1

Primeiro Workshop Toolbox 360º em SanPa com a DBServer

Galera de SÃO PAULO, vou estar a trabalho em SanPa e vou esticar no Sábado dia 21/07 para realizar um Workshop Toolbox por lá para aproveitar a estada. A DBSERVER está apoiando com toda a logística, por isso o valor será o mesmo daqui, R$130,00.

Serão quatro horas, Toolbox Wall, Desafio Toolbox e diferentes exercícios em grupos usando técnicas de planejamento, resolução de problemas e lições aprendidas, além de um bom networking durante o coffee-break.

Cada participante leva pra si um kit contendo o tabuleiro e baralho com mais de 80 técnicas constantes no Toolbox Wall para estratégia, ideação, modelagem, validação, planejamento, discovery, delivery, resolução de problemas, melhoria contínua e lições aprendidas.

Inscrições – http://bit.ly/toolbox210718

Últimas edição com fotos e depoimentos:

https://jorgeaudy.com/2018/05/20/workshop-toolbox-360o-de-19-05-2018/

https://jorgeaudy.com/2018/06/18/workshop-toolbox-360o-de-02-06-2018/

Um post sobre o lançamento do Toolbox Wall:

https://jorgeaudy.com/2017/11/19/toolbox-wall/

Quem for paulista e puder compartilhar para fazer chegar ao povo aventureiro de SanPa agradeço desde já \o/

 

tabuleiro

Esta estrada não teria acontecido sem a inspiração e o apoio de alguns amigos, que em meio a correria do dia-a-dia cederam uma hora para me ajudar a percorrer esta estrada editorial e vivencial. Representativamente, em algumas fotos, agradeço em um tributo a minha maneira:

darth-vader-virada-agil-2016-ufpr-ii

2

$howbiz e auto-promoção estão deturpando eventos e princípios ágeis

Muitos agilistas brasileiros estão preocupados demais com o ego e em vender “novos” treinamentos, modelos, certificações, criar bordões, vender coaching, palestrar muito em todos os eventos, com muita pirotecnia e muito show de ilusionismo. Sempre pensando na próxima palestra com conteúdo espetaculoso ao invés de contribuir.

Isso já aconteceu na praia do universo startup, que aos poucos virou uma enganação, o negócio não é ajudar a gerar resultados, o negócio é showbiz, onde ir palestrar, gerar factóides e gerar gurus virou um objetivo muito lucrativo, para muitos o business está nos eventos, palestras, seu negócio é o Startup Showbiz.

Também já aconteceu no universo do coaching, essa praia deturpou tanto que até eu sou sondado a cada semana, pois para ser um coach é só certificar-se em um curso PNL de final de semana para então começar a usar isso a seu favor, … desculpa, mas no século XX o nome disso era charlatanismo.

Eu palestro cada vez menos, quando o faço eu sou quase rabugento, inicio alertando que sou ácido contra esse grande negócio Agile, Startup, Coach, que ao invés de acelerar está empatando. Até entendo, pois é a lei da oferta e procura, apontar culpados e receitas mágicas é o que a maioria quer, então tem cada vez mais quem venda.

Quem assiste acaba achando que está fazendo algo muito errado, porque ele não é como palestram, logo, tem que contratar um coach ou consultor para melhorar (sic) … se ele soubesse que a palestra conta 25% e omite os 75% daquilo igual ao que ele chama de carência por um coach … daria um processo de propaganda enganosa!  😦

um-bom-negocio

Agile showbiz paradoxal

Entrada triunfal, apontando erros e criticando o que está posto, oferecendo as únicas receitas que funcionam, minando iniciativas anteriores com frases de efeito e muita auto-ajuda, ironicamente fazendo isso após falar de PDCL, Kaizen, Gemba, baby steps, Karasek e Tuckman.

Tem muito agilista que palestra sobre um monte de coisas legais, descoladas, divertidas, criativas, mas na maior parte das vezes tudo isso ele faz em 25% do seu tempo, nos outros 75% não é mais que um bom e velho GQA de processo, porque agilidade tem que ser do jeito dele.

É fácil de reconhecer, eles tem convicção de que o que eles sabem e orientam é a melhor solução, as outras não, consequentemente geram um paradoxo esdrúxulo, pois eles defendem a auto-organização, desde que da forma deles, o resto é ilógico, ruim e incongruente.

Ok, entendo, é um bom negócio!

O MiMiMi do Scrum, Kanban, ScrumBan, XP, Lean, SAFe, S@S, Less, Mng 3, DT, não tem fim e gera milhões de receita, cada um de seus defen$ore$ fazendo de conta que só o seu resolve … eu sempre ofereci escolherem um como base, pinçando boas práticas e opções dos outros não oferecidas pela base escolhida.

A maioria omite os pontos de contato porque o seu curso, certificação, coach, palestras e outras fontes de receita e ribalta são Scrum, Kanban, XP, SAFe, … Tem que fazer de conta que é único, singular e mágico … a discussão entre Scrum, Kanban e XP seria engraçada se o ônus não fosse tão alto para o mercado e empresas.

Se é um ou outro, se não pode experimentar, se após acertar não pode mais errar, se todas as equipes possuem pautas e métricas extrínsecas comparativas, se apontamos “culpados”, se errar é inaceitável, qual foi a aula sobre Agile que eu faltei?

Uma das estratégias mais incríveis é negar aprendizados, ao invés de continuar evoluindo é preciso negar, se não conseguir, mudar os nomes das coisas, via de regra eu fico com a impressão de que o objetivo é preparar a próxima palestra no próximo evento, permanente gerando o próximo “case” … business em segundo plano.

Os eventos de Agile a muito tempo se tornaram iguais aos de Startup, grandes cifras e muito showbiz, muitos dos que estão lá palestrando estão mais preocupados com seu enorme ego e seu business do que passar conhecimento realista, verdadeiro, vicariante útil.

Paradoxo do coach indispensavel substitui o paradoxo de controle e o do super-heroi

0

Dois workshops em 14/07 – Jogos e Toolbox 360º

Serão duas opções de workshop no dia 14/07, um de JOGOS 360° pela manhã e um TOOLBOX 360° a tarde. Na eventualidade de alguém quiser fazer os dois, cada um individualmente é R$130, entre em contato comigo que fazemos um combo por R$220 🙂

14/07, Manhã, 09:00 as 13:00, Team Building Games

Quatro horas debatendo Team Building Games, os participantes ganham o livro Jogos 360º que trata de Icebrakers, Warm Ups e Agile Games. A dinâmica iniciará junto a um mural com 120 destes jogos, dos quais experimentaremos vários deles por amostragem em velocidade Warp, para na sequência vivenciar em grupos alguns jogos voltados a introduzir ou fixar conhecimento e valores através de Agile Games … Quem vier, venha com roupa leve e sapato sem salto \o/

Inscrições em http://bit.ly/jogos140718

14/07, Tarde, 14:00 as 18:00, Desafio Toolbox 360°

Quatro horas debatendo por variados ângulos um mural com 125 boas práticas de estratégia, ideação, modelagem, validação, planejamento, execução, aprendizado e melhoria contínua? Cada inscrição ganha direito a um kit contendo o livro ou o jogo Desafio Toolbox com tabuleiro A3 e um baralho de técnicas. A dinâmica inicia junto a um mural com 125 técnicas e boas práticas, um debate sobre oportunidades, uso e experimentação, para então irmos para as mesas jogar e vivenciar vários deles.

Inscrições – http://bit.ly/toolbox140718

Todos estão postados no blog, desde o lançamento dos livros e do jogo Desafio Toolbox, os workshops mais recentes foram:

0

17º Seminário Internacional de GP

JORGE HORÁCIO NICOLÁS AUDY Consultor, DBServer Jorge Audy é consultor sobre métodos ágeis na DBServer, professor na Escola Politécnica da PUCRS, mestre pela Escola de Negócios da PUCRS na linha de pesquisa sobre Gestão da Informação, blogueiro e autor dos livros SCRUM 360º, Toolbox 360° e Jogos 360°. Escoteiro e agilista 24 horas por dia.

INSCREVA-SE! • 18, 19 e 20 de SETEMBRO • 1º LOTE • 30% DE DESCONTO • Saiba mais em: https://goo.gl/PxPy4e

Coisas boas acontecem quando você se envolve com o PMI !!! #gopmisp #17SIGP #pmisp20anos

Algumas fotos de workshops e start de Toolbox Walls:

0

Jogo da Catapulta

Um jogo SCRUM onde as equipes trabalharão para construir uma catapulta de taquara, planejando até 5 jornadas de trabalho de 5 minutos cada.

Durante o planejamento devem dizer quantas taquaras e sisal precisarão por  jornada, mas permitindo replanejamento. A cada jornada, no caso de não conseguirem entregar o prometido no planejamento do início da jornada, não pontuam, no caso de entregar pontuam.

Cada jornada entregue vale 10 pontos, má qualidade na construção penaliza-se em menos 3 pontos, uma entrega funcional vale um bônus de mais 5 pontos.

Desperdício relativo a material não utilizado ou desnecessário penalizam com menos 3 pontos. Ao final das 5 jornadas, há uma competição de tiro ao alvo, usando uma bola de meia graúda e pesada. A exigência é que a estrutura fique firme sem ninguém segurando

PRINCÍPIOS: Durante as jornadas, o trabalho deve ser colaborativo, auto-organizado, com foco nos objetivos acordados para aquela jornada.

DICA: Antes de iniciar eu ofereço aos times, como valor agregado, uma breve oficina de amarras, quadradas e diagonais, um valor agregado colateral, assim a estrutura fica mais firme e amarras é um conhecimento que poderá ser útil em situações variadas.

0

Clone Lego-Lego

Mais um bom jogo usando blocos LEGO ou seus genéricos. Monte uma pequena construção, familiar, mas colorida e assimétrica, algo que não seja tão trivial copiar, mas que exija esforço e mapeamento visual iterativo.

Separe os participantes em equipes, que receberão os mesmos blocos que você usou para montar a sua pequena construção LEGO e mais 10 ou 20 peças extras.

  • A primeira rodada convida para que enviem um integrante de cada equipe para que possam ver a sua construção, sem direito a fotografar ou registrar em papel, apenas de memória. Após isto, ofereça a primeira iteração para que cada equipe faça algo que lhes pareça o mais parecido possível.
  • A segunda rodada é oferecido 2 minutos a cada equipe, que pode ir com todos os seus integrantes e na sequencia, fazer nova tentativa de construção.
  • A terceira rodada é com todos os integrantes, agora com direito a anotações em papel.

PRINCÍPIOS: Um jogo de elicitação, percepção visual, comunicação, estratégia e execução iterativo-incremental. Aproveite para fazer uma retrospectiva ao final de cada rodada, sobre dificuldades, oportunidades e aprendizado.

DICA: Antes da terceira rodada eu faço uma apresentação de cinco minutos sobre mapas mentais e sobre o conceito de épura, de forma que eles possam desenhar com maior exatidão aquilo que pretendem reproduzir. Uma boa técnica de documentação e registro visual vale ouro!

0

Jogo sobre inclusão – Pizzaiolo

Somos uma grande rede de Pizzarias com um forte cunho de responsabilidade social, por isso temos equipes que contam com alguns pizzaiolos experientes, jovens e alguns deficientes que precisam integrar-se.

Uma adaptação de um jogo escoteiro de inclusão, o jogo consiste da confecção de pedaços de pizzas em nossas unidades para serviço de rodízio, temos vários sabores, como pizza de queijo, brócoli, atum, tomates secos, além de chocolate e também banana.

Peça voluntários ou sorteie alguns que receberão algumas limitações, como uma venda nos olhos (cegos), um fone de ouvido tocando uma música (surdos), uma mordaça (mudo) e uma mão amarrada para trás (limitação física) … fazendo isso de forma divertida e descontraída.

Treinamento

Antes de iniciar o jogo, faremos um treinamento em que um instrutor irá mostrar como se faz cada pedaço de pizza, desde a massa, molho de tomate, recheio, forno e entrega no balcão para que os clientes se sirvam.

Pegue um pedaço de massa fresquinha (recorte um quarto de uma folha A4 na diagonal simulando um pedaço de pizza), despeje o molho de tomate (pintar o pedaço de folha de vermelho), mostre os diferentes recortes para recheio (queijos quadrados, atuns retangulares, tomates redondos, bananas redondinhas, pintados da cor em questão).

Kanban/Fluxo Contínuo

Identifique-se como representante do cliente, deixe que separem os grupos em times de 4 ou 5 integrantes para rodar uma sprint de 3 minutos, ao final dê um feedback quanto a qualidade, tamanho das fatias, cobertura do molho, qualidade e homogeneidade no tamanho e cor dos pedacinhos do recheio.

Dê tempo para uma retrospectiva onde o foco é cada time discutir como melhorar o seu trabalho, esteira, produtividade, qualidade, comunicação, … e peça um planejamento de quantos pedaços cada time de unidade pode se comprometer a fazer, porque limitaremos o número de clientes nos estabelecimentos em função disso.

Orquestração

Rode mais uma ou duas sprint de 3 minutos. Ao final dê sempre seu feedback sobre o que foi produzido e peça que eles façam nova retrospectiva. Aproveite para falar um pouco do modelo Spotify e de CoP’s internas, sobre o papel de lideranças, também sobre reuniões de melhoria contínua transversais, envolvendo todos os times.

Antes do próximo sprint, simule grupos de discussão transversais, onde integrantes de diferentes grupos possam discutir e aprender uns com os outros, em especial se podem equilibrar melhor os times fazendo trocas, para assim manter uma qualidade mínima e cadência padrão em todas as unidades.

Rode mais uma sprint de 3 minutos, repita os ciclos, conforme seu tempo disponível, é possível gerar bons resultados em apenas 5 sprints, consumindo em torno de 45 minutos bastante produtivos, divertidos e com debate não só de equipe, mas de múltiplas equipes com igual objetivo e metas organizacionais.

Conclusões

Não esqueça de que vários participantes terão algum tipo de limitação, visual, auditiva, motora, o que não impede de se divertirem enquanto atingem sua melhor e mais sustentável performance, aproveitando ao máximo o que cada um pode colaborar em suas limitações.

Além de bons insights sobre sprints – planejamento, execução, review e retrospectiva – é legal o debate de que somos mais que nossas tarefas e objetivos, somos organização e temos um compromisso também com compartilhamento de nosso aprendizado, sugerindo alternativas, buscando melhores performances além do nosso umbigo.