0

Learning Canvas – As Is x To Be

Assim como o Managing Dojo do Manoel Pimentel, outro grande nome da comunidade ágil brasileira desenvolveu o Learning Canvas, Alexandre Magno idealizou um quadro que auxiliasse no direcionamento de um debate para resolução de um problema, desafio ou aproveitamento de oportunidade.

O Learning Canvas surgiu em meio a proposta do Magno para toda uma plataforma que ele identificou como Learning 3.0, sob o paradigma de construção coletiva, com técnicas e dinâmicas para facilitação com o intuito de organizar sem tolher a liberdade e co-criação.

Se utilizando de duas perspectivas – passado e futuro – no passado é importante estabelecer qual é o tema a ser debatido e endereçado, quais os sintomas percebidos para então esclarecer a experiência, o que já foi feito ou tentado. No futuro, ideias de novas opções, resultados esperados e tentativas.

É importante, dentro do possível, seguir o racional temporal proposto da esquerda para a direita, uma ordem não impositiva, mas justificada para organizar a construção de uma solução a partir do problema, fatos históricos, experiência acumulada, ideiação, metas e plano de ação.

Tema e cabeçalho: Asker é quem propõe o problema, Sharers são todos que ali estão para ajudar a resolver e tem também o Facilitator;

Problems and Symptoms: Problema e informações adicionais suficientes para entendimento;
Stories: Qual o contexto, o que existe hoje, o que já foi tentado, decisões passadas, situação atual;

Ideas: Registro do debate sobre possibilidades para resolução do problema ou oportunidade, ideias e  alternativas;
Expect Results: Como será o futuro quando este problema não existir mais ou a oportunidade tiver sido aproveitada;
To Try: é o plano de ação resultante do debate, aproveitando as melhores ideias sob a expectativa de futuro desejado.

Confere o vídeo abaixo, termos uma técnica para organizar reuniões para resolução de problemas ou brainstorming é essencial para manter o foco de forma sistematizada, garantindo uma reunião criativa e de ideação sem perder o rumo.

0

Debates entre Especialistas na Escola Politécnica

A cada semestre implemento um programa de Debate Entre Especialistas, convidando não só profissionais de muita experiência para montar um painel ou storytelling sobre um tema de grande interesse, como BDD (Behavior Driven Development), DDD (Domain Driven Design), DevOps e GP em projetos ágeis.

O objetivo é aproximar alunos e profissionais experientes para uma hora de interação, troca de percepções, muito aprendizado vicariante. As contribuições são em 360º, além dos debatedores ou palestrante, a aula é aberta, mesclando alunos com profissionais da comunidade TecnoTalks de empresas do parque TecnoPUC.

Não só em 2018, mas em anos anteriores sempre tive a oportunidade de contar com grandes profissionais, contando com a presença e contribuição do Sr Lincolm Aguiar, Matheus Alagia, Paula Martins, Patrícia Garay, a cada ano conforme o tema e interesse das turmas nas disciplinas de GP e Tópicos Especiais em Engenharia de SW.

Hoje (22/06/18 as 19:30) teremos o encerramento na disciplina de GP com três grandes nomes em PMO, Agile e Projetos com o objetivo de debater o papel do novo escritório de projetos em empresas ágeis, interagindo com os papéis de Agile Coachs, Scrum Masters e Gerentes de Projetos.

Na quinta-feira de 21/06 as 19:30 tivemos o compartilhamento de conhecimento de um dos grandes arquitetos de solução do RS, Cléber da Silveira falou todo o abecedário de um projeto do século XXI usando as melhores práticas de DevOps, automação, escalabilidade, papiline de infraestrutura a software.

No dia 07/06 tivemos um super-debate sobre uma disciplina obrigatória em equipes que buscam uma arquitetura de solução orientada a domínios e não a tecnologia, três profissionais responsáveis por aplicá-la em seus projetos ou empresa interagiram e compartilharam suas experiências.

Sobre BDD o bicho pegou, falamos da teoria e o contrastes com a prática de mercado, dificuldades, resistências e equívocos em lidar com BDD como uma técnica de automação de testes sem envolver todo o processo e desde o início para entendimento e modelagem a partir de comportamento.

0

Cleber da Silveira – storytelling de arquitetura em um projeto de software

Alunos e profissionais que foram no TecnoPUC ou PUCRS no final de tarde, sala 306 do prédio 32 (Escola Politécnica) onde rolou uma storytelling imperdível com Cléber da Silveira, arquiteto de referência da DBServer com 15 anos de experiência em projetos de SW.

Ele relatou o passo-a-passo de um projeto no tocante a arquitetura, pipeline, integração contínua, devops e o necessário para apoiar máxima fluidez, consistência e garantia de qualidade a uma equipe de desenvolvimento de software …

  • Microservices x domínios
  • Deploy contínuo
  • Análise de vulnerabilidade
  • Validação contínua do MVP
  • Autonomia do time
  • Entropia (ADE)
  • Quality Gate
  • Telemetria
  • Circuit Breaker
  • Escalabilidade e roteamento
  • Database Migration
  • Isolamento
  • GitLab … feature branch
  • Inspeção contínua
  • Testes de Unidade e integração
  • Provisionamento
  • Pipeline
  • Fitness function
  • Agilidade

Em meio a tudo isso, uma hora intensa, com bastante interação com um dos melhores arquitetos do Brasil, um show de informações sobre grandes players, auto-scale, pipe e escalabilidade de infra como código, back-pressure, everything fails overtime, etc.

Em 2016 tive o privilégio de contar com a presença do Sr Lincolm Aguiar, em 2017 um storytelling com o Matheus Alagia, em 2018 com o Cleber da Silveira, com certeza três dos maiores profissionais de TI com quem trabalhei em mais de 30 anos de profissão, centenas de projetos, dezenas de empresas.

A seguir, outra apresentação feita pelo Cleber, desta vez sobre OAuth2:

 

0

Lean Project Canvas – Ajuda no trabalho com Portfólios

Lean Project Canvas foi proposto por Brad Swanson com o objetivo de criar um artefato que facilitasse a priorização de portfólios sob um mindset ágil e visual de proposta de valor para o negócio. Na prática, gera fichas pré-formatadas para uma visão posicional e profunda de projetos em um portfólio.

O lado esquerdo do canvas trata de percepções de mercado, enquanto o lado direito diz respeito a produto/serviço. A análise quantitativa de valor para o negócio e custos se utiliza de uma série parcial de Fibonacci, o que acaba permitindo uma leitura transversal comparativa entre pontos de Valor para o negócio e de Custo.

  1. Qual o Problema a ser endereçado, como ele é resolvido ou contornado agora;
  2. Quais os Segmentos de Clientes, seguindo a técnica de personas e quais seriam os early adopters;
  3. Relacione os principais Canais para acessar e converter clientes;
  4. Diga quais as Métricas de Sucesso (Aquisição, Ativação, Retenção, Receita, Referência);
  5. Quais são as Possíveis Soluções conhecidas ou percebidas;
  6. Prontidão empresarial diz respeito a dinâmica interna da empresa em gerar sinergia;
  7. Custo pelo Atraso é uma métrica que avalia o impacto da postergação (*);
  8. Valor do negócio em pontos, para o usuário, urgência (custo de atraso) e redução de risco ou oportunidade;
  9. Custo do negócio em pontos.

Seria possível prever a criação de uma taxa de retorno em destaque em cada ficha (ROI = Valor em pontos / Custo em pontos) e ao invés de um quadro linear conforme proposto (logo abaixo), imagino um quadro misto com uma área relativa a backlog, de transição já direcionando às esteiras e as esteiras em curso.

Cheguei a lembrar no Portfólio com a alegoria da corrida de carros proposta pelo Rafael Capra … ia ficar legal, mas ia precisar uma parede de dimensões legais \o/

Pessoalmente, divulgo muito porque é afim as minhas crenças uma imagem atribuída ao grande Ricardo Vargas sobre gestão de Portfólio (abaixo), onde esta abordagem de fichas com as informações essenciais é 100% aderente e complementar.

Outra citação é a proposta descolada do grande Rafael Capra de SP em usar uma alegoria de pista de corrida, que me faz pensar em esteiras (times) com escuderia e carros como projetos com alguns nos boxes, talvez algum acidentado sendo atendido e aqueles no páreo para a reta final (entregas) …

0

Feedback Canvas

Não tinha nenhum post sobre uma das técnicas mais votadas em alguns workshops de Toolbox 360º … aqui resolvo este gap:

Segundo princípios Lean, ágeis e do criador deste Canvas, Matheus Haddad, mais importante que a dimensão de desempenho individual é perceber o resultado do trabalho com uma dimensão coletiva, logo, que tal um canvas com uma visão mais ampla que o 1:1 entre líder e liderado. No Feedback Canvas a avaliação é feita em uma folha A3 coma participação de todo o time.

Cada vez mais, com mais frequência, formal e informal, baseado em OKR ou metas pactuadas entre gestor e colaborador, é interesse recorrente e legítimo de todos esclarecer qual a sua visibilidade e avaliação. Em feedback é fundamental o entendimento de nossa missão, trabalho/atividades, pontos fortes e fracos. A imagem exemplo abaixo está detalhes em https://blog.runrun.it/feedback-canvas/

Eu já fiz uma retrô com feedback onde gerei linhas, uma para cada integrante, com todas estas informações de forma que ao final todo o time gerou um super feedback para todos. Se souber conduzir, é como um brainstorming com clusterização, é divertido e ao não levarmos para o pessoal, gerará muito insights e cada integrante levará consigo aquilo que acredita que o fará melhorar como pessoa e profissional.

  • Competência ou função;
  • Suas atividades;
  • Uma avaliação sob diferentes aspectos;
  • Pontos positivos e negativos;
  • Quais as ações de melhoria pactuados.
0

Workshop Toolbox 360º de 02/06/2018

Não tinha registrado aqui no blog a edição do Workshop Toolbox 360º do dia 02/06/2018 a tarde no Global TecnoPUC, que mais uma vez agrupou vinte e cinco profissionais de diferentes áreas para debater e levar para casa o tabuleiro, o baralho e toda a inquietação gerada em quatro horas de interação sobre ideias, técnicas e boas práticas.

“Trabalho na área de Marketing Digital, e é incrível aprender coisas novas e poder adaptar para o meu contexto. O Workshop proporcionou conhecimentos e reflexões não só sobre processos de trabalhos, mas também sobre carreira. É incrível ver como todos os problemas e desafios se tornam mais leves e simples de se resolverem quando pensamos de forma sistemática, organizada e com propósito, entregando valor.” – Carolina Ullian – Analista de Marketing Digital na RedeHost

“O workshop Toolbox 360° possibilitou ter contato com dezenas de ferramentas que muito úteis em minha atividade profissional. Recomendo, em especial para quem trabalha com grupos e deseja conhecer formas disruptivas de conduzir e engajar equipes.” – Barbara Silva Costa – Sistemica desenvolmento educacional

“Percebi que projetos que estava desenvolvendo poderiam ser muito mais colaborativos e com mais sentido para as minhas equipes de trabalho. Alterei uma metodologia de um projeto já na segunda-feira e obtivemos um resultado com um propósito muito mais alinhado com a missão deste projeto. A forma apenas começou a ser mudada e já vemos um horizonte muito mais eficiente. Acho que está é a forma de criarmos algo realmente novo no mundo corporativo.” – Alexandre Ascal – Consultor e Coaching Executivo.

“Vivenciar esse momento no sábado foi muito gratificante, além de todo o conhecimento absorvido com foco em desenvolvimento de projetos, o professor Jorge nos auxilia no planejamento da nossa carreira, eu que de certa forma me sentia “perdida” nessa jornada profissional saí de lá cheia de respostas. Só tenho a agradecer pela tarde de valor imensurável.” – Pamela Moraes da Rosa – analista de Suprimentos Gerdau

“Eu pessoalmente já tenho em mente utilizar a Janela de Johari no meu ambiente pessoal para me tornar uma pessoa melhor com meus familiares, amigos, enfim, pessoas próximas.” – Vinicius Bittencourt Ramos – Analista de testes

“Participar do workshop para mim foi muito mais que aprender e discutir ferramentas, conheci novas pessoas e pude ver a aplicação das técnicas através de outros olhos. Excelente experiência!” – Camila da Silva Capellão – Analista de Negócios CWI

“Tirou minhas ideias do lugar e me pôs a pensar…” – Mara Lúcia Barbosa da Silva – Educadora Escola Convexo

Estou reorganizando todo meu arsenal de jogos e técnicas em Toolboxes especializados, um geral, um tecnológico, outro sobre Team Building Games, além dos de Educação e RH que vão ser gerados a N mãos no dia 23/06 próximo. Entre nessa vibe do Toolbox 360º, sou parceiro para construir em diferentes áreas Toolbox especialistas.

0

06/06 – TecnoTalks People Analytics

Uma noite com grandes nomes ligados ao RH do século XXI, temas sobre People Analytics, avaliação continuada, atração, desenvolvimento e retenção. Online de Boston Deli Matsuo, ex-diretor do Google e ex-VP de pessoas na RBS, fundador da Appus, e de SP o Lauro Madalosso, gerente de produtos também da Appus.

Aqui do parque teremos Daniel Kafruni da startup Elofy sediada no TecnoPUC falando sobre gestão de metas e OKR, contaremos também com o Fernando Gutheil para falar sobre People Analytics na Renner, fechando a noite com a Carine Pereira da SerMais,  que também é curadora do TEDx Feevale.

Uma noite sobre pessoas e organizações, exercitando o tema da noite, conectando e interligando pessoas, Na organização contamos também com o Marco Migliavacca, a Andreza Deza e a Jéssica Aaraújo, parceiros e TecnoTalkers de outros carnavais. Na platéia muitos companheiros de jornada, mas a maioria da galera era da área de RH.

Desta vez a rede suportou bem, impecável, só foi preciso reiniciar uma vez, mas abaixo está em dois vídeos a totalidade das três horas de eventos – Deli e Madalosso da Appus, Gutheil da Renner, Kafruni da Elofy e Carine da SerMais.