.google.com/forms

O que é Jogos 360°? – https://jorgeaudy.com/jogos-360/
05/04/12 – Retrospectivas –  04/04/12 – Pacto de Equipe
25/04/12 – Dinâmicas Retrô – 23/05/12 – Retrô Ao ar livre
30/09/12 – dinâmicas Parte 1 – 02/10/12 – dinâmicas Parte 2
21/07/15 – Regras gerais sobre Team Building Games
06/03/17 – Um novo jogo equivale a escrever um livro

No caso de interesse, preencha o form que entrarei em contato – https://docs.google.com/forms

2

Gamification Model Canvas

Basicamente trata-se do uso de técnicas típicas de jogos em outros contextos, visando fomentar engajamento, interesse, participação, pertença, conquistas, recompensas, etc. Tudo isso para a geração de um ambiente ou contexto mais lúdico, divertido, engajado, consciente ou inconscientemente.

gamification

Agile Thinking e Game Thinking são novos modelos mentais, uma visão holística que nos desafia a sermos mais sustentáveis, Human Thinking afinal, mas mesmo empresas não dispostas a mudar podem sim mitigar suas dificuldades em inovar, superar-se, os dois são relativamente fáceis de adotar.

O Canvas ajuda a modelar a aplicação de mecanismos de jogo visando envolver as pessoas em um contexto que não é um jogo:

GMC

http://www.gameonlab.com/downloads/gamification_model_canvas_poster.pdf

  • Receitas: Descreva o retorno econômico ou social;
  • Jogadores: descreva quem e como são as pessoas;
  • Comportamentos: A desenvolver nos jogadores;
  • Aesthetics: As respostas emocionais desejáveis;
  • Dinâmica: Comportamento em tempo de execução da mecânica que atua sobre o jogador ao longo do tempo;
  • Componentes: Elementos ou características do jogo;
  • Mecânica: Regras do jogo para criar as dinâmicas;
  • Plataformas: Onde implementar a mecânica do jogo;
  • Custos: Os principais custos ou investimentos.

O melhor post que encontrei sobre o assunto é do próprio autor – Sérgio Jimenez – https://www.gamasutra.com/blogs/SergioJimenez/20131106/204134/Gamification_Model_Canvas.php

Sei de empresas aqui no TecnoPUC que se utilizam de Gamification para gerar sinergia, com ranking baseado em atividades e desafios que vão acontecendo no transcorrer de cada mês, com participação de todas as suas equipes e premiações de tempos em tempos.

Também conheço cases em que os pontos conquistados por variadas questões e origens, oriundos do próprio trabalho ou excepcionais, divertidas, que valorizam interação, empatia, sinergia entre as diferentes áreas da empresa e geram ao final destaque, visibilidade ou mesmo prêmios reais.

0

Google Design Sprint

Design Sprint é um framework de cinco fases que ajuda a responder questões críticas do negócio através de prototipação rápida e testes de usuários. Permitem que sua equipe gere rapidamente hipóteses, aprendizagem, validações e produtos. O processo ajuda a inovar, incentivar o pensamento centrado no usuário, alinhar sua equipe sob uma visão compartilhada.

O Google propôs em 2010 após estudar no Google Ventures 300 estratégias de negócios, pensamento de design e métodos de pesquisa de usuários de lugares como IDEO e Stanford Design School. Desenvolveram assim uma estrutura que apoia o pensamento divergente (brainstorming criativo que resulta em várias soluções possíveis) e o pensamento convergente (usando etapas lógicas definidas para chegar a uma única solução).

Segundo a Google: “É um framework de cinco fases que ajuda a responder questões críticas do negócio através de prototipagem rápida e testes de usuários. Os Sprints permitem que sua equipe atinja metas e produtos claros e obtenha aprendizados importantes rapidamente. O processo ajuda a inovar, incentiva o pensamento centrado no usuário, alinha a equipe sob uma visão compartilhada e os leva ao lançamento do produto mais rápido.”

Já é largamente utilizado no mercado, proposto pelo Google em 2010, incentivado pelo Google Ventures, pesquisando profundamente métodos e conceitos propostos pela IDEO e Stanford Design School. O foco é alternar pensamento divergente (brainstorming criativo que resulta em várias soluções possíveis) e convergente (usando etapas lógicas definidas para chegar a uma única solução).

https://designsprintkit.withgoogle.com/

0

14/05 – Martin Spier no Meetup de Arquitetura

No dia 14/Maio próximo haverá o 3º Encontro do MeetUp de Arquitetura de TI de Porto Alegre, contando com uma palestra singular sobre a ARQUITETURA DE ALTA PERFORMANCE pelo olhar de Martin Spier, Engenheiro de Performance da Netflix.

Inscrições em https://www.meetup.com/pt-BR/Arquitetura-de-TI-Porto-Alegre/events/250147759/

Martin foi aluno de Ciências da Computação na Escola Politécnica da PUCRS, enquanto ainda chamávamos de faculdade de Informática, entre os anos de 2002 e 2008, a partir de então desenvolveu uma meritória carreira internacional.

31347344_182429229074396_5843184465110630400_n

Martin Spier, segundo ele próprio, é engenheiro de desempenho na Netflix, a maior rede de televisão baseada na Internet do mundo e a maior fonte única de tráfego de internet na América do Norte. Ele diz que tenta enriquecer seus dias tentando tornar o Netflix o mais rápido, eficiente e resiliente possível, desde o seu client para iPhone até o sistema operacional que alimenta todos os seus serviços.

Performance Engineer na Netflix, CTO da HandsOn.TV, empreendedor, aventureiro, viciado em viagens e música eletrônica.

Ele é co-fundador e CTO da HandsOn.TV, uma plataforma de vídeo global para descobrir, aprender e compartilhar conteúdo com espírito empreendedor cuidadosamente selecionado. A empresa e sua solução parte da crença de que a mentalidade empreendedora pode mudar o mundo para melhor, tendo em vídeos o melhor formato para divulgá-la!

Dando uma rápida navegada encontramos números gigantescos, em certos horários a Netflix é responsável por um 1/3 do tráfego de Internet entre consumidores na América do Norte, operando com sua própria rede global de servidores de armazenamento e entrega de streaming. Com inteligência, cada servidor aproveita horários de baixa para cachear aqueles filmes que serão os mais assistidos. Privilegiando software aberto e hardware desenvolvido especialmente para este armazenamento e entregas, são PetaBytes distribuídos em dezenas de localidades, cada nodo suportando milhares de streamings simultâneos.

0

Uma solução “Para todos nós”

Recentemente tive a oportunidade de conhecer o pessoal da 4All e da Uhuu, onde reencontrei ex-colegas, ex-alunos e grandes nomes da comunidade Startup do RS e Brasil. No salão de eventos ali na Furriel pudemos bater um papo sobre Agile, equipes, projetos, operações, princípios e pessoas.

Não há brasileiro ligado em tecnologia, inovação e empreendedorismo que não tenha ouvido falar do lançamento da 4All, startup com a grife do fundador da GetNet, José Renato Hopf. O desafio é ter um grande mix de funções em um só app – estacionamento, restaurante, serviço, transporte, eventos, esporte, etc.

É só baixar, tenho ele no meu celular a bastante tempo!

O argumento é convergência e escala, o meio é tecnologia e disrupção, a facilidade é uma experiência única e de valor, com uso intensivo de ferramentas de geo, machine learning, segmentação, computação cognitiva, etc. Para isso, conta com grandes nomes da TI e da comunidade de startups e empreendedorismo.

Em pauta a difusão e consolidação de uma cultura vibrante baseada em novos paradigmas profissionais esperados para o século XXI, mindset e princípios Lean, frameworks que vão desde Lean Startup, Scrum, Kanban. Foram bate-papos com muita interação, sem receitas ou amarras, buscando alinhar vivências e percepções de todos.



Teve inclusive um convite para a galera ir em um Sábado ao TecnoPUC exercitar o conceito de Toolbox Wall, quando trocamos presentes, eu ganhei uma camiseta do meu Grêmio com patrocínio da 4All e eu ofereci um kit do Desafio Toolbox.

Agradecimento, um dos guris sugeriu a digitalização das cartinhas com mergulhos, provocação que foi a gênese do blog Toolbox360graus dedicado a (hoje) mais de 120 técnicas e boas práticas. Essa iniciativa fechou um ciclo, pois tudo começou com o blog, que virou livro, que virou workshops, que virou um Agile Game, que virou uma técnica de GC, que virou um novo blog, agora especializado. \o/


São rodadas de alinhamento metodológico, um papo multilateral com grupos multidisciplinares, duração de um turno, sempre muito interativa e pragmáticas, baseada em diferentes modelos, paradigmas, disrupção, papo-cabeça mesmo, divertido e descontraído.

  • Histórico
  • Motivadores
  • Lean Thinking
  • Empresa & Carreiras
  • Frameworks
  • Toolbox
  • Scrum
  • Kanban
  • ScrumBan

Quer na Furriel ou TecnoPUC, a gente dá uma bagunçada no espaço, formando ilhas ou em espinha de peixe, sem a necessidade de cumprir um roteiro, com liberdade de derivar, focar e desfocar. Galera pilhada, querida, com muita sinergia e paixão, amo muito tudo isso!