0

Jogos 360° e Toolbox 360° agora em blogs dedicados

Relancei todo o conteúdo do livro JOGOS 360º, ampliado com duas dezenas de novos Team Building Games em Novembro/2017 e hoje relanço o conteúdo do livro TOOLBOX 360º, também ampliado, material compartilhado neste blog, workshops e eventos.

https://toolbox360graus.wordpress.com

Um MVP contendo as mais de 100 técnicas para estratégia, ideação, modelagem, validação, planejamento, execução e muito aprendizado, todas no formato das cartas do jogo Desafio ToolBox 360°, um blog com muito potencial para crescimento, sugestões de sequências, frameworks, toolkits e outros modelos e dicas transversais …

A sugestão venho da galera da 4All, durante um workshop do jogo Desafio ToolBox 360° e da técnica Toolbox Wall 360°, que sugeriu um mural digital com todas as cartas, cada uma com um mergulho quando clicadas oferecendo mais informações e links dos autores ou disseminadores destas técnicas.

https://jogos360graus.wordpress.com

O blog iniciou com os 70 jogos do livro, entre icebreakers, warm-ups e agile games, mas vem crescendo com 5 novos jogos a cada semana desde então, não só da comunidade ágil, alguns vem do escotismo, outros de Team Building Games americanos, típicos de RH, tem uns poucos utilizados em eventos de Coachs e palestrantes.

A ideia é começar a linkar outros blogs e transformar-se em uma central interativa, quando alguém da galera me mandar um novo jogo eu compartilho lá e darei o devido crédito, irei compartilhar links de sites como os do Caroli, Tastycupcakes e outros tantos. Quando é o caso será para divulgar e redirecionar ao autor, como o BDDWarriors, Aviões 2.0, Scrumia, etc.

0

18/01 – TecnoTalks sobre Storytelling com a Jornada do Herói

Teremos um bucaneiro puxando o Tecnotalks sobre storytelling no dia 18/01/18 as 19:00, o Dreyson Queiroz fará uma palestra e depois faremos um Startup Dojo diferente, baseado na jornada do herói, no arco do personagem e a jornada do gamer. Vamos idear e desenhar novas histórias, personagens, heróis, talvez virem livros, tirinhas, filmes, animações, talvez novas oportunidades de negócios.

Mini-CV da fera: Único gaúcho a participar do Sprint no Google Venture, ele trabalhou na Substantiva e foi diretor de Arte na Paim Comunicação e na Cadastra. Hoje é um dos protagonistas no Estaleiro Liberdade e é designer de interações na empresa Clashdi.

O evento está no facebook no grupo TecnoTalks – https://www.facebook.com/events/1549969218456078

Uma oportunidade de conhecer técnicas utilizando as jornadas, mas se você não conhece as jornadas, imperdível para conhecer e refletir o número de oportunidades que esta abordagem abre para games, livros, vídeos, filmes, animações, quadrinhos, storytelling …

Aqui vai um tira-gosto sobre a jornada do herói de Campbell:

Tem uma apresentação que mostra sete tipos de heróis e anti-heróis, os desenhos são muito legais e a caracterização é bem didática:

Também tem um vídeo do VDB que é nota 10 sobre Storytelling que vale dedicar alguns minutos para assistir:

0

Receita para uma retrô colaborativa 2017 e sonhar juntos 2018

Em uma tarde, de forma lúdica e muito interativa o tempo todo, a construção de uma retrospectiva do ano de 2017 e sonhos comuns para 2018, cada sonho com proposta de ações a serem vistas como próximos passos para aquilo que queremos todos ver acontecer.

Me sinto agraciado por conhecer e interagir com tantas pessoas incríveis, uma estrada que me permite encontros e reencontros, aprendizados, oportunidades para colocar minhas crenças e convicções em cheque a cada nova interação com pessoas, em eventos, projetos, debates.

O diferencial não é a técnica, nem o material, o tamanho da árvore, o desenho dos murais, a diferença está sempre na empatia, na sinergia, nas pessoas, é o senso de time, o desejo de sonhar juntos, mesmo nas diferenças, o maior ganho é aproximar pessoas.

14:00. Abertura, com boas-vindas, alinhamento de expectativas, apresentação do programa-base, convocar a ação, se possível uma palavra do anfitrião, quer seja um diretor, gerente, sponsor, conclamar em torno de uma missão, o que nos trouxe aquele momento. Evitar ser um monólogo, interaja um tanto, cite algo, cumprimente, elogie, gere senso de grupo. No programa é bom alinhar horários e liberdades, como se necessário atender o celular para algo muito importante, há o saguão, uma forma de atribuir liberdade com responsabilidade;

14:15. Quebra-gelo natalino, uma árvore de Natal incompleta, embaixo de cada cadeira mais um ramo e um enfeite, inclusive em algumas cadeiras vazias – esse é o fato acima de qualquer outro, cada um de nós é uma pequena parte de algo maior, apenas quando todos juntos, colaborando, vendo o todo, vendo que falta algo, talvez alguém ausente, entender a sua parte, ser pró-ativo, ajudar uns aos outros, de forma positiva, construtiva, sem verdades absolutas, mas complementares;

14:40. Retrospectiva 2017, estabeleça provocações iniciais, resgate momentos, talvez algumas conquistas, mantenha aquela inquietação positiva do quebra-gelo para introduzir a técnica de brainstorming. Duas mesas grandes com muitos postits e canetões coloridos e nas quatro cabeceiras os letreiros – EU, Nossa Área/equipe, Empresa, Clientes/mercado. De forma auto-organizada, meio caótica, todos circulam pelas mesas e vão lendo os postits já propostos, podendo criar novos e votar com palitinhos, ao final dezenas de sugestões com votação;

15:15. Mural da retrospectiva 2017 será formado na sequência, ainda com a maioria em pé entorno das mesas, algo que chamamos de ponto de saturação, não espere todos sentarem, nem interrompa enquanto muitos ainda estão propondo novos postits. O mural será construído de forma que os mais votados estejam bem encima e os menos votados cada vez mais para baixo, é possível estabelecer um racional para o eixo horizontal também, como cronologia ou alçada, da esquerda para a direita. O resultado, enquanto a galera senta pode ser apresentado, quando lemos e revisamos de forma breve o quadro final … sujeito a eventual réplica e adendos;

Obs: Os duendes a esquerda embaixo indicam projetos ou ações em curso, que já geraram alguns resultados, mas há ainda muito pela frente.

16:00. Coffe-break

16:20. Quebra-gelo de identidade da tarde é o clássico jogo colaborativo dos crachás, onde cada um interagiu com pelo menos 5 ou 6 colegas para compôr sua “foto” (desenho onde cada colega contribuiu com um traço, como olhos, boca, cabela, orelhas, barba, nariz, …) e paixões (coisas que curtimos e que a maioria não sabe, podendo ser família, esporte, hobby, música, filmes, …). Aproveitamos o resultado para a galera colocar no segundo mural, o de 2018, na base de uma grande árvore de Natal onde depois colocaremos nossos sonhos para o ano que vai começar;

16:40. Sonhos e ações para 2018, na esteira do quebra-gelo dos crachás e início do mural 2018, usando a mesma técnica de brainstorming com as duas mesas grandes com postits e canetões coloridos e os letreiros – EU, Nossa Área/equipe, Empresa, Clientes/mercado. Já com a galera mais afinada com a técnica descontraída e divertida, todos circulam pelas mesas, vão propondo e lendo os postits propostos sobre sonhos e ações sugeridas para fazer eles se concretizarem, novamente com direito a votos e complementos. Os sonhos são bolas e postits pequenas cada ação;

17:20. Um grande mural dos sonhos para 2018 com aquela grande árvore de Natal é preenchido por todos com as bolas contendo os sonhos mais votados mais para cima e descendo com as menos votadas. Assim que as bolas estejam colocadas, o próprio facilitador pode ir lendo um por vez, de cima para baixo e buscando o entendimento do que é o sonho, quais as ações propostas e o quanto ele é factível ou não, faz sentido ou não, se merece estar ali ou não, … é bem fluído, vamos colando novos postits, eliminando alguns por consenso, chegando a uma construção realmente coletiva;

18:00. Encerramento, sempre é bom pedir um feedback, qual o sentimento que a galera leva dali, se atingimos algo satisfatório e o quanto desenhamos juntos algo que dependerá da ação e contribuição de todos, no final sempre uma palavra por quem quiser contribuir nas frases finais e em especial do sponsor, gestor, diretor presente com um incentivo final e desejo coletivo de Boas festas e um ótimo 2018 a todos.

Parece que foi ontem e estávamos iniciando mais um ano junto a pessoas queridas, 2017 está encerrando, 2018 se descortina com novas possibilidades, seguir em frente, ampliando ou renovando esforços e conquistas … sempre melhores que antes, aquém do que seremos um dia!

Desde já, um Feliz Natal e próspero ano novo!

0

Crazy Eight (oito ideias em oito minutos em uma A4)

Me lembra vários jogos postados lá no http://jogos360graus.wordpress.com com o objetivo de nos fazer sair fora da caixa, podendo ser usado como proposto, como uma técnica de ideação e brainstorming ou como incentivo a criatividade e adaptabilidade, como é o charetting e outras.

Crazy 8 é uma proposta de ideação do Design Sprint que pode ser utilizada como um jogo, desafiando cada um dos participantes a ter até oito ideias em oito minutos, usando para isso uma folha A4 dobrada ao meio três vezes. Em cada um dos oito espaço marcados entre as dobras, desenhe ou registre graficamente a seu modo uma ideia, tentando evitar mais do mesmo, sem preconceito, mesmo que pareça maluca.

Desenho é o modo mais primário de comunicação, uma criança antes de falar ou escrever já registra suas emoções e percepções através de desenhos, então não intimide-se por técnica ou beleza, foque em registros livres, cada um a sua maneira … depois você terá a oportunidade de explicar seus desenhos, foque nas ideias e provocações.

Crazy Eights pode ser um passo de quatro, um roteiro iniciando pela troca de informações, registro de insights, ideação de oito ideias registradas graficamente através de desenhos e rabiscos em oito quadrantes de uma folha A4 em um tempo de oito minutos (Crazi 8’s), para então juntos trabalharmos a(s) melhor(es) opção(ões).

A referência que recomendo e chamo a atenção é o site https://designsprintkit.withgoogle.com/methods/sketch/crazy-8s/

Minha maior curiosidade ao ler sobre a técnica é que usualmente trabalhamos o coletivo, potencializando brainstormings em pequenos grupos, aproveitando ao máximo diferentes expertises e conhecimentos, que somados geramos sinergia (2 + 2 = 5). No caso do Crazy Eight, mesmo criando pequenos grupos, o primeiro passo é individual, cada qual registrando seus pensamentos.

4

Um blog 100% dedicado a Team Building Games

A algum tempo vinha pensando em lançar um blog com todos os jogos que eu usei ou uso em quebra-gelos, aquecimentos e Agile Games, pois o projeto saiu da cabeça e materializou-se em um MVP, um tema wordpress para portfólios que acredito que faz a sua parte \o/

Todos as ilustrações são da Luisa Audy e já temos 100 Team Building Games detalhados ou linkados para suas páginas de origem. A quem acessar, por ser um experimento, deixe seus comentários, sugestões, críticas ou mesmo compartilhe outros jogos que gostaria de ver por lá.

jogos

Se o feedback for positivo e agregar o valor que espero estar contribuindo para quem busca jogos, detalharei melhor os que lá estão e acrescentarei novos com a mesma frequência com que posto por aqui textos sobre Agile e vida em equipe, em organizações e boas práticas.

Se não for de interesse, vou eliminá-lo e manter tudo concentrado por aqui no meu blog de conteúdo e parto para outras ideias … então, por favor, registre seu feedback e, se gostar, compartilhe o blog de jogos para fazer chegar e verificarmos se seu formato interessa.

https://jogos360graus.wordpress.com/

0

Toolbox Wall – Pode ser um guia, mapa, jogo, técnica, método ou até decoração

Aquilo que começou como um livro, desenvolveu-se como um jogo de tabuleiro, está transformando-se em uma poderosa técnica de brainstorming, aprendizado, planejamento e decoração que estou chamando de ToolBox Wall.

Das páginas do livro, mais de 70 técnicas e boas práticas começaram a serem convertidas em um mural de folhas A5, que crescem assiduamente com novas dinâmicas e artefatos que vou aprendendo ou desenvolvendo em meu trabalho.

Na minha opinião, toda empresa deveria ter o seu Toolbox Wall, um mural com suas técnicas preferidas, sugeridas e desejadas, em frente ao qual a galera poderia debater alternativas, escolher, caso-a-caso, quer para ampliar horizontes, quer para encontrar soluções.

Trata-se de um mural A5 e cartas que estão sendo usados para planejar quais as técnicas desejadas, de diferentes frentes, inspiradas em Design Thinking, Lean Startup, Lean UX, métodos Ágeis, Art Of Hosting e outras fontes de inspiração.

Após o lançamento do jogo no Trends 2017, empresas me reportaram seu uso em dinâmicas onde o próprio time propõe um desafio real, para então seguindo as regras do jogo Desafio Toolbox 360° encontrarem a sequência que melhor lhes atende.

Vou começar a fazer workshops em noites da semana e Sábados de dia, onde a inscrição será para levar consigo um destes kits, prometo uma experiência única de Toolbox através do próprio jogo, apresentação e vivências.

Minhas fonte de inspiração são muitas, décadas de estudos, não só as que hoje são modinha, mas também resgato outras paixões, como em meus outros livros, o de Jogos 360° seguindo princípios de gamefication, o Scrum 360° e no ebook Sobre os Ombros de Gigantes.

O Toolbox Wall é a materialização sui generis de 10 anos de aprendizados em métodos ágeis, outros 20 anos de experiência em TI antes de descer para a coordenação de desenvolvimento da área de produtos digitais em 2008, quando já editava a newsletter “Marolas de Agilidade”.

A anos divulgo a técnica de Agile Subway Map, a anos dissemino minha abordagem sobre a necessidade de cada um de nós possuir uma grande ToolBox, pois quem se limita a um martelo, qualquer desafio será tratado como um prego, limitado a falta de alternativas.

Em 2015 propus um conceito que chamei de Multi-Convergência Metodológica (04/05/15), sempre defendi a existência do duplo diamante, MVP e Pivot desde o pré-game, inception e no fluxo iterativo-incremental-articulado existente a cada sprint.

O que define o quanto aprofundaremos e aproveitaremos isso depende da cultura e pressão em prazo/orçamento. Mas essa é a base do livro ToolBox 360°, do jogo Desafio Toolbox e do Toolbox Wall, um mural inquieto de boas práticas, oportunidades e inspiração.

Um ciclo PDCL implícito na dualidade temporal entre DoR e DoD, a cada sprint modelando e prototipando o próximo (DoR), enquanto construímos assertivamente o atual e validamos com o cliente (DoD): Onde está o duplo diamante no Agile? (21/08/2016)

A partir desta abordagem, debatemos o problema, opções e a best choice no pré-game, para então em um projeto trabalhar a ideia-modela-prototipa-valida-aprende (DoR), ao mesmo tempo que analisa-constrói-testa-valida-aprende (DoD).

multiplos diamantes

Do duplo diamante do Design Thinking, somado ao Lean Startup com princípios análogos de empatia e validação incrementais, criei uma representação SCRUM com inception e duplos diamantes representados como séries concorrentes de DoR e DoD.

Após blitzkriegs de planejamento utilizando-se algumas de dezenas de técnicas de design thinking e lean startup, prosseguimos com estas e outras tantas em menor escala, mas mesmo propósito, dia-a-dia, em baby-steps, aferindo, ajustando, prosseguindo, entregando valor:

scrum

Por exemplo, um time com um desafio, um projeto onde a galera pode ter um mural para inspirar-se e pinçar dentre múltiplas técnicas algo para pesquisa, brainstorming, modelagem, validação, planejamento, execução iterativo-incremental-articulada, auto-organização, aprendizado, gestão do conhecimento … pode inclusive incorporar nossos mapas de tecnologia ou pelo menos ter exemplos para diferentes plataformas.

Outro exemplo é a busca por uma dinâmica impactante, que os instigue a aprender de forma divertida, mas com foco em conversão, em práticas de interesse. Um brainstorming com regras onde podemos discutir dezenas de possíveis técnicas para resolução de problemas, escolhendo aquelas que querem experimentar, experienciar, aprender fazendo, divertindo-se no percurso, com responsabilidade.

tabuleiro

Esta estrada não teria acontecido sem a inspiração e o apoio de alguns amigos, que em meio a correria do dia-a-dia cederam uma hora para me ajudar a percorrer esta estrada editorial e vivencial. Representativamente, em algumas fotos, agradeço reiteradamente a minha maneira:

darth-vader-virada-agil-2016-ufpr-ii

Sem esquecer de agradecer aos parceiros Darth (George Lucas), Pikachú (Satoshi Tajiri) e ao Super Mário (Nintendo).

 

1

Ttalks Pais & Filhos – Um dia de muita interação

O evento cumpriu a programação prevista se adaptando na medida em que avançava e a galera ia tomando decisões, desde a primeira interação no welcome coffee, a abertura com a família Caroli, o paulo, Duda e o João fizeram um storytelling contando desde a inspiração até o lançamento do seu livro – O mistério do Colégio Alipus.

Eles falaram das inspirações, da construção dos personagens, a busca por maiores informações junto a amigos que são profissionais de diferentes áreas com o empenho em tornar os fatos e perfis o mais realistas possível, inclusive nomenclatura, jargões e muito mais. Impossível não se inspirar e querer fazer um livro, um filme, …

Na sequência, ainda na abertura, cada família apresentou suas percepções, não só sobre o livro, mas sobre a parceria pais & filhos em projetos que ao mesmo tempo que geram resultados práticos e visíveis, também desenvolvem habilidades, afinidades, conhecimentos, o valor da de ter e ser fonte de inspiração e networking.

A importância de manter a natureza criativa e lúdica da infância como fator de diferenciação para o futuro. A impetuosidade, a imaginação, não ter medo de tentar, de se expôr, de se divertir, reservando algum tempo para alimentar habilidades natas, desenvolvendo novas, não só para o trabalho, mas para a vida!

Seguindo com Alexandre Torrano na de ilustração através de uma técnica de storytelling, onde pai e filho alternavam o desenho e narrativa de personagens e fundo de cena, narrativa e cenário.

  • Gabriel (Severo) – praia
  • Daniel (Daniela) – desenhando
  • Ana (Heck) – A rosa
  • João (Caroli) – Montanha Assombrada
  • Sofia (Silva) – Praia dos Morangos
  • Fernando (Felipe) – Casa das minhocas
  • Alexandre (Adri) – Galinhas Sapecas
  • Jujuba (Lucas) – Guerra do bem e mal
  • Fernanda (Alanis) – O naufrágio
  • Lucas e Fernanda (Machado) – Jacaré e Raposa

Em seguida rolou a oficina de Flip Book com o Alexandre Linck e a Adri Germani da Anima Pocket, eu estava aguardando as 7 pizzas gigantes da Barão lá no 99A com o Alexandre e não assistimos, mas todas as crianças e adultos fizeram um flip book em blocos de papel que eles trouxeram e em cada folha um movimento, quando folhado o bloco parece uma animação.

No canal da Anima Pocket da Adri e do Alexandre no Youtube tem várias animações criadas por eles, como a do WebScambo do Rodrigo Murari Severo que participou com seu pequeno de todas as atividades e se divertiram com a apresentação dos flip books. A Adri gravou as apresentações, se forem publicadas eu compartilharei aqui, Ok.

O Carlos Giovani com o filho fizeram o relato de sua história de superação quando planejaram, participaram e conquistaram ótimos resultados em um torneio esportivo. O almoço foi 7 pizzas família de 12 fatias da Barão, em torno de 35 pessoas ao total, 21 adultos mais as crianças, muito bate-papo, a pizza atrasou um pouco, mas deu tudo certo, todo mundo comeu e estava uma delícia.

Também teve a oficina de projetos de cidades com lego-lego facilitado pelo Alexandre Leite Silva e sua pequena, quatro equipes, duas de desenho da infraestrutura com papel e canetinhas coloridas, mais duas equipes de construção de casas, escolas, igrejas, etc com lego-lego, contando com três sprints de 7 minutos. A galerinha rodou Scrum sem saber o que é isso.

O Alexandre Torrano recomendou um vídeo de uma coleção da Netflix que também está no Youtube sobre a arte do design com o ilustrador Christoph Niemann, que fala de criatividade, desenvolvimento humano usando desenho, animação, lego-lego. Eu recomendo quem curte esta abordagem a assistir e pesquisar um pouco mais sobre Lego Serious Play, no Youtube tem muita coisa legal – https://www.youtube.com. Tem também vídeos ensinando gestão ágil de projetos (SCRUM) usando Lego.

Ainda tinha muito para acontecer, porque descemos todos e rolou uma aula de sapateado com a Laura Peres e seu pai, o Eduardo, 22 tablados e pares de sapatos especiais para sapateado. Com uma trilha sonora (https://open.spotify.com/user/eduardo.peres) e orientações do Be-a-Ba todos sincronizaram seus primeiros passos no sapateado … todos curtiram muito!

Para fechar tivemos várias dinâmicas propostas pelo Jackes e filha do lado de fora do prédio, aproveitando que não estava chovendo e que tudo o mais teve que ser dentro, na linha do tempo no térreo e no quarto andar. Variados jogos bem divertidos, especialmente sobre confiança, todos em roda ou pai & filho … última atividade!

Vários vídeos foram publicados no grupo TecnoTalks, no evento e na minha timeline