Modelos de maturidade para empresas orientadas a dados

Compartilho quatro modelos de maturidade em organizações orientada a dados, o 1° e o 2° são meus preferidos. São abordagens úteis, que ajudam em um primeiro entendimento e autodiagnóstico sobre o status atual de uma organização, depois podem dar uma noção de evolução.

MODELO 1 – DELL DATA MATURITY MODEL

Criado pela Dell, o artigo foi publicado na CIO americana e é bem objetivo e resumido – https://www.cio.com/article/3077871/the-four-stages-of-the-data-maturity-model.html. Na fase [1] Data Aware, as empresas compilam manualmente relatórios não padronizados de diferentes sistemas. Na fase [2] de Proficiência em dados, a qualidade dos dados é questionada, mas ainda possui vários bancos de dados ou data marts e um data warehouse incompleto.

Na fase [3] chamada Data Savvy as organizações estão usando dados para tomar decisões críticas de negócios para iniciativas importantes. Finalmente, na [4] a TI e o negócio funcionam como uma unidade coesa e compacta, as fontes de dados e aplicativos estão integradas e há uma plataforma de análise avançada porque a empresa sabe onde e como incorporar análises em seus processos.

MODELO 2 – OS 5 NÍVEIS x 10 DIMENSÕES PARA ORIENTAÇÃO À DADOS

Encontrei e recomendo um artigo que propõe um modelo de maturidade detalhado em cada um dos seus cinco níveis, além de um assessment gratuito, mediante cadastro. O assessment classifica, a partir de um questionário simples, em que estágio estaria sua organização. O site contém um detalhamento primoroso sobre sua proposta, tanto sobre cada um dos cinco níveis, como também detalhando melhor cada uma das 10 dimensões, além do assessment gratuito – https://data-driven.rubenbuitelaar.com/

  1. Reporting Visualize os dados existentes e crie a base para um futuro analítico;
  2. Analyzing Mergulhe mais fundo nos dados para entender por que as coisas aconteceram;
  3. Optimizing Otimize os processos de negócios trazendo insights analíticos para as operações;
  4. Empowering Capacite os funcionários, ferramentas e conhecimento para atividades analíticas;
  5. Innovating Use dados e experimentos para inovar em produtos e transformar a organização.

Além dos cinco níveis existentes no modelo de maturidade acima, apresenta 10 dimensões, que envolve competências e habilidades organizacionais necessárias – Dados, Métricas, Habilidades, Tecnologia, Liderança, Cultura, Estratégia, Agilidade, Integração e empoderamento. Assim como na roda da vida e no assessment do James Shore para equipes ágeis, o resultado é um gráfico radar, que podemos guardar, para quando refazê-lo poder sobrepôr e ter um prisma evolutivo de mudança:

  1. Dados são fornecidos, transportados, transformados, armazenados, processados, protegidos e gerenciados;
  2. Métricas deves estar apoiadas por modelos analíticos para ajudar a orientar na direção certa;
  3. Habilidades, as pessoas são responsáveis ​​pelo sucesso de uma transformação baseada em dados;
  4. Tecnologia – Se os dados são o combustível, a tecnologia é o catalisador para a orientação a dados;
  5. Liderança, se norteadora, desempenha um papel importante para a maturidade baseada em dados;
  6. Cultura baseada em dados pode ser uma grande fonte de inovação;
  7. Estratégia determina a direção e o papel das análises em sua organização.
  8. Agilidade se concentra em como se adaptar e executar, enquanto a estratégia no panorama geral;
  9. Integração trata como o insight e os resultados produzidos estão transformando dados em ação;
  10. Fortalecimento é a capacidade de todos os funcionários se envolverem em atividades analíticas e colher os benefícios. Os funcionários precisam ter as ferramentas certas, painéis, software, etc. Ter acesso às informações certas e conhecer as técnicas corretas de experimentação ou melhoria contínua?

MODELO 3 – OS 6 ESTÁGIOS DA ORGANIZAÇÃO ORIENTADA A DADOS

Em https://www.wwt.com/article/data-maturity-curve, a curva de maturidade de dados do WWT (World Wide Technology) ilustra os estágios típicos pelos quais as organizações passam para alcançar uma cultura orientada a dados:

  • Zero: Falta de dados para projetos analíticos 
  • Um: Projetos de dados isolados
  • Dois: Repositório de dados seguro e confiável
  • Três: Autoatendimento controlado 
  • Quatro: Scientific Hub for Data Insights
  • Cinco: Cultura baseada em insights

MODELO 4 – M2DDM – UM MODELO DE MANUFATURA ORIENTADA A DADOS

No banco de artigos da Elsevier tem uma estudo científica que propõe um modelo (publicado em creative commons) durante a 50th CIRP Conferenceon Manufacturing Systems por pesquisadores da Graduate School advanced Manufacturing Engineering da Universidade de Stuttgart – https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S2212827117304973

Frente à Indústria 4.0, impõe-se a transformação para um modelo de manufatura baseado em dados, com integração horizontal e vertical da cadeia de valor e gerenciamento de dados de todo o ciclo de vida do produto. Os autores apresentam arquitetura de referência e um modelo de maturidade:

Outros posts

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s