[É/Não É] Após o briefing, alinhar e idear o entendimento

O conceito de briefing que interpreto e aplico é a apresentação inicial quando em uma dinâmica de ideação, concepção, planejamento de produto ou serviço. O primeiro passo é alguém de negócio ou com domínio de tudo o que já foi feito e/ou já sabemos apresentar aos demais, esse é o começo de tudo.

Briefing é um conjunto de informações e dados passados em uma reunião para o desenvolvimento de um trabalho ou documento. Esse é um instrumento muito utilizado em Administração, Relações Públicas, Design e Publicidade – wikipedia

Suponha uma reunião com múltiplos profissionais e convidados dispostos a debater, conceber ou planejar algo, o ponto de partida é alguém de direito, com frequência uma pessoa de negócio ou executivo apresentar o que já temos e qual o nosso objetivo em comum … estabelecer uma missão, uma meta.

Após esta apresentação inicial, é importante não presumir, mas aplicar uma técnica que valide o entendimento de todos, tire duvidas e alinhe. Para isso, temos um mix de dinâmicas complementares ao briefing, todas já apresentadas aqui no blog – CSD, 5w2h, Elevator statement, alguns canvas, …

Confirmação, evite deduzir que as pessoas entenderam, é o mesmo que perguntar, você mesmo responder e ficar satisfeito porque concorda com a sua resposta. Após um briefing inicial e antes de iniciar um debate para co-criação de algo, confirme o entendimento e alinhamento.

Ainda não tinha postado nada sobre o “É/não É – Faz/não Faz”, técnica que se disseminou muito nos últimos anos para alinhamento inicial do entendimento do que é e não é aquilo que queremos idear, conceber ou planejar, bem como o que percebemos que deve fazer ou não fará.

ALINHAMENTO DO ENTENDIMENTO

Realizem o briefing como um storytelling, no qual podemos e devemos usar todo e qualquer recurso que nos ajude assertivamente compartilhar tudo o que já temos, caso-a-caso: estratégia, negócio, clientes, parceiros, fornecedores, histórico, estatísticas, áudio, vídeo, …

Assim como em todas as outras técnicas, se for em um grandes grupo, divida em subgrupos e peça que cada um crie parte ou toda a matriz, um acelerador individual (cada um coloca o que pensa antes de discutir) e a partir de uma leitura conjunta, clusterização e debate do que foi posto.

Peça uma apresentação de cada, consolidando-os de forma incremental, gerando um grande consenso sobre o que é ou não é a solução e o que entendemos que ela fará ou não … o debate sempre demonstra que, por melhor que seja o briefing, há variados entendimentos iniciais.

Parece só alinhamento, mas é brainstorming e ideação, porque ao oferecer tempo e instigar o debate, já trás desde o briefing novas ideias e facetas não percebidas, fruto de diferentes prismas, singulares a cada participante, conforme suas vivências em áreas de conhecimento e experiência.

matriz-é-nãoé

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s