Agile Brazil 2013 – 3º dia – 2ª parte

O dia já estava muito bom, mas iria melhorar ainda mais, isso é Agile Brazil 🙂

Manoel Pimentel – Manajement Dojo

Um abordagem assertiva, energizada, um privilégio ter assistido e participado da dinâmica dele, uma sacada genial e que eu acredito ao extremo, pois escoteiramente “Aprender Fazendo” em equipe e de forma lúdica é o melhor caminho para a introdução e fixação de conheciment. A base da dinãmica é um canvas de trabalho com 5 áreas – problema, histórias, idéias, hipóteses e métricas.

canvas-mng-dojo

Um Dojo especial, muito interessante, 100% aderente a áreas não técnicas mas também uma ferramenta interessante para instigar a equipe a encontrar de forma divertida solução para dificuldades identificadas em retrospectivas, com certeza uma dinâmica que reproduzirei com satisfação, assim como o Aviões 2.0 do Flávio Steffens, o famoso Mashmellow Challenge e o Mexendo com o Fluxo do grande Paulo Caroli.

1. Iniciou com a proposição de um problema, posto que “uma empresa perdia talentos para o mercado mesmo ptraticando remunerações acima da média de mercado”, precisariamos durante o Dojo montar uma estratégia, um plano de ação para endereçar uma solução ou mitigação, a informação é só essa, como se fossemos consultores chegando em uma empresa para trabalhar;

2. Ciclos iniciando com 3 minutos com todos da mesa participando de um brainstorming pensando em histórias (fatos conhecidos e que podem ajudar, planos conhecidos e que podem ser parte da solução) e idéias (pressuposições. alternativas pensadas mas que não temos confirmação de sua eficácia), colocando postits em um destes dois campos;

3. O ciclo se fecha com mais 5 minutos em que apenas a dupla (piloto e co-piloto) corrente do Dojo podem pensar em hipóteses de planos de ação, debatendo entre eles e colocando os postits ou removendo outros, da forma que acredita ser o melhor;

4. Retoma-se novos ciclos de 3 + 5 até todos terem pilotado, mas para encerrar tem um passo inusitado em que no caso de turmas de treinamento é genial, uma variação do fechamento para Open Spaces em que cada equipe apresenta para o grande grupo seu plano de ação, mas desta vez é um fechamento a la “World Coffee”, fica somente um de cada mesa e os demais vão um para cada uma das outras mesas, fazendo um último ciclo de braimstorming em que o que ficou explica aos demais … cheque mate de mestre em uma dinâmica já nota 10.

A condução é muito importante, detalhes na orientação, dicas, coisas que com o Manoel Pimentel lá na frente fica fácil demais, entrou definitivamente para meu cinto de utilidades  \o/

mngmt-dojo

Priorizando por Objetivos – Lourenço Soares e Alexandre Klaser

Devemos ter muito cuidado e evitar que o product backlog transforme-se em um depósito de idéias, a proposta desta palestra é montar um modelo de Hipóteses. Com foco em objetivos e não em quantidade, focando em Valor real e nas métrica para entender como será medido, quem de fato são os clientes, o que faremos, quais os ciclos e entregáveis, como fazer gestão visual para visualização e priorização das múltiplas hipóteses levantadas e a serem trabalhadas.

A técnica para levantamento é semelhante a um Story Mapping, com eixo X para Valor para o Negócio e eixo Y para Valor para o Usuário, como segue :

mapping

Na visão deles: ” Hipóteses são como cebolas, tem múltiplas camadas, que vamos construindo da primeira, do núcleo para fora, até a casca!” … eu fiquei pensando, prefiro pensar que são como uma alfaces, pois cebolas são picantes e nos fazem chorar, mas entendi a ideia!

Levantaram uma reflexão e embasamento do modelo de KANO e do velho e necessário ciclo de DEMING, buscando subsídios para uma abordagem de relevância e priorização por 1º PROVER, 2º SATISFAZER e só em 3º SUPERAR.

morte ao backlog

O primordial nesta alternativa de gestão de backlog é o fato de estar a vista sob uma lente de priorização clara por objetivos, sai das gavetas e com frequência é possível reunir-se em frente ao quadro como em um Kanban e decidir o que entra, sai, muda ou prioriza. Acho que tem muito Product Owner que vai simpatizar com o modelo, eu não sou PO e simpatizei, aprovado!

Próximo AGILE BRAZIL será em FLORIANÓPOLIS

No salão principal, com pompa e circunstância, soubemos e já começamos a levantar hipóteses para a viajem e hospedagem no próximo Agile Brazil em 2014, que será em Florianópolis sob a coordenação do grande Samuel Crescêncio, foi também valorizada a parceria com a Agile Alliance, que se manterá para 2014, foi feito uma convocação aos voluntários que queiram ajudar, pois findo um evento já começa a organização do próximo.

Este ano foi atingida uma marca histórica, tivemos MIL participantes e uma aproximação decisiva entre a comunidade e protagonistas dos governos federais e regionais que tiveram uma trilha específica de palestras e debates sobre como termos contratos e projetos ágeis na esfera estatal brasileira.

O Samuel, primeiro a esquerda da foto abaixo, alertou que não precisamos nos preocupar com a concorrência da Copa 2014 em Julho, o AB 2014 será antes, em data ainda a ser definida, mas de forma a não conflitar com a Copa do Mundo.

organização-ab2013

Um comentário sobre “Agile Brazil 2013 – 3º dia – 2ª parte

  1. Pingback: Um ano e meio de blog – Obrigado galera! | Jorge Horácio "Kotick" Audy

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s