DAD – Disciplined Agile Delivery (Scott Ambler)

Criado por Scott Ambler na Rational (IBM) entre 2009 e 2012. Há alguns anos, quando o conheci, descartei por achar complexo, até confuso, apesar de eu ver com bons olhos termos na toolbox varios modelos e boas práticas, desde o business, projetos, até operações. Mas, ultimamente tenho ouvido falar do DAD, vários contatos se certificando, talvez pelo PMI e o PMBOK 6 ou com o crescimento em grandes corporações.

Ao chamar de complexo (para mim) e confuso (para mim), não é uma crítica ou desabono, posto que foi criado para grandes empresas, onde sabemos haver processos e fluxos mais rígidos, não só relacionados ao desenvolvimento de software, mas boas práticas baseadas em preceitos de governança,em frameworks como o COBIT e ITIL. Isso não caracteriza necessariamente a maioria das minhas interações.

Enquanto as metodologias e frameworks se preocupam com um viés específico para processos ágeis, o Disciplined Agile Delivery (DAD) tenta valorizar o melhor de cada e defende uma visão híbrida, desde Scrum, Kanban, XP e outras. Como na Pivotal ou no SAFe (para mais de 10 times em sincronia). O DAD propõe agilidade desde a estratégia, plano, construção, entrega, estabilização, também questões como DevOps e suporte.

https://www.pmi.org/disciplined-agile – A verdadeira agilidade nos negócios vem da liberdade, não de estruturas. O DAD ajuda a aprender sobre as opções e orienta a realizar um passo de cada vez. Trata-se de um kit de ferramentas que utiliza centenas de práticas ágeis para guiá-lo para a melhor maneira de trabalhar e entregar valor.

O DAD possui dois conjuntos de papéis, que atuam desde a concepção, construção, até a entrega, divididos entre papéis primários e secundários. Os papéis primários são o Team Lead, o Product Owner, os membros do time, o Architecture Owner e também assim considera os Stakeholder. Os papéis secundários são específicos e facultativos, conforme necessidade, como especialistas, equipe de testes, Domain Experts, Technical Expert e Integrator, responsável pela integração entre sistemas.

O DAD oferece quatro camadas – fundação, DevOps, fluxos de valor e empresa ágil. Como no Lean, Kaizen, PDCA ou STATIC, o conselho é iniciar entendendo o seu processo tual, pontos fortes, fracos, oportunidades e ameaças, eu gosto de dizer que é preciso aplicar um 5w2h, desenhar seu fluxo de valor, escolher por onde começar pequenas melhorias … e não parar mais.

O DAD divide seu ciclo de vida em três fases, focado na entrega, desde a INCEPTION, CONSTRUÇÃO e TRANSIÇÃO O DAD inicia com um processo de iniciação, planejamento e/ou organização para o início, valorizando ser o mais leve e ágil possível; Na construção temos um instanciamento de um processo híbrido; Na transição há a percepção de que, em grandes empresas, temos uma complexidade inerente a suas estruturas e soluções e é preciso esforço para agilizar seus processo de implantação, transição e estabilização.

Como afirmei no início, acho muito complexo, coloquei links oficiais logo abaixo para rastreio a quem interessar:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s