Parar de fumar não é tão diferente de adotar métodos ágeis

Na esteira das reflexões sobre hábitos, não há muita diferença conceitual no esforço necessário em parar de fumar, começar a praticar esporte ou adotar um método ágil como o SCRUM. O princípio de tudo é auto-conhecimento, no princípio de que conscientemente queremos mudar para melhor, acreditando que o cigarro não faz bem à saúde ou que metodologias ágeis geram relações e resultados mais sustentáveis e valorosos.

Mudança de hábitos – É preciso identificar e entender quais são os gatilhos, trabalhar para substituir a rotina atual por uma nova e estabelecer uma recompensa desejável e motivadora.

Mudanças de hábitos exigem empenho e gastos de energia, planejamento, consciência e parcerias para que haja apoio e conivência quanto aos benefícios almejados. Eu insisto muito que mudamos por dois motivos, um intrínseco e outro extrínseco, por paixão ou pressão: PAIXÃO por fazer diferente, crença ou princípio, busca ou atingimento de metas. PRESSÃO, por exigência externa, porque algo não está bem, está doendo ou existe o medo de perdas.

Deixar de fumar

Todos nós, inclusive os fumantes, concordamos que fumar faz mal à saúde, que a recompensa é ilusória. Assim como a bebida e as drogas, motivado por questões químicas e décadas de propaganda e merchandising mostrando esportistas (clips da hollywood), artistas (filmes de hollywood), aristrocratas (inconsciente coletivo), aquela chinfra do estereótipo de ricos e famosos fumando.

Isso me lembra da música “Ideologia” do Cazuza, que dizia “Meus heróis morreram de overdose”, também por efizema ou cirrose! Cigarro é um hábito, vai além do consciente, tem um componente químico e outro psicológico, incentivado por frustração, baixa-auto-estima e, por incrível que pareça, ajuda tanto na síndrome de superioridade quanto de inferioridade. 

fumo

Mudança aqui exige conhecimento, energia, esforço, apoio e determinação. O fundamental é realmente querer parar, o primeiro passo é identificar todos os GATILHOS, quer seja uma prosaica xícara de café, uma discussão, stress, amor, ódio, pode ser qualquer coisa. De posse de cada destas informações, planejar-se a agir diferente, substituir a ROTINA do fumo indesejado por outro desejado, assegurando-se que fique explícita uma RECOMPENSA proporcional.

Métodos Ágeis

Um século de comando-controle gerou um inconsciente coletivo no qual é bom mandar e ter a quem culpar, bem como ser mandado e poder se isentar. O modelo gerado pela revolução industrial, hierárquico, com linha de comando, funções que pensam e outras que executam, está introjetado nas pessoas e organizações, que aprenderam a se beneficiar de suas distorções, ganhando méritos por algo que deveria e poderia estar muito adiante.

É bom melhorar a comunicação, envolver a todos para que possam contribuir em um processo dialético onde haja engajamento e discussão no campo das ideais, onde as melhores soluções são implementadas e entregues gradualmente, de forma a antecipadamente ajustar riscos e desvios, aproveitando oportunidades de gerar e entregar mais valor.

Apesar destes métodos proporem pessoas mais engajadas e felizes, clientes, stakeholders e profissionais, a maioria das empresas ainda prefere o modelo mental industrial de comando-controle. O hábito de ganhos por feitos e resultados questionáveis frente a clientes insatisfeitos. Práticas do início do século XX aliado ao medo da mudança mantém e perpetua o modelo vigente.

O primeiro passo é realmente querer mudar, o segundo é identificar todos os gatilhos que levam a rotinas, na busca por recompensas, identificando quem são os beneficiados e entendendo o porque percebem desta forma em detrimento de outras percepções. De posse desta informação, cada uma delas precisa agir diferente, substituir cada hábito por um hábito melhor, assegurando-se que fique claro que mesmo assim haverão recompensas ao final.

Dissonância Coletiva

Hábitos também tem tudo a ver com a Teoria da Dissonância Cognitiva, afinal hábitos via de regra são inconscientes, assim como as defesas psíquicas que os mantém. Isto vale para fumante que se consome em seu vício ou pessoas que se beneficiam de uma organização ineficaz.

Sempre que somos colocados em cheque ou quando vamos contra princípios básicos, gera-se uma angústia, nosso inconsciente trata de resolver estes dilemas gerando defesas, o que a psicologia identifica como um ato de racionalização, negação, transferência, projeção e outras defesas sobre as quais já falei aqui.

A maioria prefere se fazer de avestruzes, fazendo questão de negar seus hábitos, não procurando entender os seus gatilhos, rotinas e recompensas … podemos tentar parecer ter estilo, parecer descolado, continuar fumando e morrendo, podemos continuar mandando e desmandando, culpando e se isentando, mantendo-se na zona de conforto e mesmo assim ganhando bônus mesmo fazendo a metade de nosso potencial.

avestrus

4 comentários sobre “Parar de fumar não é tão diferente de adotar métodos ágeis

    • Báh, mudança de hábito sempre é punk, mas fica muito mais fácil quando se tem uma parceria sincera. Vale o mesmo para cigarro, beber e dirigir, comportamento no trabalho, ajudar e deixar que os outros nos ajudem.
      Um bom 2015 para ti e para quem tu curtes tchê, que seja um ano de crescimento, desafios e sucesso!

  1. Uma coisa impressionante que eu aprendi é que força de vontade é um recurso como água ou comida: exercê-la exaure recursos finitos do ser humano!! Ou seja, forçar uma atitute por mera força de vontade tem um custo real, e o combustível da força de atitude pode acabar! (Os estudos indicam que ele se recupera com descanso, mas mesmo assim…)

    Eu descobri que eu consigo trocar um vício por outro (trabalhar mais para beber menos café, por exemplo), mas dificilmente me livrar de vícios…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s