QE – A síndrome de BurnOut

Consequência do acúmulo de estresse em trabalhadores que têm uma profissão ou vive um ambiente muito competitivo e cobrança (responsabilidade), tornando o dia de trabalho um sacrifício. Provavelmente, a cada oportunidade, planejando objetivos de trabalho muito difíceis, abalando continuamente a auto-eficácia e auto-estima.

Após anos trabalhando sob stress, não é incomum ter pessoas só sobrevalorizando o que falta, é fácil identificar: cara amarrada, mesmo com coisas boas acontecendo, o que importa para eles é o que falta, reclamando do que não vai mudar tão cedo, reiterando diariamente sua contrariedade e irritação, marcas do tempo em algo semelhante a um purgatório.

PARA O BEM OU PARA O MAL

O stress é contagioso, é possível ao visitar uma empresa, perceber grupos mais adaptados e satisfeitos e grupos mais insatisfeitos e stressados. A falta de um relacionamento interpessoal positivo em todo um grupo pode ter como origem um problema intrapessoal, onde um deles esforça-se por destacar o que há de ruim, contaminando todo o grupo pelo negativismo.

Todo grupo humano, inclusive equipes de trabalho, possuem um ou mais formadores de opinião, pessoas com certa influência na posição geral do grupo em relação à empresa, ao trabalho, aos compromissos. Se o formador de opinião for um negativista ou positivista, isto levará o grupo a um constante stress ou satisfação com seu cotidiano e resultados.

PSICOLOGIA POSITIVA E AUTOEFICÁCIA

Czikszentmihalyi e Seligman trataram desta abordagem, valorizando aspectos positivos das pessoas e suas interações. A Psicologia Positiva pode ser um argumento a mais no processo de mudança para modelos sociais mais virtuosos – Florescimento – mantendo explícitas as condições e aspectos positivos da vida como combustível no esforço de melhoria contínua.

Se você acredita que pode ou não acredita que pode fazer alguma coisa, provavelmente você sempre estará certo! – Ford

Albert Bandura diz que a auto-eficácia nos faz acreditar que somos capazes, gerando maior confiança em nós mesmos, enquanto o contrário gera pessoas mais acomodadas e sem resiliência. A auto-eficácia pode ser incentivada pela valorização dos pontos fortes, incentivando a capacidade de cada um em superar obstáculos, de aprender com os erros, de crescer, superar.

CLÍNICAS E HOSPITAIS

A síndrome de burnout é a somatização de um sobre-acumulo de stress ou insatisfação, gerando um quadro de saúde debilitado ou fragilizado, onde doenças aparecem e quadros clínicos são comprometidos. O resultado a ser combatido na síndrome é transformar conflitos psíquicos em afecções de órgãos ou em problemas psicossomáticos.

Uma ou mais pessoas vivenciando um ciclo stressante de burnout pode e deve levar as outras pessoas ao mesmo quadro, da mesma forma que um integrante positivo, que apoia e ajuda, de bem com a vida contorna e equaciona problemas reais mais facilmente. O burnout leva à somatização, destacando dores físicas, infecções, doenças autoimunes ou imunodeficiente.

Uma doença autoimune é um mau funcionamento do sistema imunológico, levando o corpo a atacar os seus próprios tecidos.

imunodeficiência envolvem o mau funcionamento do sistema imunológico, resultando na presença de infecções que se desenvolvem e aparecem com uma frequência maior do que o normal, são mais graves e duradouras.

Síndrome de burnout tratamento: Como ele é realizado l Telavita

Outros posts:

6 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s