0

Repaginando – Criatividade e Inovação

Peça a cada membro da equipe que tragam algo que utilizem com certa frequência e que esteja sobre a sua mesa de trabalho. Apenas diga que farão um exercício em que precisarão de algo útil do cotidiano de cada um.

Ao iniciarem o jogo, explique que estes objetos são as oportunidades de mercado e eles próprios serão os clientes a serem entrevistados. O objetivo é usar de seus conhecimentos sobre os itens para escolher aquele que maior potencial tem para desenvolver um produto inovador que o substitua.

Devem analisar as deficiências e pontos fortes, suas oportunidades e restrições, para então fazer um brainstorming focado em definirem um novo nome, logotipo, slogan e abordagem para marketing do novo produto.  Dado um tempo de 15 minutos, ofereça 2 minutos de apresentação de seu planejamento, ao final propondo que todos votem nos melhores produtos e planos.

PRINCÍPIOS: Uma oportunidade de exercitar a ideação, criatividade, inovação, no desafio de ver produtos reais em seu potencial de aprimoramento ou revolução.

DICA: Não é incomum cada equipe escolher um problema real, eventualmente boas ideais surgem, que merecem ser consideradas em um contexto prático de mercado.

0

Inicindo um Toolbox sobre Educação entre colegas de Politécnica PUCRS

A convite da professora Ana Paula, em parceria com as professoras Milene Silveira e Cristina Nunes, que reuniram professores da Escola Politécnica da PUCRS para debater educação, facilitei a construção de um Toolbox Wall do zero, contendo apenas o que cada um usa em sala de aula.

Foram em torno de três horas de debates, world café, clusterização, com revisão e edição das categorias propostas e ítens distribuídos entre Ações Externas, Dinâmicas, Método, Avaliação, Recursos, Engajamento … com muita descontração, brincadeiras e camaradagem.

Para melhor entendimento, levei meus walls de boas práticas e de jogos, fiz uma introdução ao conceito de Toolbox Wall, cheguei mais cedo, organizei a sala em ilhas de seis, cada uma contendo uma folha grande de papel pardo, muitos postits grandes, quadrados e pequenos, além de canetões.

Este foi o primeiro passo, agora o mural vai para uma parede junto a sala dos professores, onde queremos que aos poucos vão surgindo outras dinâmicas ainda não materializadas, refinamento delas com mais informações, para que no segundo semestre seja possível formatar além dos postits.

Tenho para mim que um mural desta natureza é um ativo, que expandido torna-se um ativo de interesse não só da politécnica, um mapa inspiracional com diferentes abordagens e técnicas praticadas por colegas, com quem podemos tirar dúvidas, experimentar, inovar, somar, fazer igual diferente.

Esta parada só está começando!  \o/

1

Workshops de 14/07 – Jogos 360° e Toolbox 360°

O Sábado com dobradinha dos workshops de Jogos e Toolbox contou com um mix de participantes de diferentes segmentos e cidades, como serra gaúcha e SP, com professores, facilitadores, Scrum Masters, empresas de eventos, entre outros:

“Foi útil, divertido e traduziu o sentido da aprendizagem 3.0, que valoriza o conhecimento dos indivíduos e constrói novos conhecimentos a partir da troca de experiências. A condução foi consistente e fluída, combinou jogos, teoria e exemplos práticos de aplicação. Além disso, a conexão das pessoas potencializou a criatividade, a visão crítica e a flexibilidade cognitiva, características relevantes na sociedade do século XXI.” – Fabiane Castro – Inteligência Competitiva e de Mercado | Escola de Negócios da PUCRS

“A experiência foi sensacional. Tive inúmeros insights de erros que costumamos cometer sem nos darmos conta e consegui pensar em inúmeras aplicações de jogos em ambientes de sala de aula visando a maximização do processo de aprendizagem. ” – Barbara Silva Costa – Professora Unisinos

JOGOS 360° – Team Building Games

Durante toda a manhã o workshop exercitou dezenas de jogos para formação de times, utilizando-se de quebra-gelos, aquecimentos e jogos pedagógicos, alternando o espaço externo entre os dois prédios do Global TecnoPUC e o espaço do Café Coworking no térreo a esquerda.

Com 40 participantes, quase sempre divididos em grupos, rolou de tudo, com balões, esquis, TNT, papel, tesoura, espaguetti, fita adesiva, adereços como gravatas e bichos de pelúcia (urso e pinguim), canetinhas coloridas, … sempre discutindo o valor, dicas, princípios, …

Quarenta participantes pela manhã e trinta a tarde, entretanto 14 estiveram presentes nos dois turnos e por isso pedimos muita Pizza e refri, que se juntou a nossa tradicional mesa de Coffee com frutas, cuca, biscoitos, merengues, Café Dolce Gusto e várias outras guloseimas.

TOOLBOX 360° – Desafio Toolbox e Toolbox Wall

No turno da tarde foram quatro horas dedicadas a debates e interação contando com 30 participantes, separados em cinco grupos que iniciaram logo cedo com o jogo DESAFIO TOOLBOX 360°, com os bons resultados e bons feedbacks esperados quanto a descobertas e debates sobre técnicas variadas.

Na sequência, alguns debates e o exercício da técnica de TOOLBOX WALL 360°, contando com o assinalamento daquelas técnicas de interesse por cada um dos presentes, gerando um incrível ponto de contato porque a maior parte dos mais votados estavam na programação – planejamento de carreira, modelagem e resolução de problemas.

 

0

Jogo do Pacote Surpresa

Um quebra-gelo divertido, rápido e que gera boas reflexões quanto ao nosso papel enquanto integrantes de uma equipe de trabalho, cada um com conhecimentos complementares, conhecidos pela sua soma.

Providencie previamente uma caixa, coloque uma barra de chocolate lá dentro, junto com folhas amassadas de papel para que apenas faça algum barulho ao ser sacudida, nada excessivo que denuncie o que tem lá dentro.

Envolva a caixa com um papel e fita, se quiser pode ter também várias camadas de papel ao redor para que quando for a hora de desempacotar gere um suspense sobre o que tem lá dentro.

O jogo consiste em fazer um círculo, de pé ou até mesmo sentados ao redor de uma mesa, de forma que um dos participantes receba o pacote e o repasse a quem esta a sua esquerda, assim passando de mão em mão.

No início peça que façam o círculo e a regra de que o pacote passará de mão em mão enquanto a música estiver tocando e quando parar o felizardo terá que abrir, ler e executar uma tarefa surpresa escrita em um papel.

Sugiro usar uma música em um celular, assim como no jogo das cadeiras, o pacote passando de mão em mão até que a música pare, enquanto toca o facilitador pode ir gerando alguma tensão e suspense.

Enquanto o pacote circula de um em um, vá pautando que a tarefa pode exigir alguma habilidade específica, que pode ter que sair da sala e voltar rapidamente, talvez imitar ou representar algo ou alguém, … simples ameaças.

Se o clima do jogo estiver formado, os participantes irão passar o pacote rapidamente, tentando se livrar do que tem lá dentro, antes um dos outros que eu 🙂 até mesmo porque ninguém sabe que lá tem um bombom.

Cabe uma boa reflexão de que é apenas um jogo, que resgata outros jogos de nossa infância, mas desde o início foi explicado que cairia para alguém e muitas vezes o desafio não é que caia então para qualquer outro.

Somos um time, se há algum problema ou algo indigesto a ser feito, vamos conversar e estabelecer de forma auto-organizada a melhor solução. É um jogo divertido, sempre da errado e gera boas reflexões!

0

Dinâmica do Diário

Um desafio no mínimo instigante para equipes que curtem algo diferente na sua rotina, como propôr um café, chá ou chimarrão coletivo a cada dia, podendo ser no contra-turno da sua reunião diária.

Ao contrário de nossa daily standup meeting, este diário tem o objetivo disruptivo de contar um insight ou relatar um fato que vivenciou nas últimas 24Hrs, algo que aconteceu na noite anterior, na vinda pro trabalho, etc.

Cada um terá um minuto para contar algo interessante, algo da TV, de um jogo que jogou, sobre uma refeição que teve, companhia, telefonema, algo que viu a pouco na copa ou nos corredores, em outra equipe ou na rua.

Um jogo para estimular propositalmente nossas percepções sensoriais cotidianas, que normalmente estão no piloto automático, seguindo estudos da neurociência que a maior parte do tempo estamos em fluxo, no piloto automático.

Uma forma de exercitar a contação de histórias (storytelling se preferir o bretão), fomentando nossa atenção em parte do tempo que não estamos mais atentos porque nosso cérebro já acha que não faz diferença.

É uma técnica muito valorizada para desenvolver integração (divertido), desinibição (falar sobre fatos variados), assertividade (máximo de um minuto por pessoa), como a NASA que tem um programa para desenvolver  de forma auto-organizada a arte da oratória em seus profissionais, sob o lema Publish, Demo & To Present.

Se a galera estiver muito atarefada, proponha fazerem este exercício no almoço ou no intervalo do café na meia-tarde, quem sabe uma vez por semana em um café colaborativo relatando insights e vivências da semana, sempre provocando uma abordagem criativa, de inovação, … inesperada.

0

Círculo de Conselho

Todos formam um circulo e sentam-se com as pernas cruzadas a frente. Em ambiente corporativo pode ser em uma sala acarpetada, mas eu sempre curti ir para a rua e fazer sob as árvores do parque tecnológico, nos gramados das alamedas do Tecnopuc.

Pode ser usado para um debate descontraído, para resolver um tema polêmico, através da deliberação de todos, de forma lúdica e descontraída, por exemplo:

  • Dê as boas-vindas e realize um exercício de energização:
    • Uma meditação, alongamento, respiração;
  • Apresente o objetivo inicial e puxe um pacto:
    • Cada um diga sua expectativa e objetivo;
    • Combine horários, break e responsabilidades;
  • No centro é importante colocar algo significativo:
    • Pode ser algo do grupo, símbolo ou mascote;
    • Pode até ser um lanche ou café quentinho;
  • Faz-se um pacto de intenção, onde tudo será construtivo:
    • Opiniões são bem-vindas, mesmo contrárias;
    • Não devem levar nada para o lado pessoal;
    • Combinem um token para garantir a palavra;
  • Apesar das combinações, facilite um clima positivo:
    • Evite ficar interrompendo, eles se resolvem;
    • Se esquentar, interfira deixando a energia fluir;
  • O encerramento é colaborativo:
    • Deixe que cada um diga o que aconteceu;
    • Feche com uma provocação construtiva.

PRINCÍPIOS: Comunicação é o melhor caminho, mas tomar decisões de forma democrática exige discernimento e bom senso. O que vale são os argumentos, mas frente a um impasse, é preciso que alguém puxe para si a responsabilidade, para isso que o SCRUM possui papéis, dentre eles o Product Owner.

DICA: Eu levo folhas de Flipchartpost-its e canetões, que deixo no centro do círculo ao alcance de todos para registro do que for importante.

0

Ligando os Pontos

Esta dinâmica vem de um exercício de criatividade e improvisação que usamos no escotismo entre jovens de 18 a 20 anos em ações sociais, a primeira coisa a ser feita é pedir que sentem-se no chão naquilo que chamamos de um círculo de conselho e dê a cada um uma folha e canetinhas coloridas.

No caso do escotismo, propomos um desafio a ser realizado ou um desafio diferente em cada folha, como uma ação do agasalho, alimentação, páscoa, natal, … e peça que cada um pense em algo fora da caixa, para então desenhar ou escrever na folha sua ideia mais criativa para a ação deste ano. Em 2 minutos, peça que escrevam usando apenas uma parte do papel.

Peça que repassem o papel para a pessoa a sua esquerda, então cada um deve interpretar o que o colega escreveu e desenhos, para então inspirar-se e evoluir, ir além, melhorar ou mesmo resignificar aquela ideia em algo ainda mais criativo, inovador, ousado. Deixe claro que não há preconceitos ou limites, podem viajar na maionese.

Dê dois minutos para cada rodada e então sigam passando ao colega da esquerda, até que cada um tenha novamente a sua folha original em suas mãos. Finalmente, o autor original deve interpretar a evolução e mudanças havidas e preparar uma proposta final convergente ou conclusiva a todo o processo evolutivo trabalhado em sua folha.

No trabalho, além do social, mudanças ou eventos, algo novo, de integração ou gestão do conhecimento, …, é um brainstorming diferente, divertido, de alto impacto, pois todos se envolveram nas ideias de todos, evolutiva ou disruptivamente, encerrando com um minuto para o pitch do resultado em cada folha apresentado por cada um.