0

Jogo de Torre de Hanoi

Uma dinâmica de grupo, executada colaborativamente, ou uma competição entre equipes que terão que usar de sua inteligência para mover uma pilha de cinco ou mais objetos entre três torres. Vence quem cumprir o desafio mais rápido.

Temos três posições, sendo que apenas a primeira possui uma pilha de objetos de tamanho crescente, quanto mais próximo do chão, maior o objeto, formando uma espécie de cone.

Faça um círculo de um metro ou dois ao redor das posições com as peças e esclareça que apenas UM jogador pode entrar por vez e todos devem jogar antes do mesmo retornar a mover outra.

O desafio da Torre de Hanoi é mover a torre da primeira posição, passando para a segunda ou terceira, remontando a pilha na terceira, uma peça de cada vez, onde cada movimento leva uma peça para uma nova posição, podendo ir para frente ou voltar para trás. O desafio é NUNCA colocar uma peça maior sobre a menor.

PRINCÍPIOS: Argumentação, raciocínio matemático e espacial, um desafio de trabalho em equipe contra o tempo.

DICA: Mesmo se alguém resolver o exercício sozinho, vai precisar explicá-lo claramente a sua equipe para que movam as peças certas, uma após a outra.

0

Jogo das Formigas e dos Cupins

Um quebra-gelo rápido e de muita estratégia, onde uma equipe defende e a outra ataca. A bola pode ser de handball ou uma de rúgbi para tornar mais difícil e divertido. Desenham-se dois círculos concêntricos, com um metro e seis metros de diâmetro.

No centro do círculo pequeno, coloca-se pelo menos uma garrafa PET cheia d’agua: uma equipe será as formigas e defenderá o formigueiro e sua rainha (garrafa), as formigas não podem sair do espaço delimitado entre o círculo pequeno e o grande.

A outra equipe será os cupins e ficará do lado de fora dos dois círculos, não podendo entrar neles em nenhum momento. Essa equipe terá a posse da bola, que deve passar entre seus integrantes, que ao surgir uma oportunidade, a arremessarão para derrubar a garrafa.

PRINCÍPIOS: Senso de equipe, auto-organização, sinergia, dedicação ao seu objetivo.

DICA: O jogo pode inverter os papéis a cada garrafa derrubada, em meio ao tempo corrido de 6 minutos, vale um ponto cada derrubada, invertendo as posições, ganhando quem conseguir derrubar mais vezes. Novamente é preciso haver fair play e se pode acordar punição, caso não haja.

1

Workshops de 14/07 – Jogos 360° e Toolbox 360°

O Sábado com dobradinha dos workshops de Jogos e Toolbox contou com um mix de participantes de diferentes segmentos e cidades, como serra gaúcha e SP, com professores, facilitadores, Scrum Masters, empresas de eventos, entre outros:

“Foi útil, divertido e traduziu o sentido da aprendizagem 3.0, que valoriza o conhecimento dos indivíduos e constrói novos conhecimentos a partir da troca de experiências. A condução foi consistente e fluída, combinou jogos, teoria e exemplos práticos de aplicação. Além disso, a conexão das pessoas potencializou a criatividade, a visão crítica e a flexibilidade cognitiva, características relevantes na sociedade do século XXI.” – Fabiane Castro – Inteligência Competitiva e de Mercado | Escola de Negócios da PUCRS

“A experiência foi sensacional. Tive inúmeros insights de erros que costumamos cometer sem nos darmos conta e consegui pensar em inúmeras aplicações de jogos em ambientes de sala de aula visando a maximização do processo de aprendizagem. ” – Barbara Silva Costa – Professora Unisinos

JOGOS 360° – Team Building Games

Durante toda a manhã o workshop exercitou dezenas de jogos para formação de times, utilizando-se de quebra-gelos, aquecimentos e jogos pedagógicos, alternando o espaço externo entre os dois prédios do Global TecnoPUC e o espaço do Café Coworking no térreo a esquerda.

Com 40 participantes, quase sempre divididos em grupos, rolou de tudo, com balões, esquis, TNT, papel, tesoura, espaguetti, fita adesiva, adereços como gravatas e bichos de pelúcia (urso e pinguim), canetinhas coloridas, … sempre discutindo o valor, dicas, princípios, …

Quarenta participantes pela manhã e trinta a tarde, entretanto 14 estiveram presentes nos dois turnos e por isso pedimos muita Pizza e refri, que se juntou a nossa tradicional mesa de Coffee com frutas, cuca, biscoitos, merengues, Café Dolce Gusto e várias outras guloseimas.

TOOLBOX 360° – Desafio Toolbox e Toolbox Wall

No turno da tarde foram quatro horas dedicadas a debates e interação contando com 30 participantes, separados em cinco grupos que iniciaram logo cedo com o jogo DESAFIO TOOLBOX 360°, com os bons resultados e bons feedbacks esperados quanto a descobertas e debates sobre técnicas variadas.

Na sequência, alguns debates e o exercício da técnica de TOOLBOX WALL 360°, contando com o assinalamento daquelas técnicas de interesse por cada um dos presentes, gerando um incrível ponto de contato porque a maior parte dos mais votados estavam na programação – planejamento de carreira, modelagem e resolução de problemas.

 

0

Jogo do Pacote Surpresa

Um quebra-gelo divertido, rápido e que gera boas reflexões quanto ao nosso papel enquanto integrantes de uma equipe de trabalho, cada um com conhecimentos complementares, conhecidos pela sua soma.

Providencie previamente uma caixa, coloque uma barra de chocolate lá dentro, junto com folhas amassadas de papel para que apenas faça algum barulho ao ser sacudida, nada excessivo que denuncie o que tem lá dentro.

Envolva a caixa com um papel e fita, se quiser pode ter também várias camadas de papel ao redor para que quando for a hora de desempacotar gere um suspense sobre o que tem lá dentro.

O jogo consiste em fazer um círculo, de pé ou até mesmo sentados ao redor de uma mesa, de forma que um dos participantes receba o pacote e o repasse a quem esta a sua esquerda, assim passando de mão em mão.

No início peça que façam o círculo e a regra de que o pacote passará de mão em mão enquanto a música estiver tocando e quando parar o felizardo terá que abrir, ler e executar uma tarefa surpresa escrita em um papel.

Sugiro usar uma música em um celular, assim como no jogo das cadeiras, o pacote passando de mão em mão até que a música pare, enquanto toca o facilitador pode ir gerando alguma tensão e suspense.

Enquanto o pacote circula de um em um, vá pautando que a tarefa pode exigir alguma habilidade específica, que pode ter que sair da sala e voltar rapidamente, talvez imitar ou representar algo ou alguém, … simples ameaças.

Se o clima do jogo estiver formado, os participantes irão passar o pacote rapidamente, tentando se livrar do que tem lá dentro, antes um dos outros que eu 🙂 até mesmo porque ninguém sabe que lá tem um bombom.

Cabe uma boa reflexão de que é apenas um jogo, que resgata outros jogos de nossa infância, mas desde o início foi explicado que cairia para alguém e muitas vezes o desafio não é que caia então para qualquer outro.

Somos um time, se há algum problema ou algo indigesto a ser feito, vamos conversar e estabelecer de forma auto-organizada a melhor solução. É um jogo divertido, sempre da errado e gera boas reflexões!

0

Jogo da Empatia

Um quebra-gelo clássico onde a cada pergunta todos devem se posicionar junto a seus iguais, uma forma divertida de integração e autoapresentação, uma forma de encontrar informações divertidas para fazer a galera se aproximar e conhecerem um pouco mais uns aos outros.

Melhor quanto maior o número de integrantes, oriente a todos que você lançará um desafio e todos tem que encontrar seus iguais.

Antes de lançar o desafio, confirme o entendimento de que todos devem formar os grupos o mais rápido possível e levantarem as mãos ao se juntarem todos os do grupo.

A seguir alguns exemplos de desafios, mas uma infinidade de outros podem ser mais adequados para a sua galera: Para que time você torce? Década em que nasceu? Elemento água, terra ou ar? Cor preferida? Estilo musical? Lóbulo da orelha separado ou junto? Consegue enrolar a língua? Coloca a língua na ponta do nariz?

PRINCÍPIOS: Senso de time, transparência, inspeção sadia, ver os colegas como pessoas, com quem precisa ter um bom relacionamento profissional.

DICA: Evite polêmicas ou mesmo booliyng, mantenha um clima positivo, mesmo se tiver que parar e introduzir reflexões se necessário. É para ser 100% construtivo e divertido.

0

Jogo das Tribos e Escalpos

Semelhante ao jogo dos escalpos, incluindo uma bandeira (da mesma cor dos escalpos) para cada equipe, que deve ser protegida enquanto tentam roubar as bandeiras das outras equipes.

Exige um campo maior, algo como 100 m(10 x 10), com uma bandeira em cada extremo, mas pelo menos 2 metros de uma borda, para que seja possível a um adversário passar correndo e roubá-la.

Onde a bandeira ficar, é preciso fazer um círculo ao redor com pelo menos 1 metro de diâmetro, sendo proibido ficar parado dentro dele. Os participantes só podem passar correndo para roubar ou proteger a bandeira.

É um jogo sensacional, ativo, que já apliquei dezenas de vezes para equipes diversas, como no escotismo para jovens e equipes com gerentes já com certa idade.

Cada bandeira pode valer 5 pontos, cada escalpo 1 e as penalidades por falta de fair play, falta de competitividade ou agressividade perdem 1 ponto na primeira vez, 2 na reincidência e, se for grave, perda do seu escalpo.

PRINCÍPIOS: Estratégia, sinergia e colaboração. É também adaptativo a cada escalpo ou bandeira ganha ou perdida, aproveitando oportunidades e sendo mais ativo ou passivo.

DICA: A estratégia vale mais que a afobação ou o heroísmo: um time que sabe jogar pelo coletivo, normalmente ganha.

0

Círculo de Conselho

Todos formam um circulo e sentam-se com as pernas cruzadas a frente. Em ambiente corporativo pode ser em uma sala acarpetada, mas eu sempre curti ir para a rua e fazer sob as árvores do parque tecnológico, nos gramados das alamedas do Tecnopuc.

Pode ser usado para um debate descontraído, para resolver um tema polêmico, através da deliberação de todos, de forma lúdica e descontraída, por exemplo:

  • Dê as boas-vindas e realize um exercício de energização:
    • Uma meditação, alongamento, respiração;
  • Apresente o objetivo inicial e puxe um pacto:
    • Cada um diga sua expectativa e objetivo;
    • Combine horários, break e responsabilidades;
  • No centro é importante colocar algo significativo:
    • Pode ser algo do grupo, símbolo ou mascote;
    • Pode até ser um lanche ou café quentinho;
  • Faz-se um pacto de intenção, onde tudo será construtivo:
    • Opiniões são bem-vindas, mesmo contrárias;
    • Não devem levar nada para o lado pessoal;
    • Combinem um token para garantir a palavra;
  • Apesar das combinações, facilite um clima positivo:
    • Evite ficar interrompendo, eles se resolvem;
    • Se esquentar, interfira deixando a energia fluir;
  • O encerramento é colaborativo:
    • Deixe que cada um diga o que aconteceu;
    • Feche com uma provocação construtiva.

PRINCÍPIOS: Comunicação é o melhor caminho, mas tomar decisões de forma democrática exige discernimento e bom senso. O que vale são os argumentos, mas frente a um impasse, é preciso que alguém puxe para si a responsabilidade, para isso que o SCRUM possui papéis, dentre eles o Product Owner.

DICA: Eu levo folhas de Flipchartpost-its e canetões, que deixo no centro do círculo ao alcance de todos para registro do que for importante.