MA: Tem cheiro de pesquisas, modelos e instrumentos no ar … e só vai aumentar!

Desde o início de meu mestrado a ideia de constituir e pilhar um grupo de estudo multi-disciplinar sobre Agile me fascina, compartilhei com meus professores a oportunidade que isso representaria. Imaginava seguir o modelo do Grupo de Estudos em MA existente na USP, com múltiplas pesquisas e artigos de interesse publicados. Este ano passei a colaborar como professor na FACIN/PUCRS e lá reencontrei um jovem talentoso e inquieto com o mesmo interesse, o Caio Steglich, prestes a se formar no curso de Sistemas de Informação e que acalenta o mesmo sonho de um Grupo de Estudos em MA. Acho que está chegando a hora …

Este ano a colega Marina Bellenzier iniciou seu mestrado na FACIN/PUCRS com o tema “Como a adoção do método ágil SCRUM se relaciona com a produtividade de equipes de desenvolvimento de software?”. Sua orientação é do Prof Dr Rafael Prikladnicki, um estudo que parte do modelo JCCM (Job Characteristics Change Model) de Bala e Venkatesh (2013) e da flexão proposta e validada por mim em minha dissertação sob a orientação da Profª Drª Edimara Mezzomo Luciano da FACE/PUCRS.

Adaptação à mudança nas características do trabalho: níveis de demanda e controle durante a adoção do método ágil SCRUM por equipes de desenvolvimento de software

O modelo e instrumento da JCCM propôs um estudo de impacto no período imediatamente posterior a implantação de uma nova tecnologia, como um ERP. No estudo original, durante seis meses foram aplicados quatro pesquisas para entender a curva de aprendizado e adaptação ao sistema SAP em uma das 500 maiores empresas americanas. Um período chamado de shakedown, análogo ao de storming da Curva de Tuckman, modelo agregado por mim durante os estudos de caso na minha dissertação de mestrado.

A Marina se prepara para flexionar o modelo JCCM com o acréscimo de um constructo de produtividade, flexionando também seu instrumento com métricas de produtividade de software, para além de evidenciar a curva proposta por Tuckman durante o período de três meses em equipes ágeis adotando SCRUM, analisará durante este período a redução ou diminuição desta curva a partir do uso de determinadas práticas e técnicas recomendadas.

Na mesma linha de produtividade, a colega Denize da Rosa Vasquez do PMO da DBServer está realizando um estudo de caso no seu TCC, replicando meu estudo e proposição no contexto de implantação do método KANBAN. Durante seus estudos, a Denise compartilhou conosco o link da tese de doutorado da Claudia Mello (2013) da USP, TW’er e ativa participante da comunidade ágil brasileira:

Produtividade de times ágeis: uma avaliação experimental de fatores e processos de monitoramento.

Grupo-de-Estudos

Mais informações em breve, nesta mesma bathora, neste mesmo batlocal!

Um comentário sobre “MA: Tem cheiro de pesquisas, modelos e instrumentos no ar … e só vai aumentar!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s