0

Você já ouviu falar do livro, do site e do paradigma das Estruturas Libertadoras?

Curioso que sou, pelo tanto que navego, já tinha tomado conhecimento deste site alguns meses atrás, mas ao interagir com o Dreyson Queiroz do Estaleiro Liberdade de Porto Alegre acabei me dando conta que nunca compartilhei por aqui, inclusive sei de cocheira que vem muita coisa boa nessa linha em breve … mas não posso falar nada 🙂

Sob licença Creative Commons, Keith McCandless e Henri Lipmanowicz compartilharam o livro e site de estruturas libertadoras, materializadas em três dezenas de processos e métodos colaborativos. Me sinto muito a vontade para falar deste conceito e proposição \o/

A base de tudo é empatia, envolvimento, engajamento, sinergia, … para atingir novos patamares de realização, partindo do pressuposto que otimizando o senso de pertencimento, senso de equipe, senso de responsabilidade coletiva, tudo melhora.

Desde 2013 ao lançar o meu primeiro livro, proponho como obrigação nossa ter atenção a manter uma caixa de ferramentas com boas práticas oriundas de Lean, DT, Agile, Lean Startup, Art Of Hosting, Dragon Dreaming, da Gestão do Conhecimento, do Escotismo …

“Nada se cria, nada se perde, tudo se transforma!” (Lavoisier), todos nós bebemos das mesmas fontes, conhecimento secular acumulado nos é oferecido a cada dia, a cada hora, a pergunta de 1 milhão é o que fazemos com tudo isso?

Seguir técnicas e princípios baseadas em controle, dominação, pressão pautadas em desconfiança do final do século XIX é uma opção tanto quanto tentar inspirar-se em técnicas e princípios do século XXI orientadas a colaboração, confiança e sinergia multi-disciplinar.

Termos propósito, sermos Millenials, sentir orgulho em fazer parte, o privilégio de ter participado, agregar valor todo o dia, frases que estão na cabeça de qualquer jovem de alma no século XXI, a era do conhecimento, empresas ambidestras, profissionais Comb-Shaped.

http://www.liberatingstructures.com/

Eu estou trilhando desde 2013 meu próprio caminho, com o livro Toolbox 360°, o jogo Desafio Toolbox, a técnica de Toolbox Wall, os workshops, já trabalhando no próximo passo, que ainda não está claro, mas que publicarei a cada passo ou experimentação.

A cada workshop desde 2013, de forma cumulativa venho validando formas de compartilhar e disseminar aquilo que o Jurgen Apelo disse que lançará em livro e workshops em 2019, que McCandless e Lipmanowicz iniciaram evolutivamente em 2014.

Para mim. mais que trabalho é um hobby, dediquei milhares de horas na web, em eventos, facilitação, workshops, palestras, minha pequena (cinema e animação) ilustrou livros e criou tirinhas, minha esposa (designer) me apoia a cada edição.

http://www.liberatingstructures.com/

1. 1-2-4-All
2. Impromptu Networking
3. Nine Whys
4. Wicked Questions
5. Appreciative Interviews (AI)
6. Making space with TRIZ
7. 15% Solutions
8. Troika Consulting
9. What, So What, Now What? W³
10. Discovery & Action Dialogue (DAD)
11. Shift & Share
12. 25/10 Crowd Sourcing
13. Wise Crowds
14. Min Specs
15. Improv Prototyping
16. Helping Heuristics
17. Conversation Café
18. Users Experience Fishbowl
19. Heard, Seen, Respected (HSR)
20. Drawing Together
21. Design StoryBoards
22. Celebrity Interview
23. Social Network Webbing
24. What I Need From You (WINFY)
25. Open Space Technology
26. Generative Relationships STAR
27. Agreement-Certainty Matrix
28. Simple Ethnography
29. Integrated~Autonomy
30. Critical Uncertainties
31. Ecocycle Planning
32. Panarchy
33. Purpose-To-Practice (P2P)

0

Problem Pitch para empatia, entendimento e solução

Uma espécie de notação para estruturar a declaração de problemas, assim como uma User Stories para necessidades do cliente. Segundo seus criadores, é possível gerar maior assertividade se ao declararmos um problema usarmos arquétipos: <Papel> <Emoção> <Ação> <Motivo>.

  • Papel – “Como integrante de um time ágil,”
  • Emoção – “fico perdido e chateado,”
  • Ação – “quando repriorizam algo”
  • Motivo – “sem debater o porque da mudança, benefícios e ônus”.

Assim como em uma User Story, a notação padronizada nos oferece a disseminação de uma técnica que colabora para uma comunicação posicional mais assertiva sobre problemas e oportunidades, para então priorizá-las com objetividade. A seguir uma apresentação com sugestão de uso:

Assim como o Learning Canvas e o Managing Dojo dos mesmos autores, o Pimentel propôs usar o conceito como base para uma técnica para resolução de problemas, pautando primeiro o passado (problema), para estabelecer o futuro (resultado esperado) e só então debruçar-se no meio, por plano(s) de ação (hipóteses).

Na apresentação tem tempos e formato sugeridos, eu uso de diferentes formas, o aspecto original desta técnica é a construção do “problem pitch”, de resto segue a linha de várias outras técnicas de brainstorming para resolução de problemas ou aproveitamento de oportunidades.

Por exemplo, assim como outros tantos para debate e resolução de problemas com foco em entendimento, empatia e planos de ação, o quadro abaixo é uma opção:

3

Primeiro Workshop Toolbox 360º em SanPa com a DBServer

Galera de SÃO PAULO, vou estar a trabalho em SanPa e vou esticar no Sábado dia 21/07 para realizar um Workshop Toolbox por lá para aproveitar a estada. A DBSERVER está apoiando com toda a logística, por isso o valor será o mesmo daqui, R$130,00.

Serão quatro horas, Toolbox Wall, Desafio Toolbox e diferentes exercícios em grupos usando técnicas de planejamento, resolução de problemas e lições aprendidas, além de um bom networking durante o coffee-break.

Cada participante leva pra si um kit contendo o tabuleiro e baralho com mais de 80 técnicas constantes no Toolbox Wall para estratégia, ideação, modelagem, validação, planejamento, discovery, delivery, resolução de problemas, melhoria contínua e lições aprendidas.

Inscrições – Lotou em 24Horas \o/

Últimas edição com fotos e depoimentos:

https://jorgeaudy.com/2018/05/20/workshop-toolbox-360o-de-19-05-2018/

https://jorgeaudy.com/2018/06/18/workshop-toolbox-360o-de-02-06-2018/

Um post sobre o lançamento do Toolbox Wall:

https://jorgeaudy.com/2017/11/19/toolbox-wall/

Quem for paulista e puder compartilhar para fazer chegar ao povo aventureiro de SanPa agradeço desde já \o/

tabuleiro

Esta estrada não teria acontecido sem a inspiração e o apoio de alguns amigos, que em meio a correria do dia-a-dia cederam uma hora para me ajudar a percorrer esta estrada editorial e vivencial. Representativamente, em algumas fotos, agradeço em um tributo a minha maneira:

darth-vader-virada-agil-2016-ufpr-ii

0

Dois workshops em 14/07 – Jogos e Toolbox 360º

Serão duas opções de workshop no dia 14/07, um de JOGOS 360° pela manhã e um TOOLBOX 360° a tarde. Na eventualidade de alguém quiser fazer os dois, cada um individualmente é R$130, entre em contato comigo que fazemos um combo por R$220 🙂

14/07, Manhã, 09:00 as 13:00, Team Building Games

Quatro horas debatendo Team Building Games, os participantes ganham o livro Jogos 360º que trata de Icebrakers, Warm Ups e Agile Games. A dinâmica iniciará junto a um mural com 120 destes jogos, dos quais experimentaremos vários deles por amostragem em velocidade Warp, para na sequência vivenciar em grupos alguns jogos voltados a introduzir ou fixar conhecimento e valores através de Agile Games … Quem vier, venha com roupa leve e sapato sem salto \o/

Inscrições em http://bit.ly/jogos140718

14/07, Tarde, 14:00 as 18:00, Desafio Toolbox 360°

Quatro horas debatendo por variados ângulos um mural com 125 boas práticas de estratégia, ideação, modelagem, validação, planejamento, execução, aprendizado e melhoria contínua? Cada inscrição ganha direito a um kit contendo o livro ou o jogo Desafio Toolbox com tabuleiro A3 e um baralho de técnicas. A dinâmica inicia junto a um mural com 125 técnicas e boas práticas, um debate sobre oportunidades, uso e experimentação, para então irmos para as mesas jogar e vivenciar vários deles.

Inscrições – http://bit.ly/toolbox140718

Todos estão postados no blog, desde o lançamento dos livros e do jogo Desafio Toolbox, os workshops mais recentes foram:

0

17º Seminário Internacional de GP

JORGE HORÁCIO NICOLÁS AUDY Consultor, DBServer Jorge Audy é consultor sobre métodos ágeis na DBServer, professor na Escola Politécnica da PUCRS, mestre pela Escola de Negócios da PUCRS na linha de pesquisa sobre Gestão da Informação, blogueiro e autor dos livros SCRUM 360º, Toolbox 360° e Jogos 360°. Escoteiro e agilista 24 horas por dia.

INSCREVA-SE! • 18, 19 e 20 de SETEMBRO • 1º LOTE • 30% DE DESCONTO • Saiba mais em: https://goo.gl/PxPy4e

Coisas boas acontecem quando você se envolve com o PMI !!! #gopmisp #17SIGP #pmisp20anos

Algumas fotos de workshops e start de Toolbox Walls:

0

Jogo da Catapulta

Um jogo SCRUM onde as equipes trabalharão para construir uma catapulta de taquara, planejando até 5 jornadas de trabalho de 5 minutos cada.

Durante o planejamento devem dizer quantas taquaras e sisal precisarão por  jornada, mas permitindo replanejamento. A cada jornada, no caso de não conseguirem entregar o prometido no planejamento do início da jornada, não pontuam, no caso de entregar pontuam.

Cada jornada entregue vale 10 pontos, má qualidade na construção penaliza-se em menos 3 pontos, uma entrega funcional vale um bônus de mais 5 pontos.

Desperdício relativo a material não utilizado ou desnecessário penalizam com menos 3 pontos. Ao final das 5 jornadas, há uma competição de tiro ao alvo, usando uma bola de meia graúda e pesada. A exigência é que a estrutura fique firme sem ninguém segurando

PRINCÍPIOS: Durante as jornadas, o trabalho deve ser colaborativo, auto-organizado, com foco nos objetivos acordados para aquela jornada.

DICA: Antes de iniciar eu ofereço aos times, como valor agregado, uma breve oficina de amarras, quadradas e diagonais, um valor agregado colateral, assim a estrutura fica mais firme e amarras é um conhecimento que poderá ser útil em situações variadas.

0

Clone Lego-Lego

Mais um bom jogo usando blocos LEGO ou seus genéricos. Monte uma pequena construção, familiar, mas colorida e assimétrica, algo que não seja tão trivial copiar, mas que exija esforço e mapeamento visual iterativo.

Separe os participantes em equipes, que receberão os mesmos blocos que você usou para montar a sua pequena construção LEGO e mais 10 ou 20 peças extras.

  • A primeira rodada convida para que enviem um integrante de cada equipe para que possam ver a sua construção, sem direito a fotografar ou registrar em papel, apenas de memória. Após isto, ofereça a primeira iteração para que cada equipe faça algo que lhes pareça o mais parecido possível.
  • A segunda rodada é oferecido 2 minutos a cada equipe, que pode ir com todos os seus integrantes e na sequencia, fazer nova tentativa de construção.
  • A terceira rodada é com todos os integrantes, agora com direito a anotações em papel.

PRINCÍPIOS: Um jogo de elicitação, percepção visual, comunicação, estratégia e execução iterativo-incremental. Aproveite para fazer uma retrospectiva ao final de cada rodada, sobre dificuldades, oportunidades e aprendizado.

DICA: Antes da terceira rodada eu faço uma apresentação de cinco minutos sobre mapas mentais e sobre o conceito de épura, de forma que eles possam desenhar com maior exatidão aquilo que pretendem reproduzir. Uma boa técnica de documentação e registro visual vale ouro!