O magnetismo da tecnologia, quadros A3, postits e puffs amarelos

Um dos maiores riscos para a construção e reconstrução contínua da estratégia de uma startup de matriz tecnológica é o forte magnetismo que a tecnologia exerce sobre seus integrantes, um fascínio que atrai grandes profissionais de TI para a modelagem de produtos e para a frente dos computadores.

Muitas vezes a galera fica olhando para o lado errado! Esse é o perigo do NÃO entendimento dos espaços criativos e inovadores, com artefatos coloridos, instigantes, mesas e puffs que estão lá para nos provocar. Cuidado para não ficar lá dentro, porque na maioria das vezes o sucesso (ou não) vai ser decidido lá fora!

olhando para o lado errado

Os perigos da abstração tamanho A3

A abstração da folha A3 do Business Model Canvas pode ser uma distração se com sua simplicidade esquecermos dos planos de marketing, financeiro, operacional, investimentos, mesmo assim é só o primeiro degrau, tem que fazer acontecer, botar o pé na estrada, feiras, eventos, associações, conselhos, há o mundo lá fora.

Com frequência a modelagem de negócio, incluindo estudo de cenários, projeções e planejamento exigem mais que um Business Model Canvas, Value Proposition Canvas ou Empathy Canvas. Mas cuidado, resumir o planejamento de negócios a um Canvas é um reducionismo que cobra um alto custo dos empreendedores.

Muitas vezes a pretotipação, prototipação ou construção de um MVP é quase que irrelevante se comparado a necessidade de uma estratégia para geração de base instalada, da exigência em discutir, planejar, executar e monitorar o famoso funil, ser intenso e agressivo na conquista de massa crítica, com ou sem produto ainda.

funil

A abstração pode ser a Zona de Conforto

Já interagi com muitas startups que insistiam em se dedicar ao famoso MVP, mas falharam porque o principal fator crítico de sucesso estava bem longe do escritório, falharam em montar estratégias e dedicar a imensa energia necessária para atrair e reter não só os tais Early Adopters, mas muito mais além deles.

Quando falo de planos, são TODOS os planos, daqueles que dizem respeito a ideia, modelagens, diferentes aspectos de negócio, validações. Iterativo-incremental, o mantra do Agile vale para tudo em uma startup, é preciso entender cada passo dado, atual e o seguinte, monitorar e refletir, ajustar os planos e seguir em frente.

Fiz um post a algumas semanas atras sobre as diferentes formas de fazer um plano de negócios, que pode com frequência ser uma necessidade, para o qual podemos usar as mesmas técnicas colaborativas e visuais utilizadas para tudo o mais, mas sem se isentar de pensar além do próprio produto.

Plano-de-negócio

A abstração da mídia

Desde 2011 quando vim, como coordenador de desenvolvimento da área de produtos digitais do Grupo RBS, aqui para o TecnoPUC eu tento alertar os jovens empreendedores para aproveitarem mas não se deslumbrarem com as luzes e purpurina do universo startup, o risco é acabar na Catho alguns anos depois.

Conheci muitas startups que se deixavam deslumbrar por eventos, artigos em jornais e TV, passando a achar que o jogo já estava ganho, mas aprendendo que eventos, jornais, revistas e TV são apenas meios de comunicação, são bons, mas pouco se não houver uma estratégia para que sejam muito bem aproveitados.

Conclusão

A medida do potencial de sucesso de uma startup está no final do funil, está na conversão, no cumprimento e superação dos planos de negócio, projeto e produto, nesta ordem, iterativo-incrementais, iniciando pela estratégia, para desenvolver a tática e o operacional, jamais o contrário.

Meus primeiros posts aqui no blog foram resenhas para cada uma das quatro disciplinas propostas pelos autores Bossidy e Charan no livro “Execução” – Estratégia, Pessoas, Operação e Execução! Eles não são agilistas, mas alertam o quanto reduzimos os riscos e aceleramos resultados se formos diariamente ágeis.

Curto muito a frase que escutei alguns anos atras em uma palestra da Engage: “Startup é uma empresa correndo contra o tempo antes que o dinheiro acabe!”

Convide com frequencia pessoas criativas, clientes e especialistas para fazer brainstormings, antecipe riscos e oportunidades, planeje e valide, use técnicas diversas como Focus Groups, MVP, Wizard of Oz, pretotyping, prototipação, mas jamais esqueça que o tempo não para, faça acontecer e reflita semanalmente.

Um comentário sobre “O magnetismo da tecnologia, quadros A3, postits e puffs amarelos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s