Ensaio sobre estimativas: E se fossemos uma oficina mecânica

Vamos supôr que você foi a uma oficina mecânica e pediu um orçamento para arrumar uma batida lateral no seu carro. O dono da oficina diz que avaliou os danos e que “estima” que seria preciso trocar as peças X e Y, chapear a lateral e pintar, mais mão de obra e o custo fica em 10Mil. Ele adverte que este orçamento é fruto de observação e experiência, mas ao desmontar o veículo poderia surgir algo mais, ainda não percebido.

img_software

Vamos supôr que ao desmontar a lateral se percebe que houve uma torção na longarina e que precisará tracionar de forma a desentortá-la, mas esse é um trabalho oneroso, que envolve usar dois de seus profissionais por uma tarde e isso aumentaria o custo do reparo para 15Mil.

Neste cenário temos diferentes tipos de oficinas e de clientes, esperamos de ambos uma atitude transparente, ética e consciente. O correto seria a oficina e o cliente terem consciência do que é a responsabilidade de cada um, direitos e deveres, em uma relação de confiança – transparência, inspeção e adaptação.

Cenário 1: A oficina lhe comunica antecipadamente

Assim você pode verificar se pode pagar neste momento, pode negociar parcelamento, pode ir lá e pedir para ver o dano na longarina, pode optar por levar em uma oficina especializada, pois uma longarina torta compromete o desempenho do carro e gera riscos de acidentes, há oficinas especializadas.

O dono da oficina não bateu o seu carro, você bateu, ele advertiu que somente teria confirmação quando desmontasse o veículo para ver melhor a extensão do dano. Não adianta descontar nele, afinal, o carro é seu, ele está lhe prestando um serviço e orçar um concerto é sempre passível de ao abrir ver mais coisas ou não.

Por outro lado, se você acha que ele está lhe enganando, se não tem confiança nele, então não deveria ter levado o carro lá, oficina mecânica deve ser uma relação de confiança. Deve ter boas referências e deve aparentar e demonstrar ser capaz, confiável e ética.

Cenário 2: A oficina faz tudo sem comunicar antecipadamente

Essa atitude provavelmente vai gerar uma discussão e no mínimo você vai colocá-lo na lista negra e no futuro não trabalhará mais com ele, no outro extremo pode até rolar incomodação com advogados. Tudo dependerá do que é para você no momento o desembolso de mais 5Mil não esperados.

Isso só pode acontecer se a confiança é tanta que você lhe deu carta branca explicitamente, mas aí você precisa de tratamento, pois oficina não é kinder ovo e pelo menos você deve ser comunicado o quanto antes pois a decisão de fazer ou não, de fazer agora ou depois … a responsabilidade deve ser do dono do veículo.

Tem dono que transfere a responsabilidade, dá carta branca e depois fica brabo com a oficina, mas ele transferiu esta responsabilidade intransferível para eles. Esta situação normalmente conota alguém que não tem apego a grana, porque tem muita ou é maluco, a maioria dos clientes querem participar da decisão.

Cenário 3: A oficina procede apenas o concerto conforme previsto

Esta atitude é desonesta, pode gerar um acidente e um processo na justiça, pois ficará a dúvida (e terá que ser provado) que o problema não foi gerado pela oficina, mas pelo acidente anterior, gerando dúvida de responsabilidade ou não contra a oficina por ter feito o concerto e liberado um carro torto.

O mínimo que se espera de uma oficina é que, ao perceber que o carro está com a longarina comprometida, comunique o dono da real situação do veículo. Daí em diante a decisão é sua. Não é uma atenuante para a desonestidade caso ele o conheça e saiba que é truculento e errar o orçamento lhe trará dor de cabeça.

Rolar com a barriga o problema, não ser transparente é a pior solução, pois tem perna curta e depois o problema terá se potencializado e virado um problemão. O melhor é enfrentar a situação, repassar a alçada a quem de direito (dono do carro) que tomará a decisão e assumirá as consequências.

Conclusão

Estimativa de software é mais ou menos na mesma vibe, somente quando a gente começa o serviço é que podemos perceber detalhes técnicos que podem exigir mais tempo e dinheiro. Quanto mais experiente e confiável a “oficina”, melhor, mas se a estimativa inicial for um contrato imutável, então a solução é multiplicá-la por dois para garantir que não vai ficar no prejuízo e pagar para trabalhar.

Estimativa identifica um cálculo aproximado, avaliação ou conjectura, é uma aproximação, pressuposto, hipótese ou suposição. Só há uma forma de acertar sempre as estimativas, bastaria calcular um número e colocar uma margem generosa, se pressionados para acertar sem errar nunca é o que fazemos …

Não tem mágica, a melhor solução é transparência e confiança, não é a toa que a Pirâmide Lean do Samuel Crescêncio tem a palavra TRUST no seu topo … o cliente tem que pagar o justo e necessário, para isso tem que participar do processo e das decisões, é dele a palavra final, mas tem que ter conhecimento da qualidade e valor daquilo que está pagando.

Um comentário sobre “Ensaio sobre estimativas: E se fossemos uma oficina mecânica

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s