Jogo sobre inclusão – Pizzaiolo

Somos uma grande rede de Pizzarias com um forte cunho de responsabilidade social, por isso temos equipes que contam com alguns pizzaiolos experientes, jovens e alguns deficientes que precisam integrar-se.

Uma adaptação de um jogo escoteiro de inclusão, o jogo consiste da confecção de pedaços de pizzas em nossas unidades para serviço de rodízio, temos vários sabores, como pizza de queijo, brócoli, atum, tomates secos, além de chocolate e também banana.

Peça voluntários ou sorteie alguns que receberão algumas limitações, como uma venda nos olhos (cegos), um fone de ouvido tocando uma música (surdos), uma mordaça (mudo) e uma mão amarrada para trás (limitação física) … fazendo isso de forma divertida e descontraída.

Treinamento

Antes de iniciar o jogo, faremos um treinamento em que um instrutor irá mostrar como se faz cada pedaço de pizza, desde a massa, molho de tomate, recheio, forno e entrega no balcão para que os clientes se sirvam.

Pegue um pedaço de massa fresquinha (recorte um quarto de uma folha A4 na diagonal simulando um pedaço de pizza), despeje o molho de tomate (pintar o pedaço de folha de vermelho), mostre os diferentes recortes para recheio (queijos quadrados, atuns retangulares, tomates redondos, bananas redondinhas, pintados da cor em questão).

Kanban/Fluxo Contínuo

Identifique-se como representante do cliente, deixe que separem os grupos em times de 4 ou 5 integrantes para rodar uma sprint de 3 minutos, ao final dê um feedback quanto a qualidade, tamanho das fatias, cobertura do molho, qualidade e homogeneidade no tamanho e cor dos pedacinhos do recheio.

Dê tempo para uma retrospectiva onde o foco é cada time discutir como melhorar o seu trabalho, esteira, produtividade, qualidade, comunicação, … e peça um planejamento de quantos pedaços cada time de unidade pode se comprometer a fazer, porque limitaremos o número de clientes nos estabelecimentos em função disso.

Orquestração

Rode mais uma ou duas sprint de 3 minutos. Ao final dê sempre seu feedback sobre o que foi produzido e peça que eles façam nova retrospectiva. Aproveite para falar um pouco do modelo Spotify e de CoP’s internas, sobre o papel de lideranças, também sobre reuniões de melhoria contínua transversais, envolvendo todos os times.

Antes do próximo sprint, simule grupos de discussão transversais, onde integrantes de diferentes grupos possam discutir e aprender uns com os outros, em especial se podem equilibrar melhor os times fazendo trocas, para assim manter uma qualidade mínima e cadência padrão em todas as unidades.

Rode mais uma sprint de 3 minutos, repita os ciclos, conforme seu tempo disponível, é possível gerar bons resultados em apenas 5 sprints, consumindo em torno de 45 minutos bastante produtivos, divertidos e com debate não só de equipe, mas de múltiplas equipes com igual objetivo e metas organizacionais.

Conclusões

Não esqueça de que vários participantes terão algum tipo de limitação, visual, auditiva, motora, o que não impede de se divertirem enquanto atingem sua melhor e mais sustentável performance, aproveitando ao máximo o que cada um pode colaborar em suas limitações.

Além de bons insights sobre sprints – planejamento, execução, review e retrospectiva – é legal o debate de que somos mais que nossas tarefas e objetivos, somos organização e temos um compromisso também com compartilhamento de nosso aprendizado, sugerindo alternativas, buscando melhores performances além do nosso umbigo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s