Propósito

Nossa pedra angular (*) é o que nos move, é o nosso propósito, gerador de nossa missão, visão, valores e direcionadores estratégicos. Nele, é preciso ter clareza sobre o tripé da sustentabilidade, aceitos culturalmente e ao mesmo tempo, socialmente justo, ecologicamente correto e economicamente viável.

Não é uma aspiração nova, mas imersos na era do conhecimento, com a geração Millenial cada vez mais inserida no mercado de trabalho em posições de decisão, para atrair bons profissionais e talentos inovadores, ser sustentável passa a ser uma condição.

(*) A pedra angular era a pedra fundamental utilizada nas antigas construções, caracterizada por ser a primeira a ser assentada na esquina do edifício, formando um ângulo reto entre duas paredes. A partir da pedra angular, eram definidas as colocações das outras pedras, alinhando toda a construção.

A sustentabilidade também pode ser definida como a capacidade do ser humano interagir com o mundo, preservando o meio ambiente para não comprometer os recursos às gerações futuras. O conceito de sustentabilidade é complexo, atendendo um conjunto de variáveis interdependentes, mas capaz de integrar as questões sociais, energéticas, econômicas e ambientais de nossa época.

  • Questão social: é preciso respeitar o ser humano, posto que ele próprio é parte importante do meio ambiente, enquanto indivíduos e sociedade;
  • Questão energética: a economia deve desenvolver-se sem exaurir ou comprometer as condições de vida das populações de hoje e do futuro;
  • Questão ambiental: o desenvolvimento deve preservar o meio ambiente, condição essencial para o tempo de vida de todas as espécies.

O princípio da sustentabilidade aplica-se a desde um único empreendimento, passando por uma pequena comunidade (a exemplo das ecovilas), até o planeta inteiro. Para que um empreendimento humano seja considerado sustentável, é preciso que ele seja:

  • Ecologicamente correto
  • Economicamente viável
  • Socialmente justo
  • Culturalmente diverso

Todas as empresas, quer por crenças ou busca por legitimidade, vem abrindo programas sobre sustentabilidade. Uma forma de colocar luz em questões de responsabilidade social, como questões de igualdade, inclusão, diversidade, também pró-ecologia, economia circular e questões de justiça em relação à remuneração e até divisão de parte dos resultados.

Não custa relembrarmos os objetivos do milênio da ONU, expandidos posteriormente para os Obejtivos do Desenvolvimento Sustentável. Um compromisso das nações que deve estar na pauta de pessoas, enquanto indivíduos e no coletivo, a medida que (re)definem seus propósito e estratégia:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s