0

Kirkpatrick – O que seria de nós se não soubéssemos das curvas?

Há diferentes teorias e curvas que reiteradamente discuto e que nos ajudam a entender o processo cognitivo e desafio relacionado ao aprendizado, mudança e melhoria, como a Curva de Tuckman para formação de um time, hoje vou compartilhar a Curva de Kirkpatrick.

Em 1994, Donald Kirkpatrick publicou um bestseller intitulado Avaliando Programas de Treinamento, apresentando quatro estágios relacionados aos possíveis desdobramentos de um treinamento, gerando o que chamou de reação, aprendizado, comportamento e resultados.

O entendimento de Tuckman, Ebbinghaus, Kirkpatrick e outras, nos ajudam a entender antecipadamente os porquês e de posse destas informações trabalharmos desde cedo com argumentos e ações para gerar maior efetividade na formação e evolução de nossos times.

Vejo isso a cada treinamento, a curva sobre a conversão de ensino em aprendizado e sua conversão em prática, os estudos de Kirkpatrick lançam luz e nos ajudam a melhorar enquanto palestrante, instrutor, professor, facilitador e/ou coach.

Vai além da Curva de Ebbinghaus sobre nossa capacidade e limitação de retenção e assimilação, também Edgar Schein, lembrando que a mudança gera desconforto quando percebemos que deixaremos o conhecido para tentar algo novo, que ainda não dominamos.

Eu tenho uma matriz temporal de condução para qualquer treinamento, conhecida por quem me acompanha, com um pré (organizar e instigar metas), há a execução (interagir e projetar) e um pós (experimentar, persistir e melhorar), onde acrescentei a curva de Kirkpatrick:

Em seu estudo Kirkpatrick estabeleceu ranges para cada etapa, mas como agilista eu acredito que cada pessoa, imerso em times e cultura organizacional, estabelecerá um ritmo para seu grupo, conforme liderança, metodologia, maturidade, domínio, etc.

Conhecer as diferentes curvas nos ajudam a agir para torná-las mais fluidas, gerando maior retenção e conversão em resultados práticos. Mantendo a reação em seus insights, o interesse no aprendizado, a pró-atividade do comportamento e persistência até os resultados:

1- Reação é quando o aluno ou participante percebe que aquele conteúdo tem a ver com ele e que pode ser útil de alguma forma, colaborando para possíveis melhorias no seu trabalho ou a ele enquanto pessoa. Refere-se a interesse e a maioria se motiva!

2- Aprendizado é quando o aluno ou participante se mostra interessado realmente, interagindo com o instrutor e demais participantes enquanto traça cenários imaginários de uso e projeção de resultados. Diz respeito a entendimento e planejamento!

3- Comportamento é quando o aluno ou participante estabelece uma experimentação e aprendizados, permitindo-se mudar para tanto. Diz respeito a vivência e validação, exigindo engajamento e persistência!

4- Resultados é quando estabelece-se aquilo que chamamos de melhoria contínua, os resultados já são percebidos e os mesmos são valorizados. Refere-se a evolução proposta pelas artes marciais como Ju-Ha-Ri, adaptando e tirando o máximo de benefícios.

Em treinamentos é preciso instigar pessoas a serem agentes de mudança, não desistirem e serem exemplo. A psicologia afirma que todo grupo humano possui lideranças ou formadores de opinião, o tempo e o sucesso de um processo de mudança depende muito do exemplo deles.

 

1

PMI Agile Practice Guide – boas práticas ágeis há 30 anos

Fiz vários posts nas redes desde que as primeiras resenhas sobre o PMBOK 6ª edição começaram a sair, mas não aqui no blog para registro.

Não é um passo a frente, é apenas o resgate de um gap de 30 anos, desde o mítico artigo de Takeushi e Nonaka em 1986 com “The New New Product Development Game” o gerenciamento de projetos ganhava uma nova prática, demorou três décadas para ela ser incorporada formalmente à ToolBox, primeiro com a ACP, agora com o manual de práticas ágeis.

Neste ínterim surgiram a Scrum Alliance, Scrum Org, Scrum Study e outras instituições que buscaram preencher esta lacuna, afinal, uma boa prática crescente sobre gerenciamento de projetos estava fora do corpo de conhecimento internacional sobre gerenciamento de projetos … sem justificativa plausível.

Há vários anos parafraseio o baixinho Lord Becket de piratas do caribe, pois é apenas “um bom negócio”, neste ínterim todo mundo ganhou, cursos, eventos, especialistas e certificações surgiram em profusão, polarizando algo impolarizável. A partir de agora, na mesma fonte, é só escolher como quer gerenciar seu projeto.

Ainda tem muita estrada pela frente, mas de passo em passo, chegamos lá!

Fábio Cruz – http://www.fabiocruz.com.br/pmbok-agil/

Mauro Sotille – http://blog.pmtech.com.br/pmbok6/

Alguns posts desde 2012 sobre gerenciamento de projetos e a necessidade de haver simbiose entre métodos, técnicas e boas práticas:

12/02/2017 – PMBOK e Agile – Quem mexeu no meu queijo?

31/08/2015 – A mítica dicotomia PMBOK x SCRUM

02/09/2016 – Não fuja, todos nós somos Gerentes de Projetos

27/07/2016 – Pulo do gato ou equívoco da TI Bi-Modal do Gartner?

0

Desafio ToolBox 360º dia 05/09 das 18:30 as 20:00

Um jogo que começou inspirado em uma dinâmica para minha disciplina de Tópicos Especiais em Engenharia de Software na FACIN da PUCRS, que transcendeu para algo muito maior e melhor que eu imaginava. Acreditem, vale a pena experimentar e dar uma conferida!

Mais de 70 técnicas e boas práticas oriundas de métodos, framework e mercado consolidaram um baralho que pode se transformar em um guia de bolso para usar, desde o jogo original, em mapeamento de competências, no planejamento ou resolução de problemas.

Eu prometi que será derradeiro, a partir da semana que vem disponibilizarei uma versão enxuta que possa ser utilizada por quem quiser. Vinha enxugando a atual devido a tamanho e custos de confecção e postagem de embalagem, tabuleiro, baralho, fichas e dado.

Para se inscrever neste Play Test, clique aqui ou na imagem:

Para saber mais informações sobre o jogo, regras, play tests, palestras, oficinas e fotos – https://jorgeaudy.com/desafio-toolbox/

tabuleiro-evolutivo-dez2016

16388361_1380540628665550_7949526456202791100_n

0

Scrum Setup Canvas no Agile Trends Gov 2017

Mais uma rodada de compartilhamento do Scrum Setup Canvas, desta vez na capital federal durante o Agile Gov 2017. Foi minha primeira apresentação usando como pano de fundo o Savana SCRUM, mas mantendo a pegada de diferenciação entre Go Horse e SCRUM.

Sala lotada, um bloco onde quem me precedeu foi o Allison Vale, iniciei apresentando uma das alegorias que mais curto, do Andy Glover onde o product backlog é um cesto enorme com todas as suas roupas sujas e o sprint backlog é a roupa que necessitamos para amanhã.

Valor é garantir ter a roupa adequada para seus compromissos do dia seguinte, de nada adianta lavar um cesto de cuecas ou as roupas mais caras ou as maiores ou menores, valor é ter aquela muda necessária e adequada para o dia seguinte, quer para frio, calor, longa ou curta.

SCRUM SETUP CANVAS

O mote do Scrum SetUp Canvas começa com as informações, combinações e restrições, como o tipo de máquina de lavar e secar, a capacidade de ambas, o tipo de sabão, para roupas brancas ou coloridas, se a expectativa é a entrega delas passadas e dobradas, …

Sempre trago minha maior convicção sobre o conceito de ToolBox 360º, que diz respeito a seu processo, ferramental, boas práticas, qualidade, excelência, destacando a certeza de que cada decisão acarretará ganhos ou perdas, que deverão ser transparentes e realistas.

Relembrei conceitos básicos sobre o Agilo romântico defendido por alguns e o Agila realista das grandes organizações, os conceitos básicos do SCRUM e suas variações, praticados em meio a complexidade e vicissitudes de empresas, governança de TI, PMO, GP e times.

  • Elevator Statement
  • Equipe e envolvidos
  • Aproveitamento e formato dos sprints
  • Arquitetura e Integrações
  • Indicadores e Métricas
  • Boas Práticas e Ferramentas
  • DoR (Definition of Ready)
  • DoD (Definition of Done)
  • Feriados e Férias
  • Sprint Zero
  • Reserva Técnica (%)

DESAFIO TOOLBOX 360°

Ao final dos 25 minutos, um convite ao jogo das 17:30 na mesma sala, quando 25 pessoas participaram até as 19:00 do Desafio ToolBox 360°, sempre com muitos insights, debates, argumentações e aprendizado. Tudo isso concorrendo com o happy-hour e cerveja no saguão ao lado.

SCRUM SETUP CANVAS
02/04/17 – Spoiler da minha palestra para o Agile Trends
13/04/17 – Apresentação em 25 min no Agile Trends
07/06/17 – Versão pdf tamanho A3 para impressão

TOOLBOX 360º
01/03/17 – Página Desafio ToolBox 360° / 5W2H  🙂
08/03/16 – ToolBox 360°, um guia de referência geral de boas práticas
03/04/17 – Desafio Toolbox – Agile Trends 2017 – ppt – relato

3

Um guia de 12 páginas com o resumo do resumo

É preciso ser ágil na agilidade, por um lado tem a ver com a cultura Lean, sermos enxutos e objetivos, também tem a ver com capacidade absortiva e carreira proteana, tanto quanto criar ambientes sustentáveis e positivos. Para isso, precisamos ser criativos, planejar sucintamente, seguir MVP, validar e evoluir, é mais fácil do que parece.

IIAp

Sempre curti criar resumos, esquemas, diagramas, uma forma de fixar conhecimento, desde criança os faço para estudar, instigando minha memória visual e motora. Talvez dai venha minha paixão por registrar tudo o que aprendo e pratico aqui no blog e em livros, guias, encartes, canvas, acima de tudo escrevo para mim.

O guia de uma página A3 criado em 2014 foi crescendo (como esperado), a partir de cada livro, artigos, posts, fui incorporando conceitos e lembretes sobre diferentes métodos, frameworks e propostas, chegando a 12 páginas A3 que estão sempre comigo e compartilho com quem interajo em projetos pelo meu link no dropbox:

https:/dropbox.com/s/hp05qzvks54qad6/Super Guia Rápido.pdf

Já esta tudo aqui nos posts do blog a muito tempo, acessível em seus posts, páginas, BlogMap e links úteis, mas ainda não tinha compartilhado esta versão em pdf, talvez tenha passado desapercebido por quem acompanha os posts e não navega no blog, o conteúdo deste guia é:

  1. Estratégia e adoção Agile
  2. Papéis e carreira
  3. Pré-game e ideação
  4. Business Model Generation
  5. Preparação para o planejamento
  6. Planejamento
  7. Execução SCRUM
  8. Sustentação KANBAN
  9. Management 3.0
  10. Design Thinking
  11. DevOps
  12. Self-Assessment

O link é dropbox porque é lá que mantenho todos os pdf’s que compartilho por aqui, o link do guia A3 original onde este de 12 páginas começou é este aqui:

guiarápidoSCRUM360

0

Desafio ToolBox – POA e São Leo – 14/07/17

14/07/17 – DBTALKS Porto Alegre – TecnoPUC Sala 204 / 99a – Ao todo eramos cinquenta pessoas contando com a galera da DBserver, que chegou cedo para reorganizar asala em torno das mesas que trouxemos da 206, compondo 10 equipes de 5 integrantes. Muitos companheiros de viagem, de outras jornadas, que durante duas horas proporcionaram um ambiente barulhento enquanto negociavam suas cartas e preenchiam os tabuleiros. O feedback foi muito bom e novos insights para melhorar o jogo.

14/07/17 – TecnoSinos, Prédio UniTec 2, Mini auditório – Um evento organizado pela GVDASA, aberto ao ecossistema TecnoSinos-Unisinos. Foram mais de três horas com abertura do Marcos Arnoldo, a participação do Jonathan Stein, a parceria da Mayra Rodrigues de Souza. Muita energia, novamente cada grupo ao redor do tabuleiro debatendo, argumentando, todos entraram no jogo, ensinaram e aprenderam a medida que as rodadas iam distribuindo as cartas, cobrindo suas mais de 70 técnicas, frameworks e boas práticas.

 

3

Enxerguei mais longe porque estava sobre os ombros de gigantes (Isaac Newton)

Desde 2012 tenho compartilhado resenhas e minhas interpretações de teorias, modelos, pesquisas científicas e livros, conceitos que eu vou incorporando de forma cumulativa à minha ToolBox como agilista e Agile Coach.

Por hobby, selecionei 40 e montei um eBook para registro, útil a quem quiser ler sobre quarenta diferentes teorias e modelos que muito me ajudaram a entender melhor a psicologia por trás de equipes e empresas.

Mas atenção, todas tem um viés, opinião, tento demonstrar de que forma elas me ajudaram a entender melhor pessoas, trabalho em equipe, organizações, porque de muitas atitudes, conscientes ou inconscientes. Isso ajuda você a ajudar.

Espero que a leitura seja útil, fico a disposição para receber dicas de outras teorias e modelos importantes, criticas e sugestões. O link para baixar é do DropBox e agradeço muito desde já qualquer feedback sobre o conteúdo.

Clique aqui para baixar no dropbox!

APRESENTAÇÃO
400 AC – A ALEGORIA DA CAVERNA
400 AC – POIESIS
1350 – HUMANISMO
1791 – UTILITARISMO
1885 – CURVA DE EBBINGHAUS
1908 – LEI DE YERKES-DODSON
1946 – PETER DRUKER
1950- CONSTRUTIVISMO
1950 – TEORIA SÓCIO-TÉCNICA
1950 – PDCA – CICLO ITERATIVO
1950 – TRILOGIA DE JURAN
1963 – APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA
1964 – EQUIDADE E EXPECTÂNCIA
1965 – CURVA DE TUCKMAN
1969 – JANELAS QUEBRADAS
1972 – TEORIA DA AGÊNCIA
1972 – TEORIA CONTINGENCIAL
1974 – AS 8 LEIS DE LEHMAN
1977 – TEORIA INSTITUCIONAL
1977 – APRENDIZADO VICÁRIO E AUTO-EFICÁCIA
1979 – JSM, JOB STRAIN MODEL
1983 – MASSA CRÍTICA
1984 – TEORIA DAS RESTRIÇÕES
1984 – STRUCTURATION THEORY
1984 – APRENDIZADO EXPERIENCIAL
1990 – CAPACIDADE ABSORTIVA
1991 – EXPLOITATION EXPLORATION
1991 – COMUNIDADES DE PRÁTICA
1995 – CULTURA ORGANIZACIONAL
1996 – A ORGANIZAÇÃO APRENDE
1997 – ESTRUTURA EM HIPERTEXTO
1998 – CONCEPT OF BA
1999 – TEORIA DO FLUXO
2000 – CYNEFIN E COMPLEXIDADE
2002 – GESTÃO POR COMPETÊNCIAS
2002 – SOX E GOVERNANÇA
2008 – GAME THINKING
2014 – COP DE COP’S
2015 – CONCEPT OF BA OFFICE

frase-se-eu-vi-mais-longe-foi-por-estar-de-pe-sobre-ombros-de-gigantes-isaac-newton-103508 (1)