Rapport em facilitação

Um Conceito da psicologia, uma técnica usada para criar uma ligação genuína de sintonia e empatia entre duas pessoa. Originário no termo rapporter em francês, que significa “trazer de volta”. Para tanto, podemos lançar mão de diferentes sentidos e diferentes linguagens.

1 – Equilíbrio – Manter um bom equilíbrio emocional nos ajuda a manter o controle;
2 – Verbal e não verbal – Expomos 7% na comunicação verbal e 93% na não verbal;
3 – Timbre de voz – A voz pode delatar facilmente medo, raiva, euforia, preocupação;
4 – Intensidade da voz – Controlar a fala, mantendo-a mais alta, baixa ou média;
5 – Contato visual – O olho no olho com a outra pessoa, um olhar atento, vivo;
6 – Expressão facial – Evite falar uma coisa e sua expressão facial dizer outra;
7 – Linguagem corporal – Não só o rosto, mas braços, mãos, pés, o corpo fala;
8 – Timing – Manter controle sobre o tempo, cuidar do fluxo, ter início-meio-fim.

Quando falamos de facilitação, quando um profissional ou integrantes de um time reúnem-se para co-criarem algo de valor, autoconhecimento e rapport podem ajudar com diferentes técnicas estudadas pela PNL para contribuir em uma comunicação mais efetiva.

Cito autoconhecimento, porque termos ciência de nós mesmos, treinarmos nossos diálogos interiores de forma a termos controle sobre ações e sentimentos além do desejo consciente é uma poderosa ferramenta para criar momento de co-criação, de auto-organização.

Ancoragem – A ancoragem é quando resgatamos um sentimento (positivo ou negativo) experimentado em uma situação anterior, quer para usarmos esta energia em uma atividade, para dar legitimidade a ela, usá-la como motivação ou para passá-la com maior intensidade a outra pessoa;

Metáfora – É uma figura de linguagem que produz sentidos figurados por meio de comparações. Também é um recurso expressivo. “Uma metáfora contada de maneira clara e simples distrai a mente consciente e ativa a procura inconsciente de significados e recursos” – John Seymour

Reforço positivo – O reforço ou patrocínio positivo vem de uma abordagem behaviorista e nos ajuda a reforçar certo(s) comportamento(s) positivo(s) por meio de elogios. Podendo ser usado em um relato, uma negociações, conduzindo os envolvidos por um caminho positivo;

Ressignificação – É possível substituir um sentimento por outro, identificar uma situação, um gatilho, o sentimento ali existente, para então trabalhar para nos reprogramarmos para sentir outro, resgatado de outras situações. Pode inclusive ser usado no tratamento de fobias;

Espelho – Podemos influenciar ou criar um ambiente mais amigável se usarmos sutilmente, sem exageros, um espelhamento (repetição) de gestos suis de seu interlocutor. Se a pessoa cruzar as pernas, gesticular ao falar, ser mais ou mais enfático ou firme no cumprimento;

Palavras mágicas – Podemos aprimorar nossa retórica, usando e induzindo à empatia a partir de palavras e frases que a estimulam (naturalmente, facilmente, agora, expansão, perceba, experimentar, …), unindo ao uso positivamente o nome de nosso interlocutor;

Julgamento – É essencial reduzir ou eliminar completamente o julgamento preliminar do outro, evitando deixar-se usar de pré-conceitos, posto que inconscientemente esta atitude gera um sentimento que interferirá em nossa expressão e comunicação.

Reciprocidade – O que podemos descrever como dar sem esperar ou demonstrar querer algo em troca, como por exemplo, citando ou valorizando um ponto em comum, interesses, sentimento, podendo com isso gerar um senso de confiança e respeito mútuo.

Na Teoria da Dissonância Cognitiva de Festinger, a falta de treino na comunicação interna pode levar nosso inconsciente a assumir o controle aparente sobre nossas percepções e ações. Todas estas técnicas da PNL e Rapport podem nos oferecer maior domínio sobre nós mesmos.

It’s Not All About “ME” (Robin Dreeke)

No livro de Dreeke há 10 disciplinas que nos ajudam a estabelecer Rapport, em Agile vivemos grupos sócio-técnicos e aprender a lidar com pessoas é tão importante quanto lidar com tecnologia. Uma impressão não literal dos 10 pontos definidos por Dreeke seria:

1)  Establish artificial time constraints – Limitação de tempo, ao iniciar estabeleça o tempo disponível, do todo ou para a etapa. Ao iniciar uma reunião, evento, conversa, debate, estabelecer uma perspectiva de tempo é tão importante quanto uma meta ou objetivo;

2) Make Sure Your Body Language is In Sync – Parecer é tão importante quanto ser, então evite demonstrações antagônicas, sorria, evite posicionar-se acima ou abaixo dos outros, seja gentil e espelhe o cumprimento, evite ser muito mais ou menos intenso que o outro, ao apertar a mão retribua ao invés de impôr;

3) Speak Slowly – Cadência e intensidade da fala, o volume e força dizem muito, Dreeke sugere pausar, cadenciar, dando tempo para que as pessoas acompanhem a linha de raciocínio, assimilem o conteúdo. Muita força demonstra animação, mas pode demonstrar ansiedade ou descontrole;

4) Ask For Help – Assertividade em pedir, atender ou receber são princípios de todas as relações humanas, exercitamos argumentação e negociação todos os dias e quanto mais empáticos formos, maior a probabilidade de estabelecer conexões e fazer acontecer;

5) Suspend Your Ego – Conter seu ego, tem a ver com ser um bom ouvinte, permitir-se ouvir, compreender, estabelecer pontos de contato, evitando ser auto-suficiente a ponto de colocar suas necessidades a frente de tudo o mais, impondo sua vontade;

6) Validate Others – Saber ouvir, com transparência e não impôr seu pensamento, genuinamente entender a posição e opinião, argumentos e embasamento do outro, é a melhor forma de debater e convergir positivamente para a melhor opção, sem sermos tendenciosos;

7) Ask: How? When? Why? Aproveite as informações que estão lhe fornecendo para enriquecer de forma genuína seu posicionamento, use perguntas abertas para entendê-las, mesclar diferentes pontos de vistas enriquece qualquer debate ou tomada de decisão;

8) Quid Pro Quo – Reciprocidade, qualquer interação humana tende a estabelecer uma relação, melhor com empatia e vínculo, quando nos esforçamos em dar e receber, as pessoas sentem-se mais acolhidas e instigadas – entrega, doação, bilateralidade;

9) Give A Gift – Altruismo, evitando não valorizar o esforço e conquistas dos outros, evitando julgar e diminuir pequenas vitórias, a percepção e valorização do esforço em fazer certo, em correr riscos, em tentar fazer, nos faz ir além, algo como altruísmo recíproco;

10) Managing Your Own Expectations – Gerenciar expectativas, é fundamental manter expectativas o mais realistas possíveis, gerenciá-las garantem que cada meta ou objetivo, pessoal ou coletivo, sejam conscientes, factíveis mas desafiadoras, nos motivando a persegui-las.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s