DMAIC é o PDCA do 6Sigma

O acrônimo DMAIC simboliza o ciclo de melhoria contínua orientado a dados proposto pelo 6Sigma, proposto na década de 80 pela Motorola e disseminado a partir da experiência de sucesso na GE sob a batuta de John ‘Jack’ Welch, um dos mais aclamados CEO da fortune 500 de todos os tempos.

Six Sigma é uma abordagem gerencial desenvolvidas pela Motorola que sugere método e técnicas para melhorar sistematicamente processos fabris, eliminando variabilidades indesejadas e defeitos. O Six Sigma foca na melhoria contínua dos resultados de forma planejada, principalmente financeiros.

Welch levou o 6Sigma para a GE nos anos 90, com resultados que o tornaram uma lenda e projetariam o 6Sigma e DMAIC a nível mundial. O objetivo era reduzir falhas e desperdícios em seu processo fabril e ter produtos livres de defeitos, o que proporcionou a GE lucros incrementais de bilhões de dólares.

Uma abordagem mais “americana” que o Lean, lembrando que CEO’s americanos, como Welch, não eram famosos por valorizarem os aprendizados fabris protagonizado pelo Japão em seu famoso programa de qualidade no pós-guerra, que lhe rendeu a liderança em variados mercados até hoje.

A mim lembra muito o PDCA, claro, mas mais ainda o A3 Report, técnica típica do Lean para a resolução de problemas. Largamente utilizado por equipes industriais, onde temos em uma A3 o esclarecimento do problema, sua causa-efeito, plano, acompanhamento e revisão.

1. DEFINIÇÃO (DMAIC)

Iniciar entendendo e acordando, um 5w2h do problema e do trabalho esperado. O passo inicial não poderia ser outro: aqui, você define o que espera do projeto. Ao definir e delimitar o problema e seu histórico, é necessário estabelecer seus processos com clareza.

Desafio ou problema, envolvidos (clientes, equipes, fornecedores, parceiros), objetivo e benefícios, onde podemos usar ferramentas que tenhamos maior domínio, desde o desenho do processo, escopo, necessidades e ‘contrato’, representando essas informações enquanto um pacto entre os envolvidos.

2. MEDIÇÃO (DMAIC)

Aqui temos a grande tônica deste método e da abordagem 6Sigma, a orientação a dados, informações, estatística, quantitativos e qualitativos. Buscar as origens de dados, dimensionando-as e priorizando-as de forma a identificar as informações úteis, histórico, monitoramento, evolução e tendência.

Nesta etapa há um aprofundamento no estudo dos processos para a identificação de pontos de atenção e o uso de diferentes técnicas para análise de métricas, indicadores, criação de dashboards, identificação de gatilhos e o substrato informacional para suporte a tomada de decisão.

3. ANÁLISE (DMAIC)

Levantados os dados, é preciso transformá-los em informação e conhecimento, analisando-os para mapear e compreender o comportamento atual. Esta etapa aciona estudos de causa e efeito, valor, confiança e variabilidade, através de ferramentas quanti (estatísticas) e qualitativas.

Aqui trabalhamos, descartamos ou confirmamos hipóteses baseadas em informações, destacando técnicas baseadas em pareto a partir de causa e efeito, análise de impacto, análise de risco, matrizes de priorização. Na prática, buscamos detecção e confirmação baseada em dados.

4. MELHORIA (DMAIC) – Improve

É claro que algumas melhorias vão sendo percebidas, são óbvias e acontecem de forma gradual durante o processo, mas neste método há uma ênfase à etapa, é aqui, a partir do caminho até aqui, com dados e análises que melhorias mais elaboradas são propostas, planejadas e executadas.

O método pressupõe um contexto complexo, industrial via de regra, onde mudanças podem demandar razoável envolvimento e esforço, alterações podem envolver pessoas, processos, maquinário, ferramental, ambiente, … o que provavelmente poderá envolver semanas ou meses.

5. CONTROLE (DMAIC)

Acompanhamento, confirmação e consolidação, manter o levantamento de dados para confirmação dos resultados. É preciso haver um plano de controle, que diz respeito a garantir, desde a comunicação, treinamento, experimentação, validação e sustentabilidade das melhorias.

Não podemos esquecer de aferir resultados nos diferentes planos, a partir da confirmação do ‘contrato’ pactuado no início do ciclo DMAIC, onde tínhamos o problema, envolvidos, objetivos, que devem ser agora dimensionados quanto a solução, confirmados e comunicados.

Conclusão

Não vou explicar a minha defesa do princípio que todo conhecimento agrega, o quanto entender as bases de métodos, técnicas e boas práticas que fizeram história nos fortalecem. O objetivo é ler e perceber suas fortalezas, fraquezas e aprender a partir delas, gerar confirmações e novos insights.

Além do conhecido método DMAIC, usado para melhoria de processos, o 6Sigma também propõe um segundo método, mais afim para o desenvolvimento de novos produtos e processos sob o acrônimo DMADV Define, Measure, Analyse, Design e Verify … mas este eu explico outra hora, em outro post.

Anos 80 e 90 e uma abordagem desta envergadura já pressupunha a necessidade de uma orientação a dados, a necessidade de estabelecer métricas objetivas para levantamento, monitoramento e melhoria contínua. Uma percepção que aos poucos expandiu para todos os aspectos de negócio e mercado.

12540762_798380016975558_5727209062427083267_n

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s