Estratégia, tática e operação em nosso planejamento de carreira

Aos que já me ouviram falar ou leram meus posts sobre planejamento de carreira, sobre SWOT, Business Model You, Johari, CHAx5 e Mapping, sobre mindset ágil e correr atrás dos sonhos, vou salientar uma parte que passa desapercebida – o conceito de planejamento estratégico, tático e técnico, com planos de longo, médio e curto prazo. Cada uma dessas projeções relacionasse as demais, pois o passo de hoje pode nos aproximar ou afastar do de amanhã e do destino desejado.

Quando nosso sonho ainda não está maduro, muitas vezes teremos que investir em conhecimentos e vivências que ainda não temos e que nos ajudará a chegar lá. Ao fixarmos uma empresa no topo da primeira coluna do nosso business model, ao preenchermos o valor que elas procuram e que podemos agregar, pode ser que ainda tenhamos estrada pela frente. Nesse caso, devemos nos empenhar onde estamos ao mesmo tempo em que investimos naquilo que nos falta.

Via de regra, a solução não é jogar tudo para cima, é ter cabeça fria para tomar as melhores decisões, é manter nossa visibilidade como bons profissionais onde nós estamos e montar um plano para aquisição daquilo que nos falta. Não tem nada de mal em deixar a vida te levar e depender do acaso, de uma demissão, um anúncio no classificados ou uma indicação, mas muito melhor é nos vermos como um projeto de alto potencial e que merece uma estratégia, planejamento e dedicação.

shape T XXI

Essa abordagem tem tudo a ver com profissionais do século XXI, aqueles de perfil T, com domínio e profundidade de conhecimento naquilo que necessita hoje, mas com amplitude em outras disciplinas, que lhe dão visão de mundo, agilidade, lhe tornam alguém mais perspicaz, inovador, criativo e preparado para novos passos em seu planejamento de carreira.

Em um artigo que fiz em 2014, ilustrei de forma um tanto poética o nosso desafios como profissionais de conhecimento, uma diagrama em que tento provocar uma visão de auto-conhecimento e planejamento pessoal, coletivo, organizacional e ambiental, estabelecendo com isso nossa competência essencial, termo sofisticado para dizer qual é o nosso diferencial competitivo:

compet-essenciais-3

Não estou dizendo que é fácil, nem difícil, apenas garantindo que a maioria absoluta das pessoas preferem não serem ágeis, não se planejar, não serem iterativos-incrementais, praticando auto-conhecimento, inspeção e adaptação a cada ciclo de vida, quer seja mensal, bimestral ou trimestral. A maioria pratica o famoso método GO HORSE, deixa a vida lhe levar com tanta alienação quanto a intensidade com que ficam por aí resmungando da vida, das oportunidades, do chefe, do salário, da tortura naquilo que fazem a cada dia, mesmo sem investir um centavo ou um minuto para tomar as rédeas de sua vida.

As vezes fico achando privilégio estar em Porto Alegre e no TecnoPUC e dizer o que digo, mas isso nos dá oportunidades, ainda depende de cada um de nós aproveitá-las. Mesmo quem está em uma cidade menor, talvez até mais ainda, é possível ser protagonista, estudar, experienciar, aproximar-se de novos e antigos parceiros, criar GU’s, CoP’s, gerar interação presencial ou remota, construir cases para integrar ao nosso portfólio. Definitivamente o ecossistema PUCRS e TecnoPUC é um paiol de oportunidades, mas há outras ou criamos outras opções.

McKenna

Saia da zona de conforto, é importante saber que existe uma crise, mas seja honesto consigo mesmo e assuma que você pouco fazia mesmo antes da crise chegar … então arregace as mangas, invista em auto-conhecimento, aplique Design Thinking, Scrum, Kanban, Lean em sua vida, em sua carreira. É só escolher alguns parceiros de viagem e mandar bala, dentro do possível, fico a disposição, mas o primeiro passo é saber que o Harry Poter quebrou e jogou fora a varinha das varinhas, então a única solução é divertir-se enquanto dedica-se e trabalha para transformar seus planos em realidade, um passo de cada vez, como deve ser!

O primeiro passo é tomar conhecimento e decidir que vai se planejar, esquentar com um Johari ou SWOT, montar um CHAx5 com conhecimentos, habilidades e atitudes, desenhar um Business Model You e um Mapping … usar estes artefatos e técnicas não é um fim em si, mas é um meio para nos fazer pensar naquilo que deve ser pensado e decidido. Cada qual terá seu planejamento, a sua maneira, contando com certos parceiros, qualquer um só não será um desperdício se eles gerarem valor e diminuírem o desperdício de dias, semanas, meses ou anos.

mudança-2

Finalmente, pare de usar de dissonância cognitiva e encare sua responsabilidade, tente parar ou diminuir de transferir, negar, racionalizar, projetar. “Reme sua própria canoa”, desvie dos obstáculos, se não puder … aprenda a nadar e conte com quem está na mesma estrada e pode lhe ajudar e vice-versa.

2 comentários sobre “Estratégia, tática e operação em nosso planejamento de carreira

  1. Pingback: Qual é o Canal? Vamos falar de pessoas, carreiras e realização | Jorge Horácio "Kotick" Audy

  2. Pingback: TTalks Planejando Carreiras – Jan/2017 | Jorge Horácio "Kotick" Audy

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s