Project Model Canvas funde projeto e negócio

A opção por usar cada artefato e técnica diz respeito ao momento e contexto que vivenciamos, o Project Model Canvas foi criado para registrar as informações necessárias a um Termo de Abertura para projetos, fundindo informações sobre produto, projeto e pessoas. Uma abordagem ampla, especialmente útil para contextos mais estruturados, organizacionalmente falando … um artefato cada vez mais utilizado em empresas públicas e privadas, acoplando-se muito bem em projetos e equipes que já estão praticando Agile.

pmc

Se o objetivo for um produto ou serviço inovador podemos sempre puxar uma folha A3 com um Business Model Canvas ou Lean Canvas para modelar o NEGÓCIO, discutir explicitamente clientes, valor agregado, canais e relacionamento, rentabilização, recursos e atividades, mas cada vez mais vemos nas organizações a resignificação do kickoff de projeto, para isso é especialmente útil a montagem do Project Model Canvas!

Kickoff reflete a passagem de uma etapa inicial para uma mais formal de projeto, onde o sponsor pode dar sua visão, inspirando e energizando os envolvidos.

Diferentes canvas não são artefatos antagônicos, cada qual possui seu valor conforme contexto. Aqui no blog eu já compartilhei mapas de riscos, planos de comunicação, mapas de stakeholders, alguns artefatos inexistentes na maioria das equipes ágeis que vejo por aí. O uso de um instrumento como o PMC enfatiza áreas negligenciadas, ampliando a visão diária da galera não só ao produto, mas também ao projeto que o construirá – equipe, riscos, premissas, restrições, …

Segue os mesmos princípios propostos por Osterwalder para o Business Model Canvas ou por Ash Maurya para o Lean Canvas, agora usando-se uma folha A3 para a essência da estratégia do PROJETO que construirá um produto ou negócio. No caso do canvas do Prof José Finocchio, um termo de abertura visual unindo PMBOK e Agile, inspirado nas 10 áreas de conhecimento do PMBOK, direta ou indiretamente nas diferentes células de um Project Model Canvas:

pmbok_areas_5ed

O objetivo é materializar e compartilhar todas as principais informações que já temos sobre o produto E projeto antes de iniciar a etapa de planejamento, um mapa que ilustra os principais pontos conhecidos preconizados por boas práticas de gerenciamento de projetos do PMI.

  • Nome do GP – Identificar o responsável;
  • Pitch – Uma frase curta e objetiva que esclareça fácil o que é o projeto, algo equivalente a um “elevator pitch”, assertivo ao identificar o cliente, problema, solução, concorrente e diferencial;
  • Justificativa – problemas, necessidades e oportunidades existentes e percebidas. Ilustra o porque este projeto foi iniciado, o que motivou o cliente a investir, o que ele queria solucionar ou aproveitar;
  • Objetivo SMART – Qual é o principal objetivo, para termos em mente algo assertivo, mensurável, claro e passível de ser atingido, algo que ao mesmo tempo desafie e motive a equipe em atingi-lo;
  • Benefício – Quais os benefícios, financeiros, qualidade, participação, imagem, etc, um meio de ilustrar o custo x benefício, os motivos que nos levam a planejar e executar este projeto;
  • Produto – Qual o critério que teremos em mente para poder concluir se o resultado do projeto deu certo. O que é a visão de produto que deve ser atingida durante e até o final do projeto;
  • Requisitos – Quais são os requisitos de qualidade e de execução que indicarão o sucesso do projeto;
  • Stakeholders – Lista dos principais stakeholders do projeto;
  • Equipe – Papéis e dimensionamento previstos para a equipe de projeto;
  • Premissas – Pressupostos dados como certos para a viabilização do projeto. Nós partimos do princípio de que teremos ou não teremos a disposição estes quesitos listados como premissas;
  • Grupos de entregas – Uma lista de etapas, módulos ou componentes do projeto, fases, é comum projetos teremos pilares funcionais que sejam claros entre cliente e equipe de projeto;
  • Restrições – Uma lista com restrições conhecidas que devem ser entendidas e trabalhadas. São fatos que exigirão algum esforço ao serem lembrados e desdobrados durante o planejamento e execução;
  • Riscos – Uma lista com os riscos possíveis percebidos a execução do projeto. Diferente de premissas ou mesmo restrições, os riscos ainda não são fatos, mas precisam ser monitorados caso venham a ser;
  • Linha do tempo – Datas-marcos desejadas para os grupos de entregas e eventos. É comum em muitos projetos termos datas especiais, quer desejadas por questões de mercado, internas, impostas ou não;
  • Custos – Custos já conhecidos ou projetados deste projeto.

Muitos dos princípios da dinâmica proposta para o BMC e LC aqui se aplicam, creio que inspirados nas técnicas de Design Thinking, baseados em colaboração, na antecipação da interação entre todos os envolvidos de forma a percebermos informações relevantes não materializadas, riscos até aqui não percebidos. O grande objetivo, como em uma User Story Mapping, é gerar sinergia e antecipar falhas de entendimento que possam ser percebidas hoje, antecipadas.

Para ficar clara a diferença, a seguir tenho um PMC, um BMC e um LC relativo a “melhor e maior comunidade de práticas” do hemisfério Sul – TecnoTalks   🙂

pmc-ex

Enquanto o PMC acima apresenta características mais estruturadas de projeto e produto (CoP TecnoTalks), o BMC de baixo possui uma abordagem mais de ideação de negócio apenas, na minha opinião são complementares em momentos distintos, há campos específicos em cada um que são extremamente relevantes, como a diferenciação entre premissas, restrições e riscos, ou a reflexão de canais, relacionamento e atividades-chave.

BMC-3

Tem o Lean Canvas também, com early adopters e maior clareza para o MVP:

LC-3

A tempo, é possível inspirar-se nas células de qualquer um ou todos eles para trabalhar com a dinâmica de ideação e modelagem conhecida como Product Box, uma forma de materializar as informações de um produto ou serviço como se fosse ser oferecido dentro de uma embalagem fictícia.

A seguir alguns links importantes sobre o PMC para vocês:

Para adquirir o livro – http://www.pmcanvas.com.br/livro/
para baixar o PMC em alta – http://www.pmcanvas.com.br/download/
http://www.projectbuilder.com.br/guia-definitivo-do-pm-canvas
https://www.linkedin.com/in/josefinocchio
http://www.projectmodelcanvas.com

Se você quiser aprender mais sobre estes canvas, teremos um evento no dia 27/04/2016 as 19:00 no TecnoPUC, um Startup Dojo com a galera do TecnoTalks – https://www.facebook.com/events/1040964939311600/

Um comentário sobre “Project Model Canvas funde projeto e negócio

  1. Pingback: Acredite, documentação é muito mais que as tais histórias | Jorge Horácio "Kotick" Audy

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s