Execução !

Adotar agilidade é trabalho duro …

O contexto de agilidade não finda em uma equipe ágil, mas pressupõe que toda a cadeia (ou ecossistema) estará comprometida, de forma que todos os interessados diretos e indiretos entendam a idéia de transparência, colaboração, foco em entregas iterativo-incrementais, de valor para o negócio e tudo o mais.

O livro Execução” de Ram Charan e Larry Bossidy esclarece o papel das lideranças em meio ao processo de mudanças para a obtenção de resultados maiores e melhores. Execução, é a dedicação necessária para acompanhar e garantir o sucesso dos tres processos-chaves do negócio:

  • estratégia
  • pessoas
  • operações

O livro recorre das mesmas premissas ágeis de transparência, inspeção e adaptação, além de um capítulo dedicado aos sete comportamentos essenciais do líder – conhecer seu ecossistema, realismo, clareza de objetivos, praxis, meritocracia, orientação e auto-conhecimento.

Essencialmente, afirma que mesmo tendo a estratégia certa, pessoas capacitadas e método correto, é preciso “executar”, é aqui que entra os pilares e princípios ágeis, em que o papel das lideranças e liderados é ter clareza do que acontece, realizando os ajustes necessários naquilo que deve ser alterado para que os objetivos sejam superados:

  • Execução é uma disciplina e parte integrante da estratégia, uma competência a ser adquirida, estudada, revisada e melhorada;
  • Execução deve ser um elemento-chave da cultura da organização, não é responsabilidade de uma pessoa ou área específica, deve ser parte da cultura empresarial;
  • Execução não é um processo de auditoria, é um processo iterativo-incremental cotidiano, de entendimento (transparência), inspeção e adaptação, buscando melhoria contínua;

Resumo: A realização da estratégia não pode ser tratada como um projeto waterfall, em que temos um plano de médio prazo e acompanhamento periódico previsto x realizado, auditado e reportado, é preciso estar presente, entender como e porque as coisas estão acontecendo, para garantir permanente adaptação e superação de forma sustentável.

O livro trata e tem foco no papel dos líderes, entretanto a minha percepção é de que no mundo ágil temos círculos concentricos de execução, desde as pessoas, equipes, times de projeto, de produto, até o mais alto nível corporativo. A execução é responsabilidade de cada personagem deste ecossistema, posto que em agilidade, todos somos protagonistas daquilo que construímos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s