Lean Startup em quotes

ERIC RIES é de 53 e propôs a idéia de Lean Startup a partir de suas experiências na criação, manutenção e como consultor de startups. Aprendendo inclusive com a própria startup, Catalyst Recruiting, que fahou ao não entender as necessidades dos consumidores-alvo e focar tempo e energia demais no lançamento do produto inicial.

5 PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DA STARTUP ENXUTA - Zen Agência Web

Na vanguarda do empreendedorismo do século 21, Ries criou uma abordagem revolucionária para a administração, transformando a maneira como os novos produtos são criados, desenvolvidos e lançados. Esses princípios se aplicam a construir produtos inovadores sem desperdício, úteis desde startups de garagem às grandes empresas. Empreendedor residente na Harvard Business School, também define desperdício como toda atividade que não contribui para se aprender a respeito dos clientes.

  • Na dúvida, simplifique;
  • A meritocracia é uma coisa boa;
  • Ler é bom, falar é bom, agir é melhor;
  • Pense grande. Comece pequeno. Escale rapido;
  • Se você não pode falhar, você não pode aprender;
  • Aprender é a unidade essencial de progresso para startups;
  • Em uma inicialização, o problema e a solução são desconhecidos;
  • A única maneira de vencer é aprender mais rápido que os outros;
  • Se você não sabe quem é seu cliente, não sabe o que é qualidade;
  • Um pivô é uma mudança na estratégia sem uma mudança na visão;
  • Melhor ter más notícias verdadeiras do que boas notícias inventadas;
  • Toda inovação começa com visão. É o que acontece a seguir que é crítico;
  • Não tenha pressa em ficar grande. Tenha pressa em ter um ótimo produto;
  • Nos primeiros dias, a única pessoa que pode tirá-lo do mercado é você mesmo;
  • O método de inicialização enxuta não tem a ver com custo, mas com velocidade;
  • Se parássemos de desperdiçar o tempo das pessoas, o que elas fariam com isso?;
  • Valor é o fornecimento de benefícios ao cliente; qualquer outra coisa é desperdício;
  • O sucesso não é entregar recursos; mas aprender como resolver o problema do cliente;
  • O objetivo é descobrir como construir um negócio sustentável em torno de uma visão;
  • Um processo sólido estabelece que ideias são avaliadas por mérito e não por cargo;
  • Que importa se fizermos dentro do prazo e do orçamento algo que ninguém quer;
  • Inovação é bottom-up, descentralizado, imprevisível, mas pode ser gerenciada;
  • Uma startup é uma instituição humana projetada para entregar um novo produto ou serviço sob condições de extrema incerteza;
  • Devemos aprender o que os clientes realmente querem, não o que eles dizem que querem ou o que achamos que eles deveriam querer;
  • Cada startup tem a chance de mudar o mundo, trazendo não apenas um novo produto, mas uma proposição inteiramente nova à existência;
  • O MVP é a versão de um novo produto que permite a uma equipe coletar o máximo de aprendizado validado sobre os clientes com o mínimo esforço;
  • A lição do MVP é que qualquer trabalho adicional além do necessário para iniciar o aprendizado é um desperdício;
  • Em um MVP, remova qualquer recurso, processo ou esforço que não contribua diretamente para o aprendizado que você busca;

STEVE BLANK também é de 53, empresário, educador, autor e palestrante, que junto a Eric Ries são os dois pais do Lean Startup. É dele o modelo Customer Development, metodologia que reconhecia que as startups não são versões menores de grandes empresas, mas requerem seu próprio conjunto de processos e ferramentas para ter sucesso. 

Blank publicou em 2005 “As Quatro Etapas para a Epifania: Estratégias de Sucesso para Produtos que Vencem”, que detalha sua abordagem para o processo de Desenvolvimento do Cliente. Em 2010, Blank lançou “Nem todos aqueles que vagam estão perdidos”, que relata histórias de empreendedorismo, como viver em meio ao mundo acelerado das startups do Vale do Silício. “Startup Owner’s Manual”, com Bob Dorf é de 2012, refletindo sobre propostas do Business Model Generation do Osterwalder, enfatizando a necessidade de testes rigorosos e repetidos.

The Art of Innovation: a Conversation with Steve Blank | by BCG Henderson  Institute | BCG Henderson Institute
  • Estratégia não é uma lista de tarefas;
  • Não há fatos dentro do edifício, então dê o fora;
  • Progresso e estabilidade são mutuamente exclusivos;
  • Clientes não pedem para ver o seu plano de negócios;
  • Se você tem medo de falhar, estará destinado a fazê-lo;
  • Os vencedores entendem porque os clientes compram;
  • Falhar é parte essencial da busca pelo modelo de negócios;
  • A inovação vem de quem vê coisas que os outros não veem;
  • A startup busca um modelo de negócios repetível e escalável;
  • Construir seu produto é mais fácil que conquistar seus clientes;
  • Você sabe como chamam um empreendedor fracassado? Experiente;
  • Pivotar são mudanças substanciais em componentes do modelo canvas;
  • Quem melhor descrever o problema … é o mais provável a solucioná-lo;
  • Grandes empreendedores estão confortáveis em estarem desconfortáveis;
  • Clientes não ligam para sua tecnologia, só querem solucionar um problema;
  • Proposta de valor única: Uma só mensagem que diz o porque você é diferente;
  • No Vale do Silício é “Eu posso vencere e voc~e também pode!”, não é um jogo de soma zero;
  • As melhores startups descobrem uma situação em que os clientes tentam eles próprios construir uma solução para seu problema;
  • Desenvolvimento do cliente diz: Que bom que você tem essas hipóteses sobre a sua startup. todas provavelmente estão erradas;
  • 80% do sucesso em sua carreira virá de apenas se apresentar, aparecer. O mundo é governado por aqueles que se posicionam, não por aqueles que esperam ser chamados.
  • Seus cérebros foram conectados para processar todas estas informações baseadas na internet, lidando com o mundo de uma forma diferente da que os humanos jamais fizeram. Este tipo de mudança profunda ocorreu apenas seis vezes na história. Nós somos a vanguarda da sétima onda!

Veja no slide-share os slides do “O manual do dono da startup
Leia o “Customer Development Manifesto” lançado por Steve Blank
Leia “The four steps to the Epiphany” no site da Stanford

ASH MAURYA, a partir dos posts em seu blog, relatando suas experiências na WiredReach, ele compilou e lançou o livro “Running Lean”, que vendeu mais de 10.000 cópias no formato e-book em sua primeira edição.

Ash Maurya é o autor do best-seller internacional “Running Lean” e o criador da ferramenta de modelagem de negócios de uma página “Lean Canvas”. Ash é valorizado por oferecer práticos conselhos para empreendedores e empresários em todo o mundo. Impulsionado pela procura de formas melhores e mais rápidas para a construção de produtos bem-sucedidos, Ash desenvolveu uma metodologia sistemática para aumentar as chances de sucesso construído com as técnicas Lean Startup, Customer Development e Bootstrapping. 

“Running Lean” é fruto de anos de experimentações na busca por construir produtos de sucesso. O livro é baseado em experimentos de aprendizados na construção de variados produtos e resumo do melhor do Lean Startup, Desenvolvimento de Consumidores e bootstrapping. Um guia com estudos de caso, entrevistas e planilhas para empreendedores e inovadores para transformação de uma visão até o produto que os consumidores querem.

From Running Lean to Scaling Lean
  • Posicionamento: A batalha pela sua mente;
  • Os clientes de seus clientes são seus clientes;
  • Encontrar clientes iniciais através de entrevistas;
  • Priorizar as funcionalidades pedidas pelos clientes;
  • A vida é curta para construir algo que ninguém quer;
  • Saber quando e se deve levantar dinheiro de terceiros;
  • Podemos fornecer um serviço de forma única e rentável?
  • Determinar o preço e conseguir clientes que queiram pagar;
  • Os clientes querem o que estamos construindo? E pagariam?
  • Medir o que está funcionando e saber quando mudar o curso;
  • Devemos focar nos ‘early adopters’, os primeiros clientes visionários.
  • O principal motivo do fracasso é construir algo que ninguém quer.
  • No meu interior, continuo sendo um empreendedor e sempre serei.
  • Testar se você possui um problema que precisa ser resolvido antes de investir recursos e construir uma solução;
  • Documentar seu modelo de negócios e comunicar o progresso com os participantes envolvidos – sócios, investidores, clientes…;
  • Não te afogues em um mar de números, pois de todos só interessam cinco – aquisição, ativação, retenção, monetização e referencia.

Apresentação no slide share sobre “Runing Lean
Resumão em português do livro “Runing Lean

Em 2012 assisti uma palestra do Robert Fan que me impressionou bastante e vale a pena dar uma olhada em uma de suas apresentações: “Innovate or die – disruptive innovations not sustaining innovations” – http://www.slideshare.net/rfan622

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s